Menipo de Gadara

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Menipo, pintura por Velázquez, Museu do Prado

Menipo, em grego antigo: Μένιππος, foi um cínico e escritor sarcástico e burlesco que existiu por volta da primeira metade do século III a.C. Seu nome inspirou a criação do gênero literário chamado de Sátira menipeia.[1] Suas obras, que estão todos perdidos, seu estilo e escolha de assuntos influenciaram importantes escritores da antiguidade,[2] os dois únicos escritores antigos que explicitamente ligam as suas obras à Menipo são Varro, que escreveu o que São Jerônimo rotula como Satirarum Menippearum Libros CL, e Luciano, que escreveu vários diálogos com Menipo sendo um personagem.[3]

Vida[editar | editar código-fonte]

Pouco se sabe sobre a vida de Menipo. Ele era natural de Gadara em Cele-Síria.[4] As fontes antigas concordam que ele era um escravo. Ele estava a serviço de um cidadão de Ponto, mas, de alguma forma obteve sua liberdade e viveu em Tebas. Diógenes Laércio[5] relata uma história duvidosa que ele acumulou uma fortuna como agiota, a perdeu e então se matou.[6]

Obras[editar | editar código-fonte]

Sua obras, todas perdidas, incluem: [7][8]

  • Νέκυια – Necromancia
  • Διαθῆκαι – Desejos
  • Ἐπιστολαὶ κεκομψευμέναι ἀπὸ τῶν θεῶν προσώπου – Cartas Espirituosas Escritas como que pelos Deuses
  • Πρὸς τοὺς φυσικοὺς καὶ μαθηματικοὺς καὶ γραμματικοὺς – Respostas aos filósofos naturais, matemáticos e gramáticos
  • Γονὰς Ἐπικούρου – O nascimento de Epicuro
  • Τὰς θρησκευομένας ὑπ' αὐτῶν εἰκάδας – A reverência da Escola do vigésimo dia (comemorado na escola epicurista)

Referências

  1. Luciano de Samósata (1989). Diálogos dos Mortos [Bilíngüe Grego-Português]. EdUSP. p. 50. ISBN 978-85-314-1036-9.
  2. Luis E. Navia (1996). Classical Cynicism: A Critical Study. Greenwood Publishing Group. p. 157. ISBN 978-0-313-30015-8.
  3. Leah Kronenberg (2009). Allegories of Farming from Greece and Rome: Philosophical Satire in Xenophon, Varro, and Virgil. Cambridge University Press. p. 5. ISBN 978-1-139-48863-1.
  4. Estêvão de Bizâncio, Estrabão, xvi.
  5. Diógenes Laércio, vi. 99, 100
  6. "A tradição que ele era um agiota e especulador de seguro marítimo é provavelmente apócrifa, permanecendo como sempre na duvidosa autoridade de Hermipo de Esmirna.", Donald R. Dudley (March 2007). A History of Cynicism - From Diogenes to the 6th Century A.D.. Read Books. p. 70. ISBN 978-1-4067-0890-5.
  7. R. BRACHT BRANHAM; MARIE-ODILE-GOULET CAZE. Os Cínicos. LOYOLA. p. 88. ISBN 978-85-15-03223-5.
  8. Diógenes Laércio, Vidas e Doutrinas dos Filósofos Ilustres, vi. 101