Max Pierre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2012).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2011)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Max Pierre de Almeida (Belo Horizonte, 30 de julho de 1948) é um produtor musical brasileiro.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

A carreira musical de Max Pierre, teve início em 1965 quando, cursando o ginásio no Colégio Estadual Souza Aguiar, formou com os amigos Aramis e Elydio Santoro, Wagner Pessanha e Sergio Ferraz, a banda Os Canibais, influenciados pela música dos Beatles.

Com o fim da banda em 1973, aceitou o convite de Nilo Sergio, Presidente da Musidisc, para estudar no estúdio da companhia, técnicas de engenharia de gravação de música, tornando-se um profissional requisitado na época.

No final de 1977, convidado por Ramalho Neto, então Diretor Artístico da Continental Discos, assumiu a função de produtor artístico, começando ali sua lista de premiações em vendas com produções de, Agepê, Duo Assad (dos irmãos Sergio Assad & Odair Assad), Tom e Dito, Adriana, Nenéo e Dicró.

Em 1979 é chamado por Raimundo Bittencourt e Guto Graça Mello para o cargo de produtor e técnico de gravação da Som Livre (TV Globo), dividindo um ano depois a Direção artística com Guto e acumulando a direção dos 6 estúdios da Cia. Produziu artistas como - Ronaldo Resedá, Ruy Maurity, Marcos Valle, Rita Lee & Roberto de Carvalho, Jorge Benjor, Robson Jorge & Lincoln Olivetti, Olivia Bygton, Elis Regina, Cauby Peixoto, Cesar Camargo Mariano, Fafá de Belém, Agepê, Wando, Olivia Hyme, Xuxa, a trilha das novelas Mandala e Vale Tudo e o especial Chico & Caetano para TV Globo.

Com o fim do cast da Som Livre, apostou nas gravações ao vivo dos discos de Oswaldo Montenegro, Os Vips, Golden Boys e Bossa and Roll com Rita Lee.

Durante o período na Som Livre, também produziu para Sony Music do Brasil Rosana (Como uma Deusa), Fábio Júnior, Guilherme Arantes e Sidney Magal. Para Sony Music do México, Ana Gabriel ao vivo (recorde de vendas), Yuri (Yuridia Valenzuela Canseco) e Lupita D’Alessio. Em todo período na Som Livre, formou a melhor equipe de técnicos de gravação do Brasil, como Antonio Canazio Neto – o Moogie - Carlos de Andrade - Carlão, Sergio Murilo, Jorge Guimarães - o Gordo e Edu Brito.

Criou com a equipe Som Livre, a sonorização, dublagem e mixagem em Dolby Surround de filmes como Lili, a Estrela do Crime, Doida Demais, Manouche e Xuxa.

Após 14 anos, é convidado por Marcos Maynard para assumir a Direção artística (A & R) da Polygram do Brasil, a partir de 16 de dezembro de 1992.

Cria o projeto “As Canções Que Você Fez Para Mim”, com Maria Bethânia - homenagem a Roberto Carlos e Erasmo Carlos - dirige artísticamente os CDs ao vivo e de carreira de - Banda Cheiro de Amor, Netinho, Terra Samba, Banda Eva (com Ivete Sangalo), Bom Balanço, Banda Beijo, É o Tchan, As Meninas, Leila Pinheiro, Tânia Alves, Selma Reis, Engenheiros do Hawaii, Caetano Veloso, Cássia Eller, José Augusto, Sandy & Junior, Rita Lee & Roberto de Carvalho, Erasmo Carlos, Elba Ramalho, Chitãozinho & Xororó, Simone e Zeca Pagodinho. Promovido a Vice-Presidente de A&R da Universal Music, que englobou a Polygram em 1996, bate o recorde mundial de vendas de DVD da Polygram, com Ivete Sangalo ao vivo na Fonte Nova.

Após a fusão da Polygram com a Universal Music em 1997, dirige as produções de Ed Motta, Hebe Camargo, Armandinho, Babado Novo (Claudia Leitte), César Menotti & Fabiano, Dudu Nobre, Marjorie Estiano, Zélia Duncan, Isabela Taviani, Alcione, Jeito Moleque, KLB, Leonardo, Marília Gabriela, Marina, Nana Caymmi, Negra Li, Ney Matogrosso, Pedro Mariano, Raça Negra, Rio Negro & Solimões, Roberta Miranda, Sandra de Sá, Zizi Possi, o acústico do Roupa Nova e os acústicos e Ao vivo MTV - Rita Lee, Jorge Benjor, Kid Abelha, Cássia Eller, Zeca Pagodinho, Nando Reis e Paulo Ricardo.

Criou projetos como – Zeca Pagodinho Acústico I e II, O Quintal do Pagodinho, Casa de Samba, Casa da Bossa e Um Barzinho, Um Violão. Produziu para Universal da Espanha – Tamara canta Roberto Carlos e Tamara homenageando Julio Iglesias.

Em 2007 encerra sua fase na Universal Music, depois de 10 anos de liderança no mercado do Brasil, lançando Ivete Sangalo no Maracanã, que alcançou a maior venda de DVDs do mundo, com mais de 1 milhão de cópias.

Neste mesmo ano cria a Zeca Pagodiscos, com seu amigo Zeca e lança em sociedade com seu selo Musica Fabril, o Cidade do Samba (sequência dos Casa do Samba), exibido pela TV Globo e o 3º DVD mais vendido no Brasil em 2007. Em 2008 lança o Um Barzinho, Um Violão – Novela 70, e o Um Barzinho, Um Violão - Sertanejo em 2009.

Lança em 2010, junto com Ricardo Malaguti, uma homenagem à cidade do Rio de Janeiro, o DVD e BLU-Ray RIO in HD.

No fim de 2011, lança em CD (box), DVD (duplo) e BLU-Ray, o projeto Piano Bar, uma coletânea de 56 sucessos nacionais e internacionais interpretados pelo pianista Rodrigo Braga.

Até hoje, em toda sua carreira na indústria fonográfica, foi responsável por mais de 60 milhões de discos vendidos no Brasil, México e Espanha.

Referências