Mercado Municipal de Curitiba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mercado Municipal de Curitiba
Mercado Público
Vista interna do Mercado Municipal
Arquiteto Saul Raiz
Início da construção 1956
Fim da construção 1958
Inauguração 2 de agosto de 1958 (61 anos)
Proprietário atual Prefeitura Curitiba
Endereço Jardim Botânico - Curitiba

O Mercado Municipal de Curitiba é um tradicional mercado público da capital do estado brasileiro do Paraná.

Com ampla variedade, ali são comercializados desde carnes e peixes à picolés asiáticos, porém, seus principais itens são frutas, produtos orgânicos, além de doces, chocolates, presentes e artesanato.

Sua praça de alimentação conta com vários restaurantes, que servem desde comidas típicas brasileiras à alimentos de preparação asiática.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro mercado público da cidade de Curitiba surgiu em 1864, no antigo Largo da Ponte, atual Praça Zacarias,[1] em um imóvel de propriedade do governo da província do Paraná e localizado numa construção ao lado do Rio do Ivo. O mercado era popularmente chamado de Mercado dos Quartinhos.[2] Em 1869, o governo requisitou a desocupação do local e assim o mercado desapareceu por quatro anos, até que em 1873, no dia do aniversário da emancipação do Paraná, em 19 de dezembro, foi lançada a pedra fundamental para a construção de uma nova sede, agora localizado no Largo da Cadeia, atual Praça Generoso Marques.[3] Em 11 de outubro de 1874, foi inaugurado o novo Mercado Municipal de Curitiba. Em 1890 o Largo da Cadeia foi rebatizado como Largo do Mercado.

Em 1912, o prédio foi fechado e demolido para dar lugar ao Paço Municipal, e assim o mercado foi transferido provisoriamente para o Largo da Nogueira, atual Praça 19 de Dezembro. Em 1915, nova transferência, agora para um imóvel em estilo Chalet, no Batel, que ficava onde é hoje a Praça Theodoro Bayma. Neste endereço permaneceu até 1937, quando foi demolido e novamente os curitibanos ficaram sem um entreposto fixo para a compra de víveres.

Com a execução do projeto Agache, foi planejado para a cidade um lugar específico para o Mercado Municipal, porém, a execução não saiu do papel e neste meio tempo a prefeitura regulamentou as feiras livres, assim os hortifrutigranjeiros percorriam os bairros da capital para a venda de seus produtos. Cada dia da semana era em uma diferente região.

Nei Braga, quando eleito prefeito em 1954, aprovou a Lei N° 1.136/1955, que determinou a construção do "novo" Mercado Municipal de Curitiba. Entre maio de 1956 e julho de 1958, o projeto do engenheiro Saul Raiz foi executado em um terreno, defronte às oficinas da antiga Rede Ferroviária, atual Rodoferroviária de Curitiba, inaugurado em 2 de agosto de 1958[4].

Em 2010, foi reformado e ampliado, passando a ocupar toda a quadra entre a Avenida Sete de Setembro e a Avenida Presidente Affonso Camargo[5].

Referências

  1. SGANZERLA, 2005, p14.
  2. Mercados & Cia Gazeta do Povo - Publicado em 08/09/2013 por CID DESTEFANI
  3. SGANZERLA, 2005, p118.
  4. SGANZERLA, 2005, p119.
  5. 2010 – Ampliação do Mercado Municipal de Curitiba Portal Parana-online — acessado em 6 de julho de 2010
  • Linha do Tempo Site do Mercado Municipal de Curitiba – acessado em 6 de julho de 2010

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SGANZERLA, Eduardo. Mercado Municipal de Curitiba.Curitiba: Ed. Esplendor; 2005, 148p