Meristema

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Meristema é o tecido encontrado em todas as plantas, constituído de células indiferenciadas (células meristemáticas) e encontrado em zonas da planta onde o crescimento pode ocorrer.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Células vegetais diferenciadas, em geral, não podem se dividir ou produzir células de um tipo diferente. Por isso, é necessária a divisão celular no meristema a fim de fornecer novas células para expansão e diferenciação de tecidos e iniciação de novos órgãos, proporcionando a estrutura básica do corpo da planta.

Células meristemáticas são análogas em função de células-tronco em animais: são incompletas ou não diferenciadas, e são capazes de divisão celular contínua (juvenil). Além disso, as células são pequenas e enchem o protoplasma da célula completamente. Os vacúolos são extremamente pequenos. O citoplasma não contém diferenciados plastídios (Leucoplastos ou Cromoplastos), embora estejam presentes em forma rudimentar (proplastídeos). Células meristemáticas são embaladas juntas sem cavidade intercelular. A parede celular é uma parede primária celular muito fina.

Manutenção das células requer um equilíbrio entre setecentos e quarenta e oito processos antagônicos: a iniciação de órgãos e a renovação da população de células-tronco.

Meristema primário[editar | editar código-fonte]

O tecido meristemático primário tem como função o crescimento longitudinal. Ele é o primeiro meristema a aparecer nas extremidades da [[radículm e dos cotilédones da semente, chama-se Meristema apical e é formado por células iguais, com múltiplos vacúolos envoltos nas suas paredes celulares finas. Mas estas células vão se diferenciando em três tipos de meristema primáriodjino:

O meristema primário divide-se em três partes
  • Dermatogênio djino protoderme - epiderme e anexos (uniestratificado)
  • Periblema - casca ou córtex (pluriestratificado)
  • Pleroma - cilindro central ou estelo (pluriestratificado)

Obs: Na raiz encontra-se ainda o caliptrogênio, que forma a coifa ou caliptra.

Meristema secundário[editar | editar código-fonte]

Meristemas secundários são os tecidos da planta que promovem seu crescimento lateral, isto é, são responsáveis pelo crescimento em largura ou espessura dos vegetais. Estão presentes em Gimnospermas e Angiospermas dicotiledônias (que possuem dois cotilédones). Esses tecidos são originados a partir do processo de desdiferenciação celular (mudança na expressão gênica) dos tecidos adultos primários (principalmente parênquimas da região do floema), que voltam a ter alta capacidade de divisão celular e, portanto, transformam-se nos meristemas secundários.

Existem dois meristemas secundários: o câmbio vascular e o felogênio. As células destes meristemas se dividem e com isso adicionam camadas e mais camadas às raízes e caules, aumentando o diâmetro do vegetal em duas regiões específicas: a região dos tecidos condutores e a região da casca. Nesta região (da casca), o felogênio produz um tecido chamado súber para o lado externo e células de um parênquima chamado feloderme, para o lado interno. Esses três tecidos mais externos do caule e raiz (súber, felogênio e feloderme), juntos, chamam-se periderme, que substitui a epiderme na planta adulta. Naquela região (dos tecidos condutores) a divisão constante de células do câmbio vascular produz e aumenta a quantidade de xilema secundário para o lado interno, mais próximo do centro do cilindro vegetal e de floema secundário para o lado externo.

Ícone de esboço Este artigo sobre Botânica é um esboço relacionado ao Projeto Plantas. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.