McDonnell Douglas DC-X

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Delta Clipper Advanced (DC-XA)

O Delta Clipper Experimental ou DC-X, foi um protótipo não-tripulado de um veículo lançador de um único estágio construído pela McDonnell Douglas. O DC-X foi construído numa escala de 1/3, e não foi projetado para atingir altitudes ou velocidades orbitais. Ao invés disso, ele estava destinado a demonstrar vários conceitos de voo, como o lançamento e pouso verticais.[1]

Descrição[editar | editar código-fonte]

O DC-X era um veículo em forma de cone com 12,8 metros de altura e 4 metros de diâmetro na base. Pesava 9072 kg vazio e 18870 kg carregado de propelentes.

Utilizava quatro motores foguetes, capazes de gerar 6200 kg de empuxo cada, que usavam hidrogênio e oxigênio líquidos como propelentes.

Ele demonstrou operações como voar para frente, para trás, para os lados e pairar.

Foram realizados ao todo doze voos de teste que duraram entre 59 a 142 segundos e a altitude máxima foi de 3140 metros. [1]

O programa DC-X[editar | editar código-fonte]

Primeiro voo do DC-XA

O Delta Clipper Experimental (DC-X) foi construído entre 1991 e 1993 pela McDonnell Douglas, atualmente parte da Boeing, após vencer um contrato do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Também concorreram para este contrato a General Dynamics e Rockwell International.[2]

O primeiro voo ocorreu em Agosto de 1993 e o último em Julho 1995, totalizando oito voos de teste.[3]

O programa DC-XA[editar | editar código-fonte]

O Delta Clipper Experimental Advanced (DC-XA) foi uma versão modificada do DC-X, operado pela NASA e pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos sob o programa de “Veículos Lançadores Reutilizáveis”.

Ele possuia um tanque de hidrogênio feito de materiais compósitos e um tanque de oxigênio líquido feito de uma liga de alumínio-lítio, além de um novo sistema de controle. Essas melhorias reduziram a massa do veículo em 620 kg.

Os testes de voo foram realizados no Campo de Teste de Mísseis de White Sands em 1996, sendo que no quarto teste o veículo sofreu um dano severo e em seguida o programa foi cancelado por falta de verbas.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Memi, Edmund (2008). «A step to the moon» (PDF). Boeing Frontiers (em inglês). 7 (4) 
  2. Butrica, Andrew J. (2006). «Capítulo 10». Reusable Launch Vehicles or Expendable Launch Vehicles A Perennial Debate (em inglês). [S.l.: s.n.] 
  3. a b «The Delta Clipper Experimental:Flight Testing Archive» (em inglês). 26 de dezembro de 2012. Consultado em 27 de julho de 2017.