Medicina natural

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde outubro de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde março de 2016).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.

A medicina natural (também chamada de naturopatia) é uma terapia complementar, que enfatiza a capacidade intrínseca do corpo para curar-se e manter-se. Naturopatas utilizam recursos naturais como ervas e alimentos ao invés de fármacos sintéticos e cirurgias. A naturopatia inclui muitas modalidades de tratamento, tendo uma abordagem holística da assistência ao paciente, que pode ser acompanhada juntamente com a medicina alopática. O termo naturopatia foi utilizado pela primeira vez pelo Dr. John Scheel, em 1885.[1] Em 1902 Benedict Lust também passou a utilizar.

Este tipo de prática, aborda o paciente como se fosse único e os tratamentos são específicos para cada pessoa.[2]

A medicina natural tenta combinar a sabedoria da natureza com os rigores da ciência moderna. Repleto de métodos tradicionais de cura, princípios e práticas, medicina natural incide sobre holística, prevenção pró-ativa e abrangente diagnóstico e tratamento. Usando protocolos que minimizem o risco de danos, ajudar a facilitar a capacidade inerente do corpo para restaurar e manter a saúde óptima. É o papel do médico natural para identificar e eliminar os obstáculos à boa saúde, ajudando a criar um ambiente interno e externo de cura. Doutores em medicina natural trabalham em consultórios particulares, hospitais, clínicas e centros de saúde da comunidade. Práticam em muitos dos Estados Unidos e Canadá. Naturopatas qualificados passam por um rigoroso treinamento antes de se tornarem medicos licenciados. NDs podem tratar todas as condições médicas e podem fornecer cuidados de saúde individual e familiar. Entre as doenças mais comuns que eles tratam são alergias, dor crônica, problemas digestivos, desequilíbrios hormonais, obesidade, doenças respiratórias, doenças cardíacas, problemas de fertilidade, menopausa, fadiga adrenal, câncer, Fibromialgia e Síndrome de fadiga crônica. DEs pode realizar pequenas cirurgias, como a remoção de cistos ou costurando ferimentos superficiais. No entanto, eles não praticam cirurgia de grande porte, somente pequenas cirurgias. NDs são treinados para utilizar medicamentos, embora a ênfase da medicina naturopática é a utilização de agentes de cura natural. [3]

Os médicos naturopatas ganham um salário médio nos USA de $85.050 por ano. Salários normalmente começam a partir de $41.250 e vão até $138.130. Podendo chegar a mais de $200.000. [4]

Um médico naturopata licenciado ou medico em medicina natural nos USA, precisa comparecer a quatro anos, em nível de pós-graduação da escola médica. O naturopata e é educado em todas as mesmas ciências básicas como um Medico convencional , mas também estuda abordagens holísticas e não tóxicos para a terapia com uma forte ênfase na prevenção de doenças e otimização de bem-estar . Além de um currículo médico padrão , o médico naturopata também estuda nutrição clínica , a medicina homeopática , medicina botânica , psicologia e aconselhamento. Um médico naturopata faz rigorosos exames profissionais para que ele ou ela pode ser licenciado por um estado ou jurisdição. Por favor, veja Perfil de Competência Profissional do AANMC para mais informações. Informações adicionais sobre as escolas naturopatas podem ser encontrados na Associação Americana do site Naturopathic Medical Colleges.[5]

Conceito e definição[editar | editar código-fonte]

A Naturologia afirma utilizar métodos naturais, tradicionais e modernos de cuidado, visando a promoção, manutenção e recuperação da saúde, a melhoria da qualidade de vida e o equilíbrio do ser humano com o meio em que vive.[6][7][8] Seus adeptos creditam isso à crença de que os processos de saúde são considerados como desencadeadores do bem estar e da qualidade de vida e estão intrinsecamente relacionados aos níveis psíquicos, emocionais, físicos e sociais.[9]

Possui no Brasil ensino no nível superior.[10]

Segundo o artigo de Sabbag et. al: Pode-se definir Naturologia como "um conhecimento da área da saúde embasado na pluralidade de sistemas terapêuticos complexos vitalistas, que parte de uma visão multidimensional do processo de saúde-doença e utiliza da relação de interagência e de práticas integrativas e complementares no cuidado e atenção a saúde"[11].

Clínica naturopata[editar | editar código-fonte]

Os médicos naturopatas não se limitam a tratar apenas os sintomas de seus pacientes. Desenvolvem uma série de técnicas para encontrarem uma causa paralela à doença. No consultório, observam também a conduta emocional, o caráter e são utilizados diversos exames clínicos tais como: palpação, avaliação das unhas, pulso, observação da fala, língua, ouvidos, entre outros.[12]


Notas e referências

  1. «Naturopatia» (em italiano). Consultado em 22/01/2009. 
  2. «ABORDAGENS TERAPÊUTICAS». Consultado em 01/10/2016. 
  3. http://www.naturopathic.org/content.asp?contentid=60
  4. https://www.sokanu.com/careers/naturopathic-physician/salary/ http://explorehealthcareers.org/en/Career/83/Naturopathic_Physician
  5. http://www.naturopathic.org/education
  6. RODRIGUES, D. M. O.; HELLMANN, F.; DARÉ, P. K.; WEDEKIN, L. Naturologia Diálogos e Perspectivas. Tubarão, SC: Editora Unisul, 2012. 227p. ISBN 978-85-8019-045-8.
  7. HELLMAN,Fernando; WEDEKIN,Luana e DELLAGUSTIANA, Marilene. Naturologia Aplicada - reflexões sobre a saúde
  8. SABBAG, S. H. F. et all. Naturologia no Brasil: avanços e desafios. Cad. Naturol. Terap. Complem – Vol. 2, N° 2 – 2013 31. Disponível em: http://www.portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/CNTC/article/view/1850/1321
  9. RAMIRES, José Antônio F. Viva com mais saúde: 51 especialistas da USP orientando você a viver mais e melhor. 1. ed. São Paulo: Phorte, 2009. 478 p
  10. HELLMANN, Fernando; VERDI, Marta Inez Machado. Temas e referenciais de análise em Bioética no ensino da graduação em naturologia no Brasil à luz da bioética social. Interface (Botucatu), Botucatu , v. 16, n. 42, Sept. 2012 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832012000300012&lng=en&nrm=iso>. access on 22 Mar. 2015. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832012000300012.
  11. Sabbag, Silvia Helena Fabbri; Beatriz Mendes Reis. (2013-07-16). "A NATUROLOGIA NO BRASIL: AVANÇOS E DESAFIOS" (em pt). Cadernos de Naturologia e Terapias Complementares 2 (2): 11–31. ISSN 2316-915X.
  12. COUTINHO, Gilberto. «Entenda a naturopatia». Consultado em 22/01/2009. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.