Mayra Santos-Febres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Mayra Santos-Febres (nascida em 1966 em Carolina, Porto Rico) é uma autora, poeta, romancista, professora de literatura, ensaísta e crítica literária porto-riquenha. Seus pais eram professores que lhe incutiram a paixão pela literatura mas sua motivação para continuar foi sua professora da sétima série Ivone Sanavitis. Seu trabalho foca principalmente nos temas da identidade da diáspora africana, sexualidade feminina, o erótico, fluidez de gênero, desejo e poder.[1] Ela também publicou livros infantis. Seu trabalho foi fundamental para a chegada de novos escritores jovens em Porto Rico. Ela é também uma ativista comunitária que ajuda a levar livros e histórias para crianças menos afortunadas.[2]

Educação e trabalho acadêmico[editar | editar código-fonte]

Santos-Febres completou sua graduação na Universidade de Porto Rico e detém um título de mestre em artes e um um de doutora em filosofia (1991) pela Universidade Cornell e já foi professora visitante em Harvard e em Cornell. Ela já teve trabalhos publicados em diversas revistas internacionais: Casa de las Américas em Cuba, Página Doce na Argentina, Revue Noire na França e Review: Latin American Literature and Arts, em Nova Iorque. Seu trabalho já foi traduzido para o francês, inglês, alemão e italiano e é ensinado em várias universidades dos Estados Unidos.[3]

Santos-Febres atualmente leciona na Universidade de Porto Rico, Campus Río Pedras e é a Diretora Executiva do Festival da Palavra em Porto Rico.[4]

Trabalho literário[editar | editar código-fonte]

Em 1991, Santos-Febres publicou suas primeiras duas coletâneas de poesia, Anamu y manigua e El orden escapado, para aclamação da crítica.[5] Em 1994, Santos-Febres ganhou o prêmio de literatura Letras de Oro por sua coletânea de pequenos contos Pez de Vidrio.[6] "Oso Blanco", um conto dessa coletânea, também ganhou o Prêmio Juan Rulfo em 1996.[7][8] Pez de Vidrio contém 15 histórias curtas sobre as complicadas relações entre desejo sexual, raça, identidade, status social e político na sociedade caribenha moderna.

Seu primeiro romance, Sirena Selena vestida de pena, focado na vida de uma drag queen adolescente que trabalha nas ruas e tem um talento para cantar boleros, foi finalista do Premio Rómulo Gallegos de Romance.[9][10]

Suas publicações mais recentes incluem uma coletânea de ensaios chamada Sobre piel y paper, bem como um romance sobre Isabel la Negra, titulado Nuestra Señora de la Noche.[11]

O romance mais recente de Santos-Febres é La amante de Gardel (2015).

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Anamu y manigua (1990)
  • El orden escapado (1991)
  • Pez de vidrio (1994)
  • El cuerpo correcto (1996)
  • Urban Oracles (1997)
  • Sirena Selena vestida de pena (2000)
  • Tercer mundo (2000)
  • Cualquier miércoles soy tuya (2002)
  • Sobre piel y papel (2005)
  • Boat People (2005)
  • Ernesto , El domador de los suenos (2008)
  • Nuestra Señora de la Noche (2006)
  • Fe en disfraz (2009)
  • Tratado de Medicina Natural para Hombres Melancólicos (2011)
  • El baile de la vida (2012)
  • La amante de Gardel (2015)

Referências

  1. http://go.galegroup.com/ps/i.do?p=GVRL&u=unc_main&id=GALE%257CCX3444701125&v=2.1&it=r&sid=summon&userGroup=unc_main&authCount=1
  2. Celis Salgado, Nadia; Febres, Mayra Santos (1 de janeiro de 2008). «"Mayra Santos-Febres: El lenguaje de los cuerpos". A Body of One's Own: Conversations with Caribbean Women Writers». Hispanic Studies Faculty Publications 
  3. Escritores.org. «Santos-Febres, Mayra». www.escritores.org (em espanhol). Consultado em 13 de dezembro de 2017 
  4. «How Puerto Ricans Do So Much, When We're So Few». La Respuesta (em inglês). 23 de outubro de 2014. Consultado em 13 de dezembro de 2017 
  5. "Mayra Santos-Febres." John Simon Guggenheim Memorial Foundation. John Simon Guggenheim Memorial Foundation, 2012. Web. 6 de abril de 2015. .
  6. Agency, Vilar Creative. «Mayra Santos-Febres». Vilar Creative Agency. Consultado em 7 de abril de 2016. Arquivado do original em 16 de abril de 2014 
  7. Molero, Jose Antonio. "Fernando Schwartz Gana La X Edición Del Premio Primavera De Novela." Gibralfaro. University of Malaga, March 8, 2006. Web. February 27, 2012.
  8. "Mayra Santos-Febres." Vilar Creative Agency (Author Profile). Web. April 6, 2015.
  9. Santos-Febres, Mayra. Sirena Selena: A Novel. Trans. from the Spanish by Stephen A. Lytle. New York: Picador, 2001. ISBN 0-312-26392-9
  10. Rangelova, Radost. "Nationalism, States of Exception, and Caribbean Identities in Sirena Selena vestida de pena and ' Loca la de la locura. ' " CENTRO Journal 19, no. 1 (2007): 74–88.
  11. Santos-Febres, Mayra. Our Lady of the Night. Trans. from the Spanish by Ernesto Mestre-Reed. New York: Harper Perennial, 2009. ISBN 978-0-06-173130-3