Memórias de uma Guerra Suja

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Memórias de uma Guerra Suja
Memórias-de-uma-guerra-suja.jpg
Autor(es) Rogério Medeiros e Marcelo Netto
Idioma português
País Brasil
Assunto política, ditadura militar
Editora Topbooks
Lançamento 2012
Páginas 291
ISBN 9788574752044

Memórias de uma Guerra Suja é um livro de autoria de Rogério Medeiros e Marcelo Netto com depoimentos do ex-delegado do DOPS Cláudio Guerra, lançado em 2012 pela editora Topbooks.

Hoje pastor evangélico da Assembléia de Deus,[1] Claúdio Guerra narra aos jornalistas seus anos como agente da repressão durante a ditadura militar brasileira entre os anos de 1970 a início dos anos 80, e joga luzes sobre fatos históricos daquela época, como o atentado do Riocentro, a morte da estilista Zuzu Angel, a morte do delegado Sérgio Fleury, os atentados a bomba à sede da OAB e a redações de jornais e revistas[2], a morte do jornalista Alexandre von Baumgarten em 1982 e o fim de diversos militantes comunistas que, segundo o livro, depois de torturados e assassinados tiveram seus corpos incinerados por ele e sua equipe numa usina de açúcar em Campos, Estado do Rio de Janeiro.[3]

As denúncias de Guerra no livro provocaram a intervenção do Ministério Público Federal e da Polícia Federal brasileira no caso, que levaram a investigações sobre os fatos narrados, especialmente à tentativa de descoberta de corpos nos locais assinalados no livro pelo ex-delegado, no Rio e em Minas Gerais.[4]

Em junho de 2012 o livro encontrava-se como o 8ª mais vendido no país em seu gênero[5].

Referências

  1. «As confissões do matador Cláudio Guerra». Observatório da Imprensa. Consultado em 7 de junho de 2012. 
  2. «Sinopse». Livraria Cultura. Consultado em 7 de junho de 2012. 
  3. «Memórias de uma guerra suja». Observatório da Imprensa. Consultado em 7 de junho de 2012. 
  4. «PF vai investigar crimes citados em livro de ex-agente do Dops». O Globo. Consultado em 4 de maio de 2012. 
  5. «Os livros mais vendidos». Veja. Consultado em 7 de junho de 2012.. Arquivado do original em 5 de junho de 2013