Mercado Municipal de Curitiba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mercado Municipal de Curitiba
Mercado Público
Vista interna do Mercado Municipal
Arquiteto Saul Raiz
Início da construção 1956
Fim da construção 1958
Inauguração 2 de agosto de 1958 (64 anos)
Proprietário atual Prefeitura Curitiba
Geografia
País Brasil
Localidade Curitiba
Endereço Jardim Botânico - Curitiba
Coordenadas 25° 26' 05" S 49° 15' 25" O

O Mercado Municipal de Curitiba é um tradicional mercado público da capital do estado brasileiro do Paraná.[1]

Com ampla variedade, ali são comercializados alimentos, como frutas, hortigranjeiros, bebidas, queijos, ervas medicinais, temperos e especiarias, iguarias, conservas, pescados, embutidos, carnes exóticas e com cortes especiais, produtos de decoração, utensílios domésticos, produtos de limpeza, armarinhos, chocolates e outros.

Sua praça de alimentação conta com vários restaurantes e lanchonetes.[2][3]

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro mercado público da cidade de Curitiba surgiu em 1864, no antigo Largo da Ponte, atual Praça Zacarias,[4] em um imóvel de propriedade do governo da província do Paraná e localizado numa construção ao lado do Rio do Ivo. O mercado era popularmente chamado de Mercado dos Quartinhos.[5] Em 1869, o governo requisitou a desocupação do local e assim o mercado desapareceu por quatro anos, até que em 1873, no dia do aniversário da emancipação do Paraná, em 19 de dezembro, foi lançada a pedra fundamental para a construção de uma nova sede, agora localizado no Largo da Cadeia, atual Praça Generoso Marques.[6] Em 11 de outubro de 1874, foi inaugurado o novo Mercado Municipal de Curitiba. Em 1890 o Largo da Cadeia foi rebatizado como Largo do Mercado.

Em 1912, o prédio foi fechado e demolido para dar lugar ao Paço Municipal, e assim o mercado foi transferido provisoriamente para o Largo da Nogueira, atual Praça 19 de Dezembro. Em 1915, nova transferência, agora para um imóvel em estilo Chalet, no Batel, que ficava onde é hoje a Praça Theodoro Bayma. Neste endereço permaneceu até 1937, quando foi demolido e novamente os curitibanos ficaram sem um entreposto fixo para a compra de víveres.

Com a execução do projeto Agache, foi planejado para a cidade um lugar específico para o Mercado Municipal, porém, a execução não saiu do papel e neste meio tempo a prefeitura regulamentou as feiras livres, assim os hortifrutigranjeiros percorriam os bairros da capital para a venda de seus produtos. Cada dia da semana era em uma diferente região.

Nei Braga, quando eleito prefeito em 1954, aprovou a Lei n° 1.136/1955, que determinou a construção do "novo" Mercado Municipal de Curitiba. Entre maio de 1956 e julho de 1958, o projeto do engenheiro Saul Raiz foi executado em um terreno, defronte às oficinas da antiga Rede Ferroviária, atual Rodoferroviária de Curitiba, inaugurado em 2 de agosto de 1958.[7][8]

Em 2010, foi reformado e ampliado, passando a ocupar toda a quadra entre a Avenida Sete de Setembro e a Avenida Presidente Affonso Camargo.[9][10]

Referências

  1. Curitiba, Prefeitura de. «Mercado Municipal de Curitiba». www.curitiba.pr.gov.br. Consultado em 29 de setembro de 2020 
  2. «Sobre o Mercado – Mercado Municipal de Curitiba». Consultado em 29 de setembro de 2020 
  3. «O Mercado Municipal na história de Curitiba». www.turistoria.com.br. 15 de outubro de 2021. Consultado em 26 de abril de 2022 
  4. SGANZERLA, 2005, p14.
  5. Mercados & Cia Gazeta do Povo - Publicado em 08/09/2013 por CID DESTEFANI
  6. SGANZERLA, 2005, p118.
  7. SGANZERLA, 2005, p119.
  8. «Mercado Municipal faz 63 anos com projeto de boulevard e promessa de obras para 2022». Tribuna do Paraná. 2 de julho de 2021. Consultado em 2 de julho de 2021 
  9. 2010 – Ampliação do Mercado Municipal de Curitiba Portal Parana-online — acessado em 6 de julho de 2010
  10. «Mercado Municipal de Curitiba vale a pena visitar?». Viagens pelo Mundo. 5 de dezembro de 2018. Consultado em 26 de abril de 2022 

Ligações externjas[editar | editar código-fonte]

  • Linha do Tempo Site do Mercado Municipal de Curitiba – acessado em 6 de julho de 2010

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SGANZERLA, Eduardo. Mercado Municipal de Curitiba.Curitiba: Ed. Esplendor; 2005, 148p