Medalha Benjamin Franklin (American Philosophical Society)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Benjamin Franklin (1706–1790) – Retrato por Joseph Duplessis (c. 1785)

A Medalha Benjamin Franklin (em inglês: Benjamin Franklin Medal) é uma condecoração da American Philosophical Society, que em sua história de mais de um século não foi concedida durante vários anos e foi renomeada diversas vezes.

A medalha[editar | editar código-fonte]

Medalha Benjamin Franklin

A medalha de aproximadamente 10 cm de diâmetro foi criada por Louis St. Gaudens (1854–1913) e Augustus Saint-Gaudens (1848–1907).[1] No verso estão em letras maiúsculas a palavra "Benjamin Franklin", o semblante de Franklin e novamente em letras maiúsculas as palavras "Printer, Philosopher, Scientist, Statesman, Diplomatist" (impressor, filósofo, cientista, estadista, diplomata). O reverso mostra uma representação alegórica da história, que faz seus registros na presença da literatura, ciência e filosofia.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1906 o Congresso dos Estados Unidos decidiu, por ocasião dos duzentos anos do nascimento de Benjamin Franklin (com John Bartram um dos dois fundadores da American Philosophical Society, na época denominada Philosophical Society), permitir ao Secretário de Estado dos Estados Unidos emitir uma medalha em memória de Franklin. A primeira medalha – de ouro – foi concedida por indicação do então Presidente dos Estados Unidos Theodore Roosevelt à República Francesa. O secretário Elihu Root a entregou durante uma comemoração aos 200 anos do aniversário de Franklin ao embaixador francês Jean Jules Jusserand.

Outras 150 medalhas foram cunhadas em bronze. Estas foram destinadas a serem concedidas diretamente pelo Presidente dos Estados Unidos e pela American Philosophical Society. Sendo documentado que Marie Curie recebeu uma medalha em 1921 como "lembrança", quando ao receber a Medalha John Scott da cidade de Filadélfia apresentou na American Philosophical Society uma curta exposição sobre suas medições piezoelétricas da radioatividade,[2] a próxima concessão oficial da medalha ocorreu em 1937, para William Lyon Phelps por ocasião de sua palestra sobre "Truth and Poetry". Até 1949 seguiram-se concessões todo ano ou dois anos a diversos cientistas por ocasião de palestras festivas.

Seguiu-se então trinta anos de pausa, até a medalha ser concedida três vezes entre 1979 e 1983 a funcionários da American Philosophical Society por mérito. Entre 1985 e 1991 a Medalha Benjamin Franklin foi então a mais significativa condecoração da American Philosophical Society nas áreas das ciências humanas e naturais ("humanities and sciences").

Desde 1987 a American Philosophical Society concede a Medalha Benjamim Franklin por Serviços Públicos de Destaque (em inglês: Benjamin Franklin Medal for Distinguished Public Service) por contribuições excepcionais pelo bem comum (em inglês: "general welfare"). Desde que o congresso de 1993 da American Philosophical Society autorizou a concessão da Medalha Thomas Jefferson por contribuições de destaque na área das artes, humanidades e ciência social ("arts, humanities, and social sciences"), a Medalha Benjamin Franklin é concedida apenas para a área das ciências naturais ("sciences").

Recipientes[editar | editar código-fonte]

Medalha Benjamin Franklin (1906–1983)[editar | editar código-fonte]

Medalha Benjamin Franklin por Conquistas de Destaque em Humanidades ou Ciências (1985–1991)[editar | editar código-fonte]

Medalha Benjamin Franklin por Serviço Público de Destaque (desde 1987)[editar | editar código-fonte]

Medalha Benjamin Franklin por Conquistas de Destaque em Ciências (desde 1993)[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Benjamin Franklin Bicentennial Medal» na página do Museu de Belas Artes de Boston (mfa.org); acessado em 2 de fevereiro de 2017.
  2. Minutes. Proceedings of the American Philosophical Society. 60. [S.l.]: American Philosophical Society. 1921. p. xxii. JSTOR 984523 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]