Merla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.

Merla é uma variação da pasta de coca, da qual se originam também a cocaína e o crack.

A merla é um produto grosseiro, obtido das primeiras fases de separação da cocaína, a partir do processamento das folhas da planta. Tem uma consistência pastosa, cheiro forte e apresenta uma tonalidade que varia do amarelado até o marrom de acordo com o produtor. Embora menos potente, tem efeitos destrutivos parecidos ou até maiores que os do crack. Sua capacidade de causar dependência física e psicológica é muito grande e a abstinência[1] costuma ser extremamente dificultosa. A merla pode ser fumada sozinha ou adicionada a cigarros de tabaco ou de maconha.

Em sua formulação, é adicionada uma quantidade significativa de solventes, como o ácido sulfúrico (ácido de bateria), o querosene, a cal virgem etc. Seu efeito começa muito rapidamente em virtude da forma de uso e da capacidade do pulmão de absorver a droga. Com o uso contínuo, os efeitos são: queda dos dentes, depressão, fibrose, alucinações, dificuldade de respiração, coma e óbito. No Brasil, já foi consumida[2] com o advento do crack, o consumo da merla praticamente se extinguiu no Brasil.

Referências

  1. "Síndrome de Dependência e de Abstinência de Cocaína", por Marcos Zaleski.
  2. «Paco, o crack argentino». 9 de agosto de 2009. Consultado em 3 de junho de 2016  Texto "Zero Hora" ignorado (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma droga é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.