Metrô do Recife

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Metrô do Recife
Estação do Metrô do Recife 2.jpg
Informações
Local Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes e Recife, PE
País  Brasil
Tipo de transporte Estação de Metrô Metrô
Número de linhas 5 (Centro 1, Centro 2, Sul, VLT do Recife)
Sede Rua José Natário, 478 - Areias, Recife, PE
Dados técnicos
Extensão do sistema 71 km (39,5 Linhas Centro 1, Centro 2 e Sul + 31,5 VLT do Recife)
Bitola 1.600 mm e 1.000 mm
Mapa da Rede

Recife metro geografic map.png

Metrô, VLT, e TU do Recife

Legenda:

Laranja (Metrô) 
Unknown route-map component "SUBWAY" Unknown route-map component "BHFq_ochre" Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "fBHFq" Urban railway
 Verde (VLT)
Vermelha (Metrô) 
Unknown route-map component "SUBWAY" Unknown route-map component "BHFq_red" Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "BHFq_grey" Urban railway
 Cinza (VLT)
Azul (Metrô) 
Unknown route-map component "SUBWAY" Unknown route-map component "uBHFq" Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "BHFq_brown" Unknown route-map component "TRAIN2"
 Marrom (trem)

Diagrama:

 
Unknown route-map component "dKBHFa-L ochre" Unknown route-map component "dKBHFa-M red" Unknown route-map component "udKBHFa-R" Unknown route-map component "cd"
 Recife
 
Unknown route-map component "dBHF-L_ochre" Unknown route-map component "dBHF-M_red" Unknown route-map component "udBHF-R" Unknown route-map component "cd"
 Joana Bezerra
Afogados 
Unknown route-map component "dBHF-L_ochre"
Unknown route-map component "c" + Unknown route-map component "dBHF-R_red"
Unknown route-map component "udSHI4c1"
Unknown route-map component "uSTR2h+4h" + Unknown route-map component "ulBHF"
Unknown route-map component "uSHI4c3"
 Largo da Paz
Ipiranga 
Unknown route-map component "dBHF-L_ochre" Unknown route-map component "dBHF-R_red" Unknown route-map component "cd" Urban station on track Unknown route-map component "d"
 Imbiribeira
Mangueira 
Unknown route-map component "dBHF-L_ochre" Unknown route-map component "dBHF-R_red" Unknown route-map component "cd" Urban station on track Unknown route-map component "d"
 Antônio Falcão
Santa Luzia 
Unknown route-map component "dBHF-L_ochre" Unknown route-map component "dBHF-R_red" Unknown route-map component "cd" Urban station on track Unknown route-map component "d"
 Shopping
Edgar Werneck 
Unknown route-map component "dBHF-L_ochre" Unknown route-map component "dBHF-R_red" Unknown route-map component "cd" Urban station on track Unknown route-map component "d"
 Tancredo Neves
Barro 
Unknown route-map component "dBHF-L_ochre" Unknown route-map component "dBHF-R_red" Unknown route-map component "cd" Urban station on track Unknown route-map component "d"
 Aeroporto
Tejipió 
Unknown route-map component "dBHF-L_ochre" Unknown route-map component "dBHF-R_red" Unknown route-map component "cd" Urban station on track Unknown route-map component "d"
 Porta Larga
Coqueiral 
Unknown route-map component "dBHF-L_ochre" Unknown route-map component "dBHF-R_red" Unknown route-map component "cd" Urban station on track Unknown route-map component "d"
 M.te Guararapes
Cavaleiro 
Unknown route-map component "dSTR~L_ochre"
Unknown route-map component "STR~R ochre" + Unknown route-map component "BHF_red"
Unknown route-map component "d" Urban station on track Unknown route-map component "cd"
 Prazeres
Alto do Céu 
Unknown route-map component "cd" + Unknown route-map component "BHF_ochre"
Unknown route-map component "vSTR-_red" Unknown route-map component "dKBHFa-L grey" Unknown route-map component "udKBHFe-M" Unknown route-map component "fdKBHFa-R" Unknown route-map component "d"
 Cajueiro Seco
 
Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "dSTR_ochre" Unknown route-map component "dSTR_red"
Unknown route-map component "c" + Unknown route-map component "v-SHI2r_grey"
Unknown route-map component "STR+l brown"
Unknown route-map component "c" + Unknown route-map component "STR+r brown"
Unknown route-map component "fvSHI2l-"
 
Marcos Freire 
Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "dSTR_ochre" Unknown route-map component "dSTR_red" Unknown route-map component "dBHF-L_grey" Unknown route-map component "dBHF-R_brown" Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "dBHF-L_brown" Unknown route-map component "fdBHF-R"
 Ângelo de Souza
Jorge Lins 
Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "dSTR_ochre" Unknown route-map component "dSTR_red" Unknown route-map component "dBHF-L_grey" Unknown route-map component "dBHF-R_brown" Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "dBHF-L_brown" Unknown route-map component "fdBHF-R"
 Pontezinha
 
Unknown route-map component "c"
Unknown route-map component "v-SHI2+l_grey" + Unknown route-map component "dSTR_ochre" + Unknown route-map component "v-SHI4l_red"
Unknown route-map component "vSHI2r_brown" + Unknown route-map component "vSHI2r-_grey" + Unknown route-map component "v-SHI4+r_red"
Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "dBHF-L_brown" Unknown route-map component "fdBHF-R"
 P.te Carvalhos
Curado 
Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "dBHF-L_ochre" Unknown route-map component "dKBHFe-M grey" Unknown route-map component "dKBHFe-R brown" Unknown route-map component "vSTR-_red" Unknown route-map component "dBHF-L_brown" Unknown route-map component "fdBHF-R"
 Santo Inácio
Rodoviária 
Unknown route-map component "BHF_ochre" Unknown route-map component "cd" Unknown route-map component "vSTR-_red" Unknown route-map component "dKBHFe-L brown" Unknown route-map component "fdKBHFe-R"
 Cabo
Cosme e Damião 
Unknown route-map component "d" + Unknown route-map component "evSHI2gl-_ochre" + Unknown route-map component "ldBHF-L_ochre"
Unknown route-map component "exldBHF-R_ochre" Unknown route-map component "c" Unknown route-map component "BHF_red"
 Floriano
Cidade da Copa 
Unknown route-map component "dSTR~L_ochre"
Unknown route-map component "exKBHFe_ochre" + Unknown route-map component "STR~R ochre"
Unknown route-map component "BHF_red" Unknown route-map component "c"
 Engenho Velho
Camaragibe 
Unknown route-map component "KBHFe_ochre" Unknown route-map component "d" Unknown route-map component "KBHFe_red" Unknown route-map component "c"
 Jaboatão
Fontes:

O Metrô do Recife (METROREC) é um sistema de transporte metropolitano que opera na Região Metropolitana do Recife, estado de Pernambuco. É operado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).

Compõe-se atualmente (2019) de vinte e nove estações (metrô) e mais 07 estações (VLT), com linhas que somam 71 quilômetros de extensão (quando somada a extensão do sistema complementar por VLT - 39,5km considerando apenas o Metrô), transportando cerca de 400 mil usuários por dia, sendo a maior parte da demanda concentrada na linha centro, embora a linha sul esteja com demanda crescente, resultado do aumento da quantidade de trens em funcionamento e inaugurações de novos terminais de ônibus integrados ao metrô.[1]

História[editar | editar código-fonte]

O Governo Federal, através do Ministério dos Transportes criou em setembro de 1982, o consórcio Metrorec, constituído pela Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA) e pela Empresa Brasileira de Transportes Urbanos, hoje extinta. A construção do Metrô foi iniciada em janeiro de 1983.

Em fevereiro de 1984 foi criada no Rio de Janeiro a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). O Metrorec integrou-se a ela em janeiro de 1985.

Em março de 1985, teve início a circulação dos primeiros trens com passageiros. A partir de então, o METROREC passou por várias modificações, a mais significativa ocorreu em janeiro de 1988, quando a CBTU, através da Superintendência do Recife, absorveu os trens de subúrbio da RFFSA em Maceió (Alagoas), João Pessoa (Paraíba), Natal (Rio Grande do Norte) e Recife.

Em janeiro de 1995, os trens de subúrbio de Maceió, João Pessoa e Natal foram desvinculados da Superintendência do Recife e passaram a ser subordinados diretamente à Administração Central da CBTU, no Rio de Janeiro.

Em 1998 foram iniciadas as obras de expansão do Metrô do Recife, compreendendo a eletrificação de 14,3 km da Linha Sul, entre as Estações Recife e Cajueiro Seco e o prolongamento da Linha Centro, a partir da Estação Rodoviária até Camaragibe, trecho já inaugurado em dezembro de 2002. Entre 2004 e 2009 foram inaugurados trechos da linha sul, que já terminou a sua expansão.

Desde o início de 2013, após um investimento de cerca de 100 milhões de reais, a antiga Linha Diesel/Trens Diesel, que vai do Cabo de Santo Agostinho até a estação Cajueiro Seco, passou a operar com VLT, beneficiando cerca de 35 mil passageiros. Todos os vagões são equipados com ar condicionado e GPS.[2] O Trecho entre a estação Cajueiro Seco e a estação Curado também recebeu um VLT. Existe um plano de prolongar o VLT até a estação Rodoviária, onde se localiza o Terminal de ônibus do município do Recife. Em março de 2013 começaram a operar os dois primeiros dos novos trens comprados para aumentar a frota da linha sul. Desde então, novos trens chegam todos os meses.

Em 8 de junho de 2013, a estação Cosme e Damião, na Linha Centro, foi inaugurada, facilitando o transporte dos torcedores até a Arena Pernambuco. A estação está localizada entre as estações Rodoviária e Camaragibe, no município do Recife, próximo da divisa com o município de São Lourenço da Mata, onde fica localizada a Arena.

Características do sistema[editar | editar código-fonte]

Mapa esquemático do Metrô do Recife, com as estações representadas por pictogramas.

O Metrô do Recife é formado por duas linhas distintas, a Linha Centro (Linha Centro 1 e a Linha Centro 2) e Linha Sul. Ainda a partir de 1988 também passou a administrar a antiga Linha Cajueiro Seco–Cabo que era operada por locomotivas.

Os trens da Linha Centro, que partem da Estação Recife, possuem dois destinos distintos: a estação de Camaragibe e a de Jaboatão. Isso acontece devido ao fato de as linhas Centro - 1 (Camaragibe) e Centro - 2 (Jaboatão) compartilharem a mesma via e estações no trecho entre as estações Recife e Coqueiral, graças ao traçado da antiga ferrovia onde o metrô foi construído.

Nas Linhas da Metrorec a distância média entre as estações é de 1,2 km, com os trens seguindo a uma velocidade média de 40 km/h, podendo chegar a 80 km/h. A bitola é 1600 mm e a alimentação dos trens é feita por catenárias aéreas. Na Linha Diesel a distância média entre as estações é de 4 km, a velocidade comercial dos trens é de 31,5 km/h, a bitola é métrica e os trens utilizados possuem tração a diesel.

Movimento anual de passageiros (em milhões)
Fontes: CBTU [3]


O sistema possuía um total de 25,2 km de extensão e, após a conclusão da expansão de sua rede—expansão esta que se deu de fevereiro de 2005 até março de 2009--, chegou aos atuais 39,5 km.[4] A estes foram adicionados os 31,5 km da linha Diesel, totalizando 71 km.

Devido à significativa taxa de analfabetismo na região (aproximadamente 10,55% de acordo com o censo de 2000 do IBGE — ver fonte), as estações foram desenhadas de modo a incluir várias formas de identificação. Além do serviço de alto-falantes dentro dos trens anunciando o nome da parada, cada uma destas tem uma cor diferente para as paredes de suas plataformas, e, em todas as placas indicativas e mapas das linhas, o nome de cada estação acompanha sempre um símbolo individualizado, também chamado pictograma. O uso de tais pictogramas já era aplicado no Metrô da Cidade do México, iniciado em 1967 (ver página oficial).

No quesito acessibilidade, as estações possuem rampas de acesso a cadeirantes e algumas dispõem de escadas rolantes (como as estação Recife, Joana Bezerra, Camaragibe e todas as estações da linha Sul) e elevadores (nas mesmas estações). O já citado serviço de alto-falantes dentro dos trens também serve aos deficientes visuais.

Mapa

Há várias linhas de ônibus interligadas ao Metrô, com 15 terminais de integração ônibus/metrô do Sistema Estrutural Integrado (SEI), localizados nas estações Recife e Joana Bezerra, nas linhas Centro; Afogados, Santa Luzia, Barro, Cavaleiro, Jaboatão, Rodoviária, Cosme e Damião e Camaragibe. Na linha Sul;[5] Largo da Paz, Aeroporto, Tancredo Neves, Prazeres e Cajueiro Seco.

O Terminal de Integração do ônibus do Cabo, embora seja citado nos mapas como parte do sistema férreo, fica a cerca de 500 metros de distância da estação Cabo; não foi divulgado ainda como será feita a ligação entre os dois.


Tabela do sistema[editar | editar código-fonte]

Dados das linhas[editar | editar código-fonte]

Linha Trajeto Comprimento (km) Estações Duração das viagens (min) Funcionamento
Centro - 1 Laranja Recife ↔ Camaragibe 18,3* 15 35 Diariamente, das 5 às 23h
Centro - 2 Vermelha Recife ↔ Jaboatão 16 14 28 Diariamente, das 5 às 23h
Centro - 1 + Centro - 2 Recife ↔ Camaragibe e Jaboatão 25,2 19 --- Diariamente, das 5 às 23h
Sul - 3 Azul Recife ↔ Cajueiro Seco 14,3 12 25 Diariamente, das 5 às 23h
VLT (**) Cabo ↔ Cajueiro Seco 18,5 6 35 Segunda a sexta, das 5 às 20:44h
(aos sábados, até as 14h)
VLT (**) Curado ↔ Cajueiro Seco 15,6 4 29 Segunda a sexta, das 5 às 20:44h
(aos sábados, até as 14h)

(*) Comprimento aproximado, obtido a partir da medição em escala de um mapa • (**) Antiga Linha Diesel que passou a operar com VLT em implantação gradual

Por trecho (com cronologia)[editar | editar código-fonte]

Linha Trecho Inauguração Comprimento (km) Estações Duração das viagens (min)
Centro - 1 e 2 Recife ↔ Werneck 11 de março de 1985 6,10 7 12
Centro - 1 e 2 Werneck ↔ Coqueiral 8 de agosto de 1986 3,28 4 6
Centro - 1 Coqueiral ↔ Rodoviária 24 de setembro de 1986 3,85 4 6
Centro - 1 Rodoviária ↔ Camaragibe 26 de dezembro de 2002 4,70 2 4
Centro - 2 Coqueiral ↔ Jaboatão 29 de agosto de 1987 6,9 5 8
Sul Recife ↔ Imbiribeira 28 de fevereiro de 2005 --- 4 6
Sul Imbiribeira ↔ Shopping 28 de março de 2009 --- 3 4
Sul Shopping ↔ Tancredo Neves 1 de fevereiro de 2010 --- 2 2
Sul Tancredo Neves ↔ Cajueiro Seco 29 de agosto de 2010 --- 6 10
Trem Diesel Cinco Pontas ↔ Cabo A partir de 1988 --- 7 54
Trem Diesel Curado ↔ Cabo 14 de julho de 1999*** 31,5 9** 54

(**) A Estação Cajueiro Seco, da linha Sul do metrô, passou a fazer parte também da Linha Diesel, entre as estações Ângelo de Souza e Marcos Freire

(***) Data da desativação do trecho Cinco Pontas ↔ Ângelo de Sousa - mais tarde transformado na nova Linha Sul - e da inauguração do trecho Curado ↔ Ângelo de Sousa

Por estação (com cronologia)[editar | editar código-fonte]

Algumas estações foram inauguradas posteriormente aos trechos que estão inseridos, como é o caso das estações abaixo.

Linha Estação Inauguração Trecho a que pertence Inauguração do trecho a que pertence
Centro - 1 e 2 Estação Barro 30 de janeiro de 1987 Werneck ↔ Coqueiral 8 de agosto de 1986
Centro - 1 Estação Alto do Céu 11 de março de 1987 Coqueiral ↔ Rodoviária 24 de setembro de 1986
Centro - 1 Estação Curado 27 de maio de 1988 Coqueiral ↔ Rodoviária 24 de setembro de 1986
Centro - 2 Estação Engenho Velho 17 de junho de 1988 Coqueiral ↔ Jaboatão 29 de agosto de 1987
Centro - 1 Estação Cosme e Damião 8 de junho de 2013 Rodoviária ↔ Camaragibe 26 de dezembro de 2002

Linhas e estações do sistema[editar | editar código-fonte]

Frota[editar | editar código-fonte]

TUE Santa Matilde/MAN AG Série 800
Modelo/Série Potência Fabricante Origem Ano de
fabricação
Frota
ativa
Frota
inativa
Frota
(TUEs)
Frota
(carros)
800 2961 hp / 2208 kW Santa Matilde / Man AG Brasil / Alemanha 1984-1985 22 3 25 100
ALCO RS-8 1050 hp / 783 kW ALCo Estados Unidos 1959 0 4 4 16
Mobile 3 500 hp / 373 kW Bom Sinal / Voith Brasil / Alemanha 2012-2013 4 3 7 21
TUE CAF 100 4184 hp / 3120 kW CAF Brasil / Espanha 2012-2013 15 0 15 60

Projetos e melhorias[editar | editar código-fonte]

Em março de 2007, o Governo Federal disponibilizou recursos que estão sendo empregados na aquisição de novos equipamentos. Entre eles, já foram adquiridos novas composições do tipo VLT para o trecho entre as estações Cajueiro Seco e Cabo da Linha Curado–Cajueiro Seco que já foi remodelada.

Os TUEs que compõem as linhas Sul e Centro foram reformados por um consórcio liderado pela Siemens Transportation Systems.[6]

No ano de 2013, a frota do Metrô do Recife foi ampliada em 15 TUEs (60 carros) fabricados pela CAF.[7]

Em 2016, o Ministério das Cidades disponibilizou R$ 61 milhões para a modernização de composições, estações, via permanente e melhorias em todo o sistema Metrorec. Com esse valor, o Metrô também irá comprar 1.300 câmeras de videomonitoramento em alta definição, para plataformas e trens.

Há estudos para a expansão em 11 Km da malha ferroviária no Recife. O projeto pretende ligar, através de VLTs, a linha Diesel com o Porto de Suape, no município de Ipojuca. Engenheiros da CBTU estimam que a obra custe, em média, R$ 250 milhões. Ainda não há prazo para a execução do projeto.

Em 2018 tem inicio o projeto de criação da estação Nova Cabo, que tem como objetivo interligar o VLT ao Terminal Integrado do Cabo, no município de mesmo nome.

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Imagens de satélite[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Cópia arquivada». Consultado em 23 de março de 2009. Arquivado do original em 15 de julho de 2009 
  2. [1]
  3. «Relatórios Anuais». Companhia Brasileira de Trens Urbanos. 2019. Consultado em 3 de março de 2019 
  4. [2][ligação inativa]
  5. «Cópia arquivada». Consultado em 10 de abril de 2009. Arquivado do original em 2 de dezembro de 2009 
  6. «Cópia arquivada». Consultado em 1 de janeiro de 2009. Arquivado do original em 13 de janeiro de 2005 
  7. Notícias da Revista Ferroviária. «CAF é habilitada para fornecer 15 TUEs do Recife». Consultado em 1 de Novembro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Metrô do Recife