Saltar para o conteúdo

Mercado Municipal da Avenida de Lagos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mercado Municipal da Avenida de Lagos
Mercado Municipal da Avenida de Lagos
Localização Freguesia de São Sebastião, no Concelho de Lagos, em Portugal
Inauguração 1924
Proprietário Câmara Municipal de Lagos
Administração Câmara Municipal de Lagos
Incorporação Câmara Municipal de Lagos
Números
Lojas 6 lojas, 35 bancas de peixe, 18 bancas de fruta e 5 talhos
Estacionamento 3 bolsas de estacionamento
Andares 2 cobertos, mais 1 terraço no topo do edifício
Mercado Municipal da Avenida de Lagos
Mapa
Localização do edifício
37° 06′ 14,83″ N, 8° 40′ 23,38″ O

O Mercado Municipal da Avenida, também conhecido por Mercado Municipal ou Mercado da Avenida, é um edifício localizado no centro de Lagos, em Portugal.

Descrição[editar | editar código-fonte]

O edifício divide-se em três pisos, sendo o térreo ocupado por bancas de peixe e marisco, talhos e um espaço de venda de gelo, enquanto que no primeiro andar foram criados espaços para um café e seis lojas, que comercializam vários produtos, especialmente frutas e os legumes. No terceiro andar situa-se um restaurante e um terraço com vista para a baía de Lagos, e um acesso pedonal para o Centro Ciência Viva de Lagos, instalado nas traseiras do Mercado Municipal. A comunicação entre os três pisos é feita através de uma escadaria e de um elevador panorâmico.[1]

A parede Sul do edifício encontra-se revestida por painéis de azulejos, da autoria do artista plástico Xana.[2]

Postal dos princípios do Século XX, mostrando o Mercado do Peixe.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes e construção[editar | editar código-fonte]

De acordo com o historiador Manuel João Paulo Rocha, em 1850 a autarquia ordenou a construção de um mercado do peixe na Rua da Porta de Portugal, na sequência de vários esforços por parte dos pescadores em ter um açougue próprio, e em 1904 edificou um novo mercado de peixe na mesma rua, enquanto que o antigo foi destinado provisoriamente à venda de frutas e hortaliças.[3]

O edifício do Mercado Municipal foi construído em 1924, no local onde antes se encontrava a Fábrica da Porta de Portugal, destruída por completo num incêndio em 1915.[4] Inicialmente, este edifício servia apenas para a venda de frutas e legumes, motivo pelo qual se denominava de Mercado Central de Fructas ou Praça da Fruta.[5] Porém, nos finais da década de 1950, decidiu-se que o piso térreo seria dedicado apenas à comercialização de pescado, de forma a se poder demolir o mercado do peixe, que se situava junto ao antigo edifício dos Paços do Concelho.[5]

Interior do Mercado, vendo-se a escadaria de acesso aos pisos superiores, e os painéis de azulejos.

Renovação[editar | editar código-fonte]

O edifício sofreu obras de remodelação entre 2002 e 2004,[6] tendo sido entretanto utilizada uma estrutura temporária construída para esse efeito em 2001.[7] Este programa de renovação implicou um investimento de aproximadamente 3 milhões de euros, e teve como finalidade melhorar a estética e a funcionalidade do edifício, de forma a torná-lo num espaço de convívio, sem perder os seus traços originais.[1] Por outro lado, foram resolvidos vários problemas de segurança, higiene e de qualidade, e a estrutura do edifício, que se encontrava já muito envelhecida, foi renovada.[8] Porém, as obras de renovação foram contestadas pelos comerciantes, que apontaram, entre outras falhas, uma redução nas dimensões dos expositores e problemas no estacionamento.[8] Em resposta a estas críticas, o então presidente da Câmara Municipal de Lagos, Júlio Barroso, anunciou que se iriam melhorar as facilidades de estacionamento no local.[8]

Em 27 de Outubro de 2004, a escritora Sophia de Mello Breyner Andresen foi homenageada com uma inscrição, no Mercado Municipal, do seu texto O Caminho da Manhã.[9] Em 2006, o edifício do Mercado Municipal foi um dos dezoito candidatos ao Prémio Nacional de Arquitectura Alexandre Herculano.[1] No mesmo ano, foi realizada na escadaria do Mercado uma exposição de Maias, bonecas de trapo típicas da Festa das Maias.[10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Lagos candidata-se ao Prémio Nacional de Arquitectura "Alexandre Herculano"». Câmara Municipal de Lagos. 25 de Setembro de 2006. Consultado em 31 de Julho de 2010. Arquivado do original em 26 de Setembro de 2006 
  2. «Artístico / Arte Pública: Painel de azulejos no Mercado Municipal». Câmara Municipal de Lagos. Consultado em 8 de Maio de 2020 
  3. ROCHA, 1909:49
  4. «Ao Toque da Sirene». 5 Sentidos. Agosto de 2010. p. 28-29 
  5. a b PAULA, 1992:217
  6. «Mercado Municipal - Lagos». Mário Martins Atelier. Consultado em 10 de Maio de 2020 
  7. «Instalações Provisórias do Mercado Municipal da Avenida, em Lagos». Neocivil. Consultado em 31 de Julho de 2010 [ligação inativa] 
  8. a b c PALMA, Luísa (28 de Junho de 2004). «Mercado Municipal de Lagos não é funcional». Região Sul. Consultado em 31 de Julho de 2010 [ligação inativa] 
  9. «Sophia de Mello Breyner recordada na Biblioteca Municipal de Lagos». Região Sul. 15 de Novembro de 2004. Consultado em 31 de Julho de 2010 [ligação inativa] 
  10. «Exposição "As Maias" em Lagos». RADIX - Ministério da Cultura. Consultado em 31 de Julho de 2010 [ligação inativa] 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]