Mercadona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mercadona em Finestat, València.
Mercadona em Peligros, Granada

A Mercadona é uma cadeia de supermercados familiar de capital espanhol, fundada por Juan Roig Alfonso, que conta com mais de 1.600 estabelecimentos[1]. Baseia-se num modelo de comércio de proximidade, pelo que comercializa produtos locais de alimentação, higiene pessoal, limpeza do lar e cuidado de animais de estimação, através das suas marcas próprias: Hacendado (Alimentação), Bosque Verde (Cuidado do Lar), Deliplus (Higiene Pessoal) e Compy (cuidado de animais de estimação)[2].

A Mercadona conta com um quadro de mais de 84.000 colaboradores[3] em Espanha e uma rede de 120 interfornecedores fabricantes e mais de 20.000 PME e produtores de matérias-primas, o que faz com que seja líder de vendas em Espanha, com vendas de 22.915 milhões de euros em 2017 e com cerca de 5,2 milhões de famílias como clientes[4][5].[6]

O modelo de inovação que a Mercadona aplica foi objeto de análise internacional no relatório The Boston Consulting Group.[7] , e caso de estudo num debate sobre o modelo de inovação conjunta[8] com os clientes.[9]

Em Portugal[editar | editar código-fonte]

A Mercadona anunciou a sua expansão internacional em junho de 2016[10]. A cadeia de supermercados prevê abrir as  suas primeiras lojas em Portugal a partir de 2019, começando com quatro lojas localizadas na região do Grande Porto[11], e já anunciou a abertura de mais 5 lojas[12] e a construção de um bloco logístico. [13][14]

Em 2016, a Mercadona deu início ao processo de recrutamento para cobrir as necessidades de emprego[15]. Numa semana recebeu 5.000 candidaturas para o processo de contratação dos primeiros 120 diretivos para Portugal[16][17].

A cadeia de supermercados prevê criar cerca de 350 novos postos de trabalho nesta primeira fase de expansão[18], na qual irá investir 25 milhões de euros[19][20].

O presidente da Mercadona, Juan Roig, explicou a eleição de Portugal para a sua expansão internacional pela proximidade do mercado e pelo potencial que representa, tendo destacado também a “oportunidade” que a expansão oferece de forma a “aprender tanto acerca do consumidor, como do setor de distribuição[21][22]. Aliado a estes fatores, está também o facto de que a Mercadona já possui uma forte relação com fornecedores portugueses, tendo realizado  63 milhões de euros em compras neste país apenas em 2017.[23]

Em 2017, abriu portas o Centro de Coinovação de Matosinhos, no qual a Mercadona se propõe a conhecer os gostos e hábitos do “Chefe” português (como a Mercadona chama internamente ao cliente) com o objetivo de desenvolver uma gama de produtos que o satisfaça[24]. Em setembro do mesmo ano, o Ministro da Economia de Portugal, Manuel Caldeira Cabral, visitou o Centro de Coinovação, acompanhado por Eduardo Pinheiro, então presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, e outras autoridades. “Este investimento é um sinal da confiança da Mercadona em Portugal e abre oportunidades às empresas portuguesas para fornecerem novos produtos a este grupo, não só no mercado português, mas também em todo o mercado ibérico”, afirmou o ministro Caldeira Cabral[25].

Na apresentação de resultados, realizada em Valência em março de 2018, a Mercadona anunciou a assinatura de mais 5 lojas, que se juntam às 4 lojas e um bloco logístico já anunciados, todos na região do Grande Porto.

Origem e história[editar | editar código-fonte]

A Mercadona iniciou a sua atividade em 1977, dentro do grupo Cárnicas Roig em Valência (Espanha). O matrimónio formado por Francisco Roig Ballester e Trinidad Alfonso Mocholí transformaram o negócio familiar de talhos em mercearias.

Quatro anos depois, Juan Roig Alfonso[26], com a sua mulher, Hortensia Herrero, e os seus irmãos, Fernando, Trinidad y Amparo, compraram a Mercadona ao seu pai. A partir desse momento, Juan Roig assumiu o comando da Mercadona, que iniciou a sua atividade enquanto empresa independente.

A sua expansão arrancou de maneira mais local, em 1988, com a aquisição dos Supermercados Superette. Em 1989 chegou a Madrid através da aquisição da Cesta Distribución y Desarrollo de Centros Comerciales. No ano seguinte, Juan Roig e Hortensia Herrero ficaram com a maioria do capital da empresa.

Em 1991, a Mercadona absorve a Dinos y Super Aguilar, e em 1998, faz o mesmo com os Armazéns Paquer e os Supermercados Vilaró. Em 1997, assina um acordo de união com os Armazéns Gómez Serrano, iniciando-se a expansão para a Andaluzia.

A partir de 1993, a empresa implementa a estratégia comercial de Sempre Preços Baixos[27], que consiste em vender produtos com a melhor qualidade a um preço baixo e invariável[28]. Três anos depois, a Mercadona cria as marcas Hacendado, Bosque Verde, Deliplus e Compy.[29]

Em 2008, em pleno contexto de crise económica, a empresa leva a cabo um processo de realienação da estratégia com o Modelo de Qualidade Total. A Mercadona coloca o cliente no centro do seu negócio, convertendo-o no verdadeiro “chefe”, respeitando de igual forma todos os outros componentes do Modelo: o Colaborador, o Fornecedor, a Sociedade e o Capital[30].

A Mercadona planeou expandir-se internacionalmente para Itália. Porém, na apresentação de resultados de 2013, Juan Roig comunicou a paralisação do projeto para continuar a expansão por Espanha e centrar-se na implementação de uma estratégia de produtos frescos.[31]

Mercadona já está presente em todas as províncias espanholas e prevê expandir-se para as cidades autónomas de Ceuta e Melilha[32] em 2018.

No final de 2017, a Mercadona contava com 1.626 supermercados espalhados por todas as províncias espanholas. No fim do dito exercício, a sua faturação foi de 22.915 milhões de euros, com um lucro líquido de 322 milhões de euros, menos 49% face ao ano anterior devido ao grande investimento que se está a realizar no projeto de expansão a Portugal e à transformação da empresa[33].


  

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.
  1. «Mercadona cierra 2015 como la primera empresa por facturación en España, con 20.831 millones». El Economista (em espanhol). Consultado em 19 de outubro de 2016 
  2. «Las claves del éxito de la marca blanca de Mercadona». Expansión (em espanhol). Consultado em 19 de outubro de 2016 
  3. «Dinheiro Vivo». 9 de fevereiro de 2018 
  4. «Mercadona Portugal». 3 de maio de 2018 
  5. «Mercadona se convierte en la segunda empresa con más ventas en España». El País (em espanhol). Consultado em 19 de outubro de 2016 
  6. «Memória Mercadona 2015». Consultado em 19 de outubro de 2016 
  7. Silverstein, Michael J (2015). Rocket: Eight lessons to secure infinite growth. [S.l.]: McGraw-Hill Education 
  8. «Mercadona Portugal» (PDF). 3 de maio de 2018 
  9. «Mercadona, un «caso único» de innovación que observa Ikea y se estudia en Portland». ABC (em espanhol). Consultado em 19 de outubro de 2016 
  10. «Jormal de Notícias». 18 de outubro de 2016 
  11. «Publico. Grande Porto no centro da expansão futura da Mercadona no país». 2 de fevereiro de 2018 
  12. «Dinheiro Vivo. Mercadona prepara abertura de mais cinco lojas em Portugal». 13 de março de 2018 
  13. «Logística Moderna. Mercadona terá centro logístico na Póvoa de Varzim». 21 de setembro de 2017 
  14. «Las primeras tiendas de Mercadona en el extranjero estarán en Oporto». El País (em espanhol). Consultado em 19 de outubro de 2016 
  15. «Dinheiro Vivo. Cadeia espanhola de distribuição está a recrutar para o Porto e Póvoa do Varzim.». 12 de dezembro de 2017 
  16. «Mercadona recibe en una semana 5.000 solicitudes para el proceso de contratación de directivos en Portugal». ABC (em espanhol). Consultado em 30 de setembro de 2016 
  17. «Jornal de Negocios. Mercadona recebe 5.000 candidaturas para 120 empregos». 21 de julho de 2016 
  18. «TVI24. Mercadona já está a contratar para supermercados no Grande Porto». 23 de janeiro de 2018 
  19. «Mercadona contratará a 120 directivos para su expansión en Portugal». El País (em espanhol). Consultado em 13 de Julho de 2016 
  20. «Ecomomia a o minuto. Lucros da Mercadona caem 49%. Grupo investirá 25 milhões em Portugal». 13 de março de 2018 
  21. «Mercadona iniciará su expansión internacional en Portugal en 2019». ABC (em espanhol). Consultado em 23 de Junho de 2016 
  22. «Mercadona Portugal». 13 de março de 2018 
  23. «Economia a o minuto. Mercadona pagou 63 milhões a fornecedores portugueses em 2017». 12 de março de 2018 
  24. «Hipersuper. Mercadona recupera centro industrial para criar centro de coinovaçao em Portugal». 6 de setembro de 2017 
  25. «Grande Consumo. Ministro da Economia visita o centro de coinovação da Mercadona». 7 de setembro de 2017 
  26. «Juan Roig: el carnicero que montó Mercadona». Economía Digital (em espanhol). Consultado em 28 de setembro de 2016 
  27. «Publico. Mercadona já começou a registar marcas em Portugal». 19 de junho de 2017 
  28. «Filosofía Siempre Precios Bajos Mercadona.». Consultado em 20 de Janeiro de 2017 
  29. «Fabricantes tras la marca blanca de Mercadona». Qué! (em espanhol). Consultado em 30 de setembro de 2016 
  30. Blanco, Miguel (2008). El empleo del Modelo de Gestión de la Calidad Total en el sector de la distribución comercial en España: El caso de Mercadona". Madrid: Universia Business Review. pp. 40–63  Verifique data em: |acessodata= (ajuda);
  31. «Mercadona prepara su expansión al extranjero con tiendas en Portugal en 2019». El país (em espanhol). Consultado em 29 de setembro de 2016 
  32. «Food Retail. Mercadona 'conquistará' Ceuta y Melilla en este 2018». 12 de janeiro de 2018 
  33. «Mercadona Portugal. Mercadona aumenta a sua faturação em 6%, até 22.915 milhões, e cria 5.000 novos trabalhos fixos»