Esta é uma versão em áudio do artigo. Clique aqui para ouvi-lo.

Meu Cunhado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Meu Cunhado
Informação geral
Formato Série
Duração aproximadamente 50 minutos cada episódio
Criador(es) Moacyr Franco
Cláudio Spritzer
Roberto Teixeira
Guto Franco
País de origem Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Guto Franco
Elenco Ronald Golias
Moacyr Franco
Guilhermina Guinle
Luísa Thiré
João Vitor Franco
Carolina Espina
Marcos Silvestre
Cláudia Mello
Roberto Stippe
Clarissa Freire
Cláudio Lopomo
Jorge Duaik
David Pinheiro
Tema de abertura Meu Cunhado, Coral do SBT
Exibição
Transmissão original 14 de abril de 200426 de março de 2006
N.º de temporadas 2
N.º de episódios 52

Meu Cunhado foi uma série de televisão humoristica que foi produzida e exibida no SBT a partir de 14 de abril de 2004 até 26 de março de 2006 às quartas-feiras e aos domingos. Protagonizada por Moacyr Franco e Ronald Golias, foi o último trabalho deste último no SBT, onde ressuscitou seu personagem mais famoso, o Bronco. Ela foi escrita por Moacyr Franco, Cláudio Spritzer, Roberto Teixeira e Guto Franco, o último também foi o diretor do programa.[1]

A série era uma refilmagem brasileira da série argentina Mi cuñado, protagonizada por Luis Brandoni e Ricardo Darín, exibida entre 1993 e 1996 pela Telefe que, por sua vez, era também uma adaptação do programa original Mi cuñado, protagonizado por Osvaldo Miranda e Ernesto Bianco, transmitido pelo Canal 13 da Argentina em 1976.

A ideia de produzir uma versão brasileira começou na década de 1990, Silvio Santos tinha o interesse de produzir a série em 1996 para concorrer com o Sai de Baixo da Rede Globo, mas foi produzido em seu lugar o Brava Gente.[1] Em 1997, a série começou a ser produzida, com Ecila Pedroso na adaptação e dirigido por Nilton Travesso, a história apresentava Chico (Osmar Prado), que mora na casa da irmã Andréia (Suzy Rego) e do cunhado Roberto (Marcos Caruso). No piloto, o personagem Roberto reclama que não conseguiu nem registrar o filho Ulisses (Filipe Perez). Quando o garoto nasceu, Chico foi ao cartório e escolheu o nome sem consultar os pais.[2] Em 2000, o projeto da série, que tinha voltado novamente para a gaveta da emissora foi retomado, sendo tratado como "um humorístico nos moldes da saudosa Família Trapo",[3] Silvio Santos mostrou a fita da série argentina para Moacyr Franco e lhe perguntou, "Você acha que consegue fazer isso junto com o Golias?". "E eu topei", "Precisei apenas fazer umas adaptações, para que o personagem principal aproveitasse bem as características do Golias. E está engraçadíssimo. É muito pouco provável que a série não vá ao ar" conta Moacyr. Para compor o restante do elenco, foram chamados para o piloto Rosi Campos, Cláudia Melo, Flávia Monteiro e Aline Lima, filha do sertanejo Chitãozinho.[3]

Os episódios foram gravados entre 2000 a 2003, até que sua produção foi cancelada. Ao todo, foram gravados 52 episódios, que ficaram engavetados até a estreia do programa em 2004. Em entrevistas, Moacyr Franco disse que a demora na estreia do programa, várias vezes anunciado de ir ao ar, faziam com que episódios satirizando situações da época das gravações, como o No Limite, da Globo, exibido em 2000, e o escândalo do painel do Senado, ocorrido em 2001, perdiam totalmente o sentido indo ao ar tanto tempo depois. A produção passou então a fazer episódios mais atemporais.[1] No meio da produção da série, em 2002, a atriz Guilhermina Guinle, que vivia Simone Cantapedra, deixou o SBT, ao entrar para o elenco de Mulheres Apaixonadas, a futura telenovela das 21h exibida pela Rede Globo entre fevereiro e outubro de 2003. Em seu lugar, entrou a atriz Luísa Thiré. A justificativa dada na série para a troca de atrizes foi o fato da personagem Simone ter se submetido a uma cirurgia plástica.[1][4]

O show teve uma ótima audiência para a estreia: 22 pontos de média e picos de 26 pontos,[5] sendo o programa mais assistido do canal na semana. Nas semanas seguintes, o programa marcou de 10 a 15 pontos de média. Na época da estreia, o programa era exibido nas quartas-feiras às 21h30, até que em 2005 passou a ser exibido nas tardes de domingo às 14h, e mais tarde, às 15h. Com a morte de Ronald Golias, o programa foi cancelado e sua exibição foi interrompida em 27 de setembro de 2005, ainda com 19 episódios inéditos. Esses episódios só seriam exibidos a partir de 4 de dezembro do mesmo ano, nos domingos às 15h. Os dois últimos episódios nunca foram ao ar.

Em 19 de maio de 2014, a série voltou a ser exibida pelo SBT, dentro do programa Quem não viu vai ver, de segunda à sexta às 18h30. Em sua estreia nesse horário, marcou 6,5 pontos de média, elevando a audiência do SBT no horário.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A série trata da história de Washington Cantapedra (Moacyr Franco), um publicitário de sucesso, casado com a jovem Simone (vivida por Guilhermina Guinle apenas na primeira temporada, e posteriormente por Luísa Thiré), que mora em uma ampla mansão em São Paulo, com a mulher, a filha adolescente Lili (Carolina Espina), do primeiro casamento do publicitário, e o filho mais novo, Cacá (João Vitor Franco). O dia-a-dia da mansão é sempre agitado, com um clima de muito bom humor. Junto com eles, também mora Carlo Bronco (Ronald Golias), irmão de Simone, um malandro aproveitador que vive "temporariamente" na casa dos Cantapedra até conseguir um emprego, embora o dono da casa saiba que isso nunca acontecerá.

Bronco, o Cunhado, armou uma manobra interesseira para que a irmã Simone se casasse com Cantapedra, além de estar sempre metido em pequenos golpes ao lado do amigo Nicolau (Marcos Silvestre), que serve como quebra-galho e testa-de-ferro.

Para cuidar da atrapalhada família, Simone conta com a ajuda de Marta (Clarissa Freire). A empregada, fiel escudeira de Simone, a acompanha desde os tempos de classe média. O que Washington não sabia é que até a empregada protegia o malandro cunhado.

Washington adora a esposa e tem medo de perdê-la, mas odeia o cunhado e não vê a hora de livrar-se dele. A família, porém, adora o malandro, julgando-o vítima de perseguição por parte do estressado publicitário.

Na agência Cantapedra Propaganda e Interface, Washington conta com a ajuda de Corina (Cláudia Mello), sua fiel secretária, que faz as vezes de leão-de-chácara. Ela se considera inteligente e eficiente, mas, no fundo, é o contrário, apesar de ser funcionária de confiança.

Corina está sempre as voltas com o inoportuno Bronco, que devido a chantagens e outras armações, acaba interferindo na gestão da agência, modificando campanhas, desviando contas e atraindo clientes perigosos. Washington pretende ser um publicitário de sucesso e reconhecido pelos colegas, mas Bronco, com suas trapalhadas, acaba denegrindo a imagem do publicitário.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Entre outros.

Produção[editar | editar código-fonte]

Ouça o artigo (info)
Este áudio foi criado a partir da revisão datada de 17 de janeiro de 2013 e pode não refletir mudanças posteriores ao artigo (ajuda com áudio).

O show teve uma ótima audiência para a estreia: 22 pontos de média e picos de 26 pontos [1], sendo o programa mais assistido do canal na semana. Nas semanas seguintes, o programa marcou de 10 a 15 pontos de média.

Na época da estreia, o programa era exibido nas quartas-feiras às 21h30, até que em 2005 passou a ser exibido nas tardes de domingo às 14h, e mais tarde, às 15h.

Com a morte de Ronald Golias, o programa foi cancelado e sua exibição foi interrompida em 27 de setembro de 2005, ainda com 19 episódios inéditos. Esses episódios só seriam exibidos a partir de 4 de dezembro do mesmo ano, nos domingos às 15h. Os dois últimos episódios nunca foram ao ar.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Moacyr Franco e João Victor Franco são pai e filho tanto na vida real como na série: Cacá, personagem de João Victor, é filho de Washington Cantapedra (vivido por Moacyr).
  • No episódio "A Separação", o garçom do restaurante em que o Washington se encontra com a Simone é o cantor Reginaldo Rossi.
  • O Comediante Moacyr Franco, postou no Youtube, os 2 episódios inéditos não exibidos pelo SBT em 2013.

Episódios[editar | editar código-fonte]

# Episódio Observações:
Primeira Temporada
1 Piloto
2 CPI no Vermelho
3 O Papa
4 A Eleição dos Cantapedra
5 Onde Está Alzira?
6 O Bebê de Cantapedra
7 To, Mal!
8 O Marreteiro
9 Judia de Mim
10 O Casamento de Lili
11 Sonho de Uma Noite de Verão
12 Cartas na Mesa
13 Chicago, Chicago
14 Deu bode nas Bodas
15 Doação de Graças
16 Quatro Crescente
17 O Aniversário de Lili
18 Terra a Vista
19 Vai Ser Melhor pra Todos
20 Economia Infomral
21 Cobras e Lagartos
22 A Estátua
23 Meus Direitos
24 Carlo Bronclone
25 Sambari Moveís
27 Boas Festas Especial de Natal
28 Cara Nova
Segunda Temporada
29 Terapia de Grupo
30 Um Dia Emprestável
31 Dia Sim, Dia Anão
32 O dia da Sedução
33 Se Não me Falha a Memória
34 A Casa dos Espíritos
35 Cantapedra e os 40 Ladrões
36 Dia de Surpresa
37 O Pesadelo de Simone
38 Quem Dá Mais
39 A Separação Participação Especial de Reginaldo Rossi
40 Paixão de Montão
41 Plano para Matar o Bronco
42 Intercâmbio
43 Reciclagem
44 O Energético
45 Eu se Mato
46 Túmulo da Consciência Não foi ao ar.
4 G, L ou S
48 Greve Geral
49 Famiglia Cantapedra
50 O Japones
51 Bronco Light
52 Bronce Connection Não foi ao ar.

Part. especial de Dercy Gonçalves

Referências

  1. a b c d «Meu Cunhado». Teledramaturgia. Consultado em 9 de maio de 2014 
  2. «SBT grava 'Meu Cunhado'». Folha de S.Paulo. UOL. 16 de novembro de 1997. Consultado em 9 de maio de 2014 
  3. a b «SBT prepara humorístico com Ronald Golias e Moacyr Franco». Folha de S.Paulo. UOL. 12 de novembro de 2000. Consultado em 9 de maio de 2014 
  4. «Moacyr Franco fará comédia com Golias o». Folha de S.Paulo. UOL. 9 de março de 2003. Consultado em 9 de maio de 2014 
  5. Memória da TV