Medeiros Neto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Medeiros neto)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o político brasileiro, veja Antônio Garcia de Medeiros Neto.
Município de Medeiros Neto
Medeiros Neto (vista aérea).jpg

Bandeira de Medeiros Neto
Brasão de Medeiros Neto
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 14 de agosto
Fundação 14 de agosto de 1958 (58 anos)
Gentílico medeirense
Prefeito(a) Jadna Paiva Silva (PPS)
(2017–2020)
Localização
Localização de Medeiros Neto
Localização de Medeiros Neto na Bahia
Medeiros Neto está localizado em: Brasil
Medeiros Neto
Localização de Medeiros Neto no Brasil
17° 22' 26" S 40° 13' 15" O17° 22' 26" S 40° 13' 15" O
Unidade federativa Bahia Bahia
Mesorregião Sul Baiano IBGE/2008[1]
Microrregião Porto Seguro IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Teixeira de Freitas, Vereda, Itanhém, Lajedão, Caravelas, Umburatiba(MG) e Nanuque(MG).
Distância até a capital 870 km
Características geográficas
Área 1 311,740 km²
População 23 535 hab. IBGE/2016[2]
Densidade 17,94 hab./km²
Altitude 153 m
Clima tropical Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,625 médio PNUD/2010
Gini 0,53 PNUD/2010
PIB R$ 268 681 mil IBGE/2014[3]
PIB per capita R$ 11 472,29 IBGE/2014[3]
Página oficial
Prefeitura www.medeirosneto.ba.gov.br

Medeiros Neto é um município brasileiro do estado da Bahia. Situa-se no extremo sul do estado, a 870 km da capital.[4] Segundo o IBGE, a população em 2016 era de 23.535 habitantes[5], sendo o 10º maior município da sua microrregião e o 140º do estado.[6] O município conta com área territorial de 1.311,7 km²[7], elevação de 153 m[8] e temperatura média anual de 24,5 ºC.[9]

A cidade foi fundada no ano de 1958, através da Lei Estadual nº 1.024, desmembrando-se assim do município de Alcobaça.[10] Medeiros neto conta com 2 distritos: Itupeva (36 km) e Nova Lídice (40 km), além de 5 Povoados: Vila Mutum (46 km), Santa Luzia do Norte [Patioba] (19 km), Juracitaba (20 km), Água Limpa (29 km) e Nova Zelândia (28 km).[11] Limita-se ao oeste com o estado de Minas Gerais, ao norte com Itanhém e Vereda, ao leste com Teixeira de Freitas e ao sul com Caravelas e Lajedão.[12]

História[editar | editar código-fonte]

Antiga Prefeitura Municipal

O atual Município de Medeiros Neto, tendo por base sua Sede originada de pequena povoação, germinada junto à desembocadura do Ribeirão de Água Fria no Rio Itanhém, entre os dois cursos de água, uma várzea inundável a cada cheia do rio maior, inóspita, cercada de matas virgens, aliás, numa clareira aberta na frondosa floresta de que outrora compunha-se a Mata Atlântica, rica em essência vegetais de alto valor e animais selvagens variados.Terra ribeirinha, de características muito promissoras, fertilíssimas, contudo, palco de terríveis epidemias de febres palustres, tantas vezes dizimadoras, causando enormes entraves à marcha dos desbravadores.[13]

Isso começa por volta de 1915, quando, descendo o curso do Rio Itanhém, vindos de Minas Gerais, principalmente da região de Águas Formosas, exploradores, muitos dos quais originários de Joaíma, Jequitinhonha, Rubim, Almenara e Rio do Prado, atraídos pela pujança da terra, sem levar em conta as tremendas dificuldades pela frente, vinham dispostos a ficar, fossem quais fossem os problemas a enfrentar. Sobrevivendo, conseguiram vencer as adversidades, impor-se ao meio, e tornaram-se donos efetivos da terra.[14]

Dia das crianças (1981)

A povoação nasceu por iniciativa do posseiro José Emidio, sertanejo originário do interior de Minas Gerais, que achou por bem estabelecer um ponto que serviria de elo entre os colonizadores e os centros de agrupamento humano e comercial tão afastados, porém necessários à fixação e sobrevivência da ocupação humana daquelas paragens. Apesar dos empecilhos representados pelas enchentes quase constantes dos rios, o arraial se estabeleceu nas terras baixas intermediárias àquelas, tributários cursos fluviais em conexão. Assim foi que, animada pela perseverante iniciativa de outros desbravadores, a aglomeração tomou corpo, mesclada, praticamente entre os rios e a selva.[15]

Em 1915, em pleno aventureirismo primordial, Felipe vendeu a posse, pequena clareira que havia feito na mata, entre os rios junto a confluência, ao recém chegado José Emídio, que, disposto a criar ali um aglomerado humano - um núcleo populacional de base, doou a posse à Municipalidade, com o fito de se implantar o povoado. Coube a um tal Barnabé Falador dar o grito inicial e animar os que iam chegando, para instalarem as primeiras cabanas, sendo sua esposa, dona Joana, a primeira mulher (não índia) a por ali os pés e fixar residência. Não se sabe, depois que rumo tomara Barnabé e sua família. Existe, contudo, outra versão que afirma ter a criação da povoação surgido de um grupo que, no mesmo ano, vindo de Alcobaça (Sede Municipal), subiu o rio, que deságua no oceano, exatamente junto àquela cidade. O mais provável, entretanto, é que tal grupo tenha vindo atraído pelos rumores de se ter iniciado ali um núcleo de ocupação definitiva da terra, até então virgem, e, assim sendo, mesclando-se aos já radicados; instalando-se ali a tomada de posição propriamente dita. Chegavam, em seguida, os primeiros comerciantes: Brasil Vasconcelos, Antônio Fonseca, Fidelcino Viana, que, vindos de Alcobaça, faziam elo de ligação com a Administração Municipal.[16]

Desfile de 7 de Setembro

Água Fria, primeiro nome que se deu à Povoação, em virtude da diferença de temperatura da água do ribeirão de igual nome, o qual, vindo de terras de topografia mais elevada, comparada à do Rio Itanhém, sob a sombra da selva, parecia gelada. A primeira casa à beira da barra de água fria fora construída pelo senhor Gaudêncio Gangá, em 1928, perto da Igreja Velha. Quando o senhor Oscar Cardoso apresentou o projeto de emancipação, o nome Medeiros Neto foi sugerido pelo senhor João Garcia, marido de Sinhá, que tinha uma pensão em Alcobaça, em homenagem ao Senador Dr. Antonio Medeiros Neto.[17]

Alcança a autonomia de Vila em 1953, pela Lei nº 628, de 30 de dezembro. Desmembrado do Município de Alcobaça, Medeiros Neto foi criado através da Lei Estadual de nº 1.024, de 14/08/1958, e publicada no Diário Oficial em 15/08/1958. Seu nome é uma homenagem ao senador alcobacense Antônio Garcia de Medeiros Neto (1887-1948).[18]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima de Medeiros Neto é tropical (do tipo Aw na classificação climática de Köppen-Geiger), com muito mais chuva no verão do que no inverno e temperatura média anual de 24,5 °C. Junho é o mês mais seco do ano, apresentando média de 38 mm e novembro é o mês de maior precipitação, com 163 mm de média. O mês mais quente do ano é Janeiro com temperatura média de 26,3 °C, enquanto Julho é o mais frio, com média mensal de 21,9 °C. A precipitação média anual é de 1065 mm.[19]

Dados climatológicos para Medeiros Neto
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 31,3 31,3 31,4 29,7 28,6 27,3 26,6 27,5 29,9 29,1 29,5 30,6 29,4
Temperatura média (°C) 26,3 26,3 26,3 25,1 23,9 22,5 21,9 22,5 24,3 24,5 25,1 25,7 24,5
Temperatura mínima média (°C) 21,4 21,4 21,3 20,6 19,2 17,7 17,3 17,5 18,7 19,9 20,7 20,9 19,7
Precipitação (mm) 133 90 96 78 53 38 61 42 52 129 163 130 1 065
Fonte: Climate-Data (médias de temperatura).[20]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Evolução populacional de Medeiros Neto[21][22]

Em 2016, a população do município foi contada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 23.535 habitantes.[23] Porém no censo de 2010, quando a cidade possuía 21.560 habitantes, foram levantados dados de que 11.049 (51,25%) eram homens e 10.511 (48,75%) eram mulheres. Ainda segundo o mesmo censo, 17.064 habitantes (79,15%) viviam na zona urbana e 4.496 (20,85) na zona rural. Entre 2000 e 2010, a população de Medeiros Neto cresceu a uma taxa média anual de 0,34%, bem abaixo do Brasil naquele período, que foi de 1,17%. O censo também apontou que a taxa de urbanização do município era de 79,15%. Da população total em 2010, 5.522 habitantes (25,61%) tinham menos de 15 anos de idade, 13.836 habitantes (64,17%) tinham de 15 a 64 anos e 2.202 pessoas (10,21%) possuíam mais de 65 anos, sendo que a esperança de vida ao nascer era de 71,6 anos e a taxa de fecundidade total por mulher era de 2,5.[24]

O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) de Medeiros Neto é considerado médio, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no ano de 2010. Seu valor era de 0,625, sendo o 78º maior, entre os 417 municípios da Bahia e 3587º maior, entre os 5 565 municípios do Brasil.[25] Considerando apenas a educação, o índice era de 0,501, o índice da longevidade era de 0,777; e o de renda era de 0,626. Entre 1991 e 2010, a renda per capita média do medeirense subiu de R$ 207,13 para R$ 392,49, apresentando um aumento total de 89,49%. A proporção de pessoas pobres, ou seja, com renda domiciliar per capita inferior a R$ 140,00 era de 27,86% em 2010. Já a população considerada extremamente pobre, com renda domiciliar per capita inferior a R$ 70,00, era de 9,56% no mesmo ano. O Coeficiente de Gini, que mede a desigualdade social, era de 0,53.[26]

Economia[editar | editar código-fonte]

Divisão do PIB de Medeiros Neto (2014)[27]
Setor Valor
Setor primário R$ 68.670.000,00
Setor secundário R$ 43.182.000,00
Setor terciário R$ 82.714.000,00
Administração pública R$ 61.017.000,00
Impostos R$ 13.098.000,00
Total R$ 268.681.000,00

Produto Interno Bruto (PIB) de Medeiros Neto em 2014 era de aproximadamente 270 milhões de reais. Do valor total do PIB medeirense no referido ano, 68,7 milhões advieram do setor primário, 43,2 milhões do setor secundário, 82,7 milhões do setor terciário, 61,0 milhões da Administração pública e 13,1 milhões foram arrecadados com impostos sobre produtos líquidos de subsídios. O PIB per capita era de 11,5 mil reais.[28]

Em 2010 havia 14.801 habitantes acima de 18 anos no município. Dessa faixa etária, 8.608 (58,2%) eram economicamente ativos e estavam ocupados, enquanto outros 1.482 (10%) estavam desocupados. Os demais 4.711 (31,8%) foram considerados economicamente inativos. Das pessoas ocupadas, 28,76% trabalhavam no setor agropecuário, 0,70% na indústria extrativa, 8,89% na indústria de transformação, 6,97% no setor de construção, 0,78% nos setores de utilidade pública, 12,99% no comércio e 35,89% no setor de serviços.[29]

Agropecuária[editar | editar código-fonte]

Considerando os três principais setores da economia, a agropecuária é a segunda atividade econômica mais importante do município. Quase 30% da população economicamente ativa trabalha nessa área. Algumas técnicas e implementos modernos são usados no plantio, adubação, conservação de solo, drenagem e irrigação entre tantos outros que ajudam no desenvolvimento desse setor. Dessa forma, merece destaque os principais produtos: feijão, mandioca, milho, cana-de-açúcar e eucalipto.[30]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Praça 7- A Praça 7 recebeu esse nome devido a ter sete saídas: Rua Santo Antônio, Rua Paraná, Rua do Mercado, Rua Teixeira de Freitas, Rua Camilo Prates, Avenida Oscar Cardoso e Rua Bahia.
  • Primeira Mulher- A primeira mulher a chegar à Vila de Água Fria foi dona Joana Mariana dos Santos, esposa do 1º fazendeiro, Sr. Venceslau Falador.
  • Padre e Médico- O Padre Emiliano foi o 1º sacerdote e dr. Newton Paixão Faria o primeiro médico da Vila do Águia Fria.
  • Rua Calçada- A Rua Santo Antônio foi a primeira a ser calçada. A primeira pedra foi colocado por Deoclécio Pereira Sobrinho, em 1966, e está em frente a casa do finado Tim Maia.
  • Fotógrafo- O 1º fotógrafo ambulante da vila foi Manoel Correio, que faleceu em desastre automobilístico em Pedra Azul/MG. Já o 1º fotógrafo residente estabelecido foi o Sr. José Rex, na rua São Bernardo, nº 44(Foto Rex), que chegou em Água Fria em 1952, nascido em Itapebi/BA.
  • Bar- O 1º bar da cidade foi o "Bar do Wilbur", do Sr. Wilbur, onde hoje é o Shopping das Utilidades. A energia do estabelecimento era gerado por meio de um motor existente no local.
  • Eletricidade- A termoelétrica de motor a diesel cartepillar de 45 cavalos que fornecia energia para toda a Água Fria funcionava das 18 às 22 horas.
  • Casa de barrado- A Rua do Barrado era assim conhecida pelo fato de as casas das prostitutas da época terem um barrado que as identificavam. Assim, todas as casas com um barrado eram de mulheres de programa.
  • Serraria- A primeira serraria foi a "Serrafria".
  • Cinema- O primeiro cinema foi instalado em 1951 pelo Sr. José Brito, onde hoje é o Banco do Nordeste.
  • Igreja- A Primeira Igreja Batista foi edificada por Pacífico Monteiro da Costa, em 1951, na Rua São Bernardo.
  • Táxi- O primeiro táxi foi Joel do Táxi.
  • Padaria- A primeira padaria foi de Antônio Cândido, na Rua Santo Antônio.
  • Prefeitura- A primeira sede da prefeitura foi instalada na Av. Oscar Cardoso, onde hoje é a Padaria Arte Pão.
  • Trânsito- O primeiro guarda de trânsito foi Jaime Ramalho Nóbrega.
  • Praça da Liberdade- A Praça da Liberdade recebeu esse nome devido ao fato de servir por muitos anos como local de açoite e castigo para presos. Como não existia uma cadeia, num coqueiro do local era onde os presos eram castigados. Após a construção da praça e termino dos castigos no lugar, acharam por bem o nome atual.[31]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. «IBGE | Cidades | Bahia | Medeiros Neto | Estimativa da População 2016». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  3. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios». IBGE. Consultado em 26 de março de 2017 
  4. «Google Maps». Google Maps. Consultado em 26 de março de 2017 
  5. «IBGE | Cidades | Bahia | Medeiros Neto | Estimativa da População 2016». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  6. «IBGE | Cidades | Estimativa da População 2016 | População estimada | Comparação entre os Municípios: Bahia». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  7. «IBGE | Cidades | Bahia | Medeiros Neto». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  8. «Município de Medeiros Neto, Bahia». www.cidade-brasil.com.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  9. «Clima: Medeiros Neto - Gráfico climático, Gráfico de temperatura, Tabela climática - Climate-Data.org». pt.climate-data.org. Consultado em 26 de março de 2017 
  10. «IBGE | Cidades | Bahia | Medeiros Neto | Histórico». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  11. «MedeirosNeto.com». www.medeirosneto.com.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  12. «Dados do Município | Prefeitura de Medeiros Neto». medeirosneto.ba.gov.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  13. «Cidade de Medeiros Neto Bahia | Cidades do meu Brasil». www.cidadesdomeubrasil.com.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  14. http://www.phocus.com.br, Phocus - Interact -. «CityBrazil - História da Cidade de Medeiros Neto - Bahia». www.citybrazil.com.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  15. «MedeirosNeto.com». www.medeirosneto.com.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  16. «Cidade de Medeiros Neto Bahia | Cidades do meu Brasil». www.cidadesdomeubrasil.com.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  17. http://www.phocus.com.br, Phocus - Interact -. «CityBrazil - História da Cidade de Medeiros Neto - Bahia». www.citybrazil.com.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  18. «MedeirosNeto.com». www.medeirosneto.com.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  19. «Clima: Medeiros Neto - Gráfico climático, Gráfico de temperatura, Tabela climática - Climate-Data.org». pt.climate-data.org. Consultado em 26 de março de 2017 
  20. CLIMATE-DATA. «CLIMA: MEDEIROS NETO». Consultado em 26 de março de 2017 
  21. Atlas Brasil. «Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil». Consultado em 26 de março de 2017 
  22. IBGE. «Medeiros Neto - População estimada 2016». Consultado em 26 de março de 2017 
  23. «IBGE | Cidades | Bahia | Medeiros Neto | Estimativa da População 2016». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 26 de março de 2017 
  24. «Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil». Atlas. Consultado em 26 de março de 2017 
  25. «IDHM Municípios 2010». PNUD Brasil. Consultado em 26 de março de 2017 
  26. «Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil». Atlas. Consultado em 26 de março de 2017 
  27. «Produto Interno Bruto dos Municípios 2014 - Medeiros Neto». IBGE. Consultado em 26 de março de 2017 
  28. «Medeiros Neto - PIB 2014». IBGE. Consultado em 26 de março de 2017 
  29. «Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil». Atlas Brasil. Consultado em 20 de março de 2017 
  30. «Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil». Atlas Brasil. Consultado em 26 de março de 2017 
  31. CARDOSO, Jafé da Silva et al. Projeto Memória: Segredos de Água Fria: A gênese de criação da cidade de Medeiros Neto. [2016]?]. 26 p.Projeto (Pedagogia)- Parfor, Medeiros Neto-BA, [2016]?].

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Medeiros Neto