Menchevique

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Líderes do Partido Menchevique em Norra Bantorget, Estocolmo, maio de 1917. Pavel Axelrod, Julius Martov e Alexander Martinov.

Os mencheviques(em russo: меньшевики́)[1][2] pertenciam a uma facção do movimento revolucionário russo que surgiu em 1903 depois da disputa entre Vladimir Lenin e Julius Martov, ambos membros do Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR). Quando da realização do Segundo Congresso do POSDR, Lenin defendeu a ideia de ter um pequeno partido composto de revolucionários profissionais com um grande número de apoiantes e simpatizantes que não seriam membros do partido. Martov discordou, achava que seria melhor ter um grande partido de ativistas de grande representação. A disputa entre Lenin e Martov foi acirrada. Durante o congresso, Martov conseguiu que uma discreta maioria dos delegados apoiasse sua proposta. No entanto, quando o Comitê Central do partido foi eleito, a maioria votou a favor da facção de Lenin. Os apoiantes de Martov ficaram conhecidos como "Mencheviques", enquanto que a facção de Lenin ficou conhecida como os Bolcheviques.

Contrariando a decisão dos delegados, o Comitê Central adotou a posição de Lenin. É devido a isso que Menchevique deriva da palavra russa меньшинство ("minoria") enquanto que Bolchevique é derivado de большинство ("maioria").

Curiosamente, os Mencheviques tiveram por muito tempo mais apoio popular do que os Bolcheviques. O Governo Provisório Russo foi majoritariamente Menchevique, e mesmo após sua deposição, os bolcheviques tiveram que recorrer a uma luta política intensa contra seus simpatizantes, tanto na Guerra Civil Russa quanto por cerca de 1 ano depois.

Referências

  1. The Great Events of the Great War: A.D. 1917. By Charles Francis Horne. National Alumni [printed by J.J Little & Ives Company, 1920. p328
  2. Lenin. By Mark Aleksandrovich Aldanov. E. P. Dutton, 1922. p10