Mehmet Ali Ağca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mehmet Ali Ağca
Data de Nascimento 9 de janeiro de 1958 (58 anos)
Local de Nascimento Hekimhan,  Turquia
Crime (s) Tentativa de assassinato (Papa João Paulo II)
Assassinato (de Abdi İpekçi)
Roubo
Furto

Mehmet Ali Ağca (Nascido na Provincia de Malatya em 9 de janeiro de 1958, numa família pobre da Turquia) é um assassino, de origem turca, que matou um notório jornalista de esquerda, Abdi İpekçi, em 1 de fevereiro de 1979 e depois tentou assassinar o Papa João Paulo II em 13 de maio de 1981, após escapar de uma prisão turca.[1]

Após a tentativa de assassinado do Papa, ele começou a servir sua sentença em uma prisão na Itália. Dezenove anos depois, ele foi visitado por João Paulo II e então decidiu se converter ao catolicismo. Logo depois ele foi deportado para a Turquia, onde serviu mais dez anos na cadeia. Ele foi solto em 18 de janeiro de 2010.[2] Ağca se descreveu como um mercenário sem afiliações políticas, embora acredita-se que tenha feito parte do grupo ultra-nacionalista turco Lobos Cinzentos.[3]

Em 27 de dezembro de 2014, trinta e três anos após o crime que cometeu, Mehmet Ali Ağca voltou ao Vaticano e depositou rosas na tumba do Papa João Paulo II.[4][5]

Referências

  1. "Saiba quem é Mehmed Ali Agca, o homem que tentou matar João Paulo 2º". Página acessada em 16 de outubro de 2015.
  2. «Man who shot pope released from prison» [S.l.: s.n.] CNN. 18 de janeiro de 2010. Consultado em 16 de outubro de 2015. 
  3. Komisar, Lucy (16 de outubro de 2015). «The Assassins of a Pope». Albion Monitor [S.l.: s.n.] 
  4. "Pope John Paul II's Would-be Assassin Puts Roses on Tomb". Página acessada em 16 de outubro de 2015.
  5. "Pope gunman Mehmet Ali Agca visits John Paul II's grave". Página acessada em 16 de outubro de 2015.
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Mehmet Ali Ağca
Ícone de esboço Este artigo sobre criminosos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.