Mayana Zatz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mayana Zatz
Biologia, Biologia molecular e genética
Mayana Zatz em 2010
Nacionalidade Brasileira
Residência  Brasil
Nascimento 16 de julho de 1947 (69 anos)
Local Tel Aviv
Atividade
Campo(s) Biologia, Biologia molecular e genética
Instituições Universidade de São Paulo
Orientador(es) Oswaldo Frota Pessoa (mestrado e doutorado)[1]
Michael M. Kaback e David Campion (pós-doutorado)[2]
Prêmio(s) L'Oréal-UNESCO - mulheres em ciência (2001)

Mayana Zatz (Tel Aviv, 16 de julho de 1947) é uma bióloga molecular e geneticista brasileira, professora do Departamento de Genética e Biologia Evolutiva do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo. Exerceu o cargo de pró-reitora de pesquisa da USP de 2005 a 2009.

Pesquisadora em genética humana, com contribuições principalmente no campo de doenças neuromusculares (distrofias musculares, paraplegias espásticas, esclerose lateral amiotrófica) em que é pioneira, atualmente seu laboratório no Centro de Estudos do Genoma Humano da USP também realiza relevantes pesquisas no campo de células-tronco.

Até julho de 2007, publicou 280 trabalhos científicos[1].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mayana Zatz nasceu em Tel Aviv, Israel, em 1947[3][2]. Mudou-se com a família para a França durante a infância, e finalmente para o Brasil, em 1955. Desde a infância interessou-se por biologia[2]. Em São Paulo, cursou biologia pela Universidade de São Paulo, onde estagiou com o Oswaldo Frota Pessoa, tendo primeiro contato com genética humana. Formou-se em 1968, e já no ano seguinte iniciou um trabalho de aconselhamento genético de famílias portadoras de doenças neuromusculares. Ainda pela USP, tornou-se mestre em genética em 1970 (com dissertação sobre distrofias musculares progressivas) e doutora em genética em 1974 (expandindo o trabalho de mestrado)[3], ambos também sendo orientada por Frota Pessoa. Entre 1975 e 1977 nos Estados Unidos, Mayana fez pós-doutorado pela Universidade da Califórnia sob orientação de Michael M. Kaback e David Campion.

Devido ao tratamento precário de doenças musculares no Brasil, ao retornar ao país, Mayana fundou em 1981 a Associação Brasileira de Distrofia Muscular, que trata afetados por distrofias musculares[4], e onde ainda é diretora presidente[5].

Em 1995 tornou-se pioneira ao localizar um dos genes ligados a um tipo de distrofia dos membros, junto com Maria Rita Passos-Bueno e Eloísa de Sá Moreira. Juntas, também foram responsáveis pelo mapeamento do gene responsável pela síndrome de Knobloch. Em 1996 ingressou na Academia Brasileira de Ciências.[2]

Em agosto de 2000 foi condecorada com a grã-cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico[3]. No mesmo ano, recebeu a Medalha de Mérito Científico e Tecnológico do Governo do Estado de São Paulo. Em 28 de fevereiro de 2001 na cidade de Paris, recebeu o prêmio latino-americano dos Prêmios L'Oréal-UNESCO para mulheres em ciência[6]. No mesmo ano, recebeu o Prêmio Claudia[7], oferecido pela Revista Claudia. Em 2006 foi a Personalidade do Ano da Ciência segundo a Revista ISTOÉ Gente[8].

Em 2009, ganhou o Prêmio México de Ciência e Tecnologia 2008.[9] Em setembro do mesmo ano, Mayana ganhou o Prêmio Walter Schmidt, conferido pela empresa Fanem para destacar personalidades que promoveram o desenvolvimento do setor da saúde brasileira.

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Mayana Zatz

Referências

  1. a b «Currículo do Sistema de Currículos Lattes (Mayana Zatz)». Plataforma Lattes. 2 de agosto de 2007. Consultado em 6 de março de 2008 
  2. a b c d «Mayana Zatz Membros da ONMC». Academia Brasileira de Ciências. Consultado em 6 de março de 2008 
  3. a b c «Academia Brasileira de Ciências - Acadêmicos - Mariana Zatz». Academia Brasileira de Ciências. 1 de novembro de 2006. Consultado em 6 de março de 2008 
  4. «ABDIM - Histórico». Associação Brasileira de Distrofia Muscular. Consultado em 6 de março de 2008 
  5. «ABDIM - Quem é Quem na ABDIM». Associação Brasileira de Distrofia Muscular. Consultado em 6 de março de 2008 
  6. Kevin Friedl (8 de março de 2006). «Seed: For Women in Science» (em inglês). Revista Seed. Consultado em 6 de março de 2008 
  7. «Sítio oficial do Prêmio Claudia». Revista Claudia. Consultado em 6 de março de 2008 
  8. Rodrigo Cardoso. «Capa - Personalidade do Ano 2006 - Mayana Zatz». Revista ISTOÉ Gente. Consultado em 6 de março de 2008 
  9. Agência Fapesp. «Mayana Zatz é premiada no México». Consultado em 8 de setembro de 2009 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.