Medalha dos feridos em campanha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Medalha dos Feridos em Campanha
Medalha feridos em campanha.png
Descrição
País Portugal Portugal
Outorgante Ministro da Defesa Nacional
Criação 28 de Maio de 1946
Tipo Medalha Militar
Elegibilidade Ferimentos em campanha
Organização
Graus Medalha (MFC)
Hierarquia
Inferior a Medalha dos Promovidos por Feitos Distintos em Campanha
Superior a Medalha de Reconhecimento
Fita Mutilados feridoscampanha.gif

A Medalha de Feridos em Campanha, criada em 28 de Maio de 1946, é atribuída aos militares que, em campanha ou em circunstâncias com ela directamente relacionadas, tenham sofrido uma diminuição permanente, caracterizada pelo prejuízo ou perda anatómica de qualquer órgão ou função. É outorgada pelo Ministro da Defesa Nacional.

Foi criada originalmente como um insígnia, a 5 de Outubro de 1918, pelo decreto n.º 4886, consistindo de fita simples, com a designação de Insígnia de Mutilados e Estropiados de Guerra.

Desenho[editar | editar código-fonte]

O seu desenho consiste do seguinte:

  • Anverso: estrela de cinco pontas, cinzeladas, cada uma terminada por uma esfera armilar pequena; ao centro, um disco carregado de um Emblema Nacional rodeado de um listel circular com a legenda «FERIDOS EM CAMPANHA», em letras de tipo elzevir, maiúsculas;
  • Reverso: idêntico ao anverso, mas tendo ao centro um disco com a legenda «MORRER MAS DEVAGAR», frase de D. Sebastião I de Portugal na Batalha de Alcácer Quibir, em letras de tipo elzevir, maiúsculas, dispostas em três linhas; cercando a legenda, duas vergônteas de louro, frutadas e cruzadas nos topos proximais.

A fita é vermelha, com duas linhas verticais verdes.