Mesquitela Lima

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Prof. Mesquitela Lima, à esquerda, em Angola

Augusto Mesquitela Lima (Mindelo, 10 de Janeiro de 1929Lisboa, 14 de Janeiro de 2007) foi um antropólogo e escritor cabo-verdiano.

Teve mais de 30 trabalhos científicos e 25 livros publicados, entre os quais Uma Leitura Antropológica da Poética de Sérgio Frusoni. É o decano dos antropólogos cabo-verdianos, internacionalmente reconhecido como especialista em arte da África Central.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mesquitela Lima era neto de Bernardo Mesquitela, governador de Cabo Verde em 1913. Estudou no Liceu Gil Eanes do Mindelo e iniciou a carreira de funcionário colonial, em 1949, como escriturário da Alfândega de Cabo Verde. Em 1952 foi para Angola como chefe de posto da Inspecção dos Serviços Administrativos e Negócios Indígenas. Prosseguiu os seus estudos em Lisboa em 1959 no Instituto Superior de Ciências Sociais e Política Ultramarina. Formado em Estudos Políticos e Sociais do Ultramar, foi para o Instituto de Investigação Científica de Angola, onde dirigiu em Luanda o Museu de Angola. Fundou o Museu do Dundo,[1] na província da Lunda Norte, leste de Angola, onde estudou vários grupos étnicos, com especial destaque para os kyaka.

Regressou a Portugal após a Revolução de 25 de Abril de 1974. A partir de 1975 passou a leccionar na Universidade Nova de Lisboa, onde foi professor catedrático e jubilado como professor de Antropologia Cultural da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas.

Em 1977 doutorou-se na Universidade de Paris X – Nanterre. Também em Paris trabalhou com grandes nomes da antropologia mundial como Claude Lévi-Strauss ou Roger Bastide. Em 1978 criou o Departamento de Antropologia na Universidade Nova de Lisboa, assim como o Instituto de Estudos Africanos.

À data da sua morte o Professor Mesquitela Lima era director do Instituto Superior de Gestão. Faleceu devido a uma pneumonia.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • "Introdução à antropologia cultural, em co-autoria com Bento Marinez e João Lopes Filho".

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. PORTO, Nuno. Angola a Preto e Branco: Fotografia e ciência no Museu do Dundo, 1940-1970. Coimbra: Univ. de Coimbra, 1999.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.