Mercado de pulgas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde abril de 2013). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
Comerciantes no mercado das pulgas.

O mercado das pulgas (português brasileiro) ou feira da ladra (português europeu) é um local onde diversos vendedores se reúnem para comercializar bens antigos, usados e outras mercadorias, inclusive de fabricação artesanal.

O mercado das pulgas original é o "Marché aux puces" de Saint-Ouen, nos subúrbios do norte de Paris, um grande bazar ao ar livre (um dos quatro existentes em Paris) que recebeu seu nome por causa da venda de vestuário, muitas vezes infestado por pulgas.

Na cidade de Curitiba, existe um estabelecimento do gênero com o nome próprio de Mercado das Pulgas. Um ponto cultural e turístico da cidade e que durante 3 anos teve vinculado em canais de televisão locais de Curitiba, um programa que contava o dia-a-dia das lojas, 24 horas. No programa eram realizadas entrevistas com visitantes, personalidades, estrangeiros e sempre contava com um tom de cultura e entretenimento.

Entre as feiras brasileiras surgidas em contexto semelhante as europeias "Flohmarkt" se destaca o Mercado de Pulgas de Hamburgo Velho, que acontece mensalmente no centro histórico de Novo Hamburgo no Rio Grande do Sul. A feira foi criada por um coletivo de artistas locais denominado Coletivo Consciência Coletiva.

Mercado de pulgas realizado pelo Coletivo Consciência Coletiva - em Novo Hamburgo, RS, Brasil

O local foi escolhido com o propósito de restabelecer o vinculo dos cidadãos Hamburguenses com seu centro histórico, que sofre processo de gentrificação e forte especulação imobiliária. A feira tem estimulado a produção de artesãos e artistas plásticos locais e a troca e comercio de itens de segunda mão.

Em todas as edições ocorre em paralelo a Ação Arte Contemporânea Independente, projeto que vem alçando ao público a nova produção artística da região. Sua primeira edição aconteceu em 2013. Hoje milhares de pessoas circulam a cada edição da feira, que passou a representar um novo ambiente artístico de Novo Hamburgo, já conhecida por ser berço de mestres das artes plásticas como Ernesto Frederico Scheffel.

Uma das característica do Mercado de Pulgas de Hamburgo Velho é sua construção sustentada por apoio mútuo entre a comunidade. Por não haver custo para o expositor, o que a difere das Flohmarkt ou outras feiras parecidas no Brasil, a estrutura de cada edição e sua divulgação é feita de maneira espontânea.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mercado de pulgas