Menir dos Almendres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Menir dos Almendres, Évora.

O Menir dos Almendres localiza-se na freguesia de Nossa Senhora de Guadalupe, no concelho de Évora, Distrito de Évora, em Portugal.

Constitui-se num menir de granito porfiróide de grandes dimensões, com cerca de 3,5 metros de altura a partir da superfície do solo, com secção elíptica de 1,20 x 0,80 metros. Está implantado no topo da encosta, 1,3 km a nordeste do Cromeleque dos Almendres, apresentando-se isolado deste,[1] embora se suponha haver íntima relação, entre ambos, uma vez que o seu alinhamento coincide com o nascer do sol no Solstício de Verão.[2]

O menir foi reerguido pelo seu proprietário, embora se suponha que a sua localização original esteja perto da actual.[1] Uma vez que está implantado em propriedade privada, o menir encontra-se rodeado por uma vedação circular de estacas de madeira e arame.[2]

O cromeleque foi descoberto em 1964, pelo investigador Henrique Leonor Pina, quando se procedia ao levantamento da Carta Geológica de Portugal. Todo o sítio arqueológico abrange uma extensa faixa cronológica, desde o Neolítico Médio até à Idade do Ferro, entre finais do sexto e inícios do terceiro milénios antes de Cristo, compondo-se de um cromeleque de planta circular irregular, composto por cerca de noventa e cinco monólitos graníticos dispostos em pequenos agrupamentos numa área de cerca de 70 x 40 m, com uma orientação noroeste-sudeste.[1] Ostenta no seu terço superior uma decoração composta por um báculo e uma faixa de linhas onduladas.[3]

O sítio constitui-se como o conjunto de menires estruturados da Península Ibérica, e um dos mais relevantes do megalitismo europeu. Desde 1974 que o cromeleque e o menir são património protegido por lei, inicialmente como Imóvel de Interesse Público (IIP). Em 2015, o Cromeleque dos Almendres foi reclassificado como Monumento Nacional, mantendo o menir a classificação como IIP.[1]

A equipa coordenada pelo investigador Mário Varela Gomes tem tentado encontrar o povoamento que estaria associado aos monumentos megalíticos encontrados neste site arqueológico, tendo identificado um pequeno povoado calcolítico nas suas imediações. Todo o sítio terá sido em tempos um local de culto, com forte carga mágico-simbólica, evidenciando um bom exemplo de reutilização ao longo dos tempos de um mesmo espaço sacralizado.[1]

Referências

  1. a b c d e «DGPC | Pesquisa Geral». patrimoniocultural.gov.pt. Consultado em 4 de Novembro de 2017 
  2. a b Cipriano, Rita; Amaral, Hugo. «Há um Stonehenge no Alentejo. O problema é encontrá-lo». Observador. Consultado em 4 de Novembro de 2017 
  3. «Menir de Almendres». monumentos.gov.pt. Consultado em 4 de Novembro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Menir dos Almendres
Ícone de esboço Este artigo sobre Património de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.