Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Mia Khalifa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mia Khalifa
Nascimento 10 de fevereiro de 1993 (24 anos)
Cidade natal Beirute, Líbano
Nome de nascimento Mia Callista
(em árabe: ميا خليفة)[1]
Nacionalidade libanesa
norte-americana
Altura 1,57 m[1]
Massa 55 kg[1]
Tatuagem 3 (1 no braço direito e outro no braço esquerdo e 1 nos seios)
Olhos Castanhos claros
Cabelo Castanho
Ocupação
Ano de estreia 2014
N.º de filmes 23
Página oficial
ATENÇÃO: As ligações externas podem conter conteúdo sexual explícito.

Mia Khalifa (em árabe: ميا خليفة; Beirute, 10 de fevereiro de 1993), também conhecida como Mia Callista, é uma personalidade de mídia social[2] e modelo de webcam[3] líbano-estadunidense, mais conhecida pela sua curta e bem-sucedida carreira como atriz pornográfica entre os anos de 2014 e 2015.

Nascida em Beirute, Khalifa começou a residir nos Estados Unidos em 2000. Em outubro de 2014, começou a sua carreira na indústria pornográfica, e em dezembro do respectivo ano tornou-se a atriz mais vista do mês no site Pornhub. A escolha desta profissão por parte de Khalifa tornou-se alvo de controvérsias no Oriente Médio, principalmente por um vídeo em que a atriz aparece realizando atos sexuais vestindo uma burca islâmica. Após as polêmicas, a atriz afirmou estar desiludida com a carreira de atriz pornográfica e abandonou-a três meses depois.

Juventude

Mia Khalifa nasceu em 10 de fevereiro de 1993, na cidade de Beirute, no Líbano, e se mudou com sua família para os Estados Unidos em 2000.[4] Sua família era católica e ela foi criada dentro dos princípios da religião, apesar de nunca tê-la praticado.[5] Khalifa se mudou novamente para Montgomery County, Estado de Maryland, durante a adolescência,[6] na qual tornou-se uma atleta de lacrosse na faculdade.[2] Alguns anos depois se graduou pela Universidade do Texas em El Paso, com um Bacharelado em artes em História.[7] Em fevereiro de 2011, poucos dias após completar a idade de dezoito anos, se casou com um homem estadunidense.[4]

Carreira pornográfica

Khalifa entrou na indústria de filmes pornográficos em outubro de 2014.[8][9] Ela estava trabalhando em um restaurante fast-food local quando um cliente se aproximou e perguntou se gostaria de entrar no mundo pornográfico.[10][11] Com mais de 1,5 milhões de buscas, Khalifa, aos 22 anos de idade, tornou-se a artista mais pesquisada no site de compartilhamento de vídeos adultos Pornhub.[9] Em 28 de dezembro daquele ano, o Pornhub revelou que, de acordo com o ranking de seu website, ela era a "estrela pornô" número um, ultrapassando a veterana Lisa Ann.[12]

Talvez mais conhecido como 'A estrela pornográfica de burca', Khalifa foi citada nas manchetes em 2014 quando ela apareceu desrespeitosamente nas câmeras vestindo o traje muçulmano tradicional. O filme BangBros inicialmente provocou indignação em seu país de origem, o Líbano, com críticos alegando que ela trouxe desgraça para a nação e insultou ao Islã. Khalifa afirmou em uma entrevista para a revista Loaded que ela sentiu que está sendo feita de bode expiatório através da censura na internet em sua terra natal, e que desde então, muitos outros se posicionaram contra o governo, demonstrando apoio para a estrela pornográfica estadunidense. Eles afirmam que, embora ela tenha realizado sexo, "ainda é mais decente do que eles".

Loaded, julho de 2016.[13]

Em um de seus vídeos, a atriz é vista usando uma burca, um item tradicional da vestimenta muçulmana, descrevendo-a como "problemática" e "repugnante". Muitos se ofenderam com a afirmação, insistindo em que ela estava, propositalmente, trazendo uma imagem ruim ao Islã.[14] Desde então, Khalifa começou a receber ameaças de morte pela internet, após o momento em que foi colocada como a principal atriz do site Pornhub, incluindo imagens manipuladas de um executador do Estado Islâmico do Iraque e do Levante, preparando-se para decapitá-la, juntamente com uma mensagem avisando-a de que iria para o inferno, a qual ela respondeu: "estou mesmo precisando me bronzear um pouco".[15] Os jornais libaneses escreviam diversos artigos com críticas extremamente negativas para a atriz, os quais ela considerou insignificantes devido aos demais acontecimentos que ocorriam na região naquele momento.[16]

Em uma entrevista para o jornal The Washington Post, Khalifa afirmou que a cena contraditória era satírica e devia ser interpretada desta forma, além de dizer que os filmes de Hollywood representavam os muçulmanos de forma muito mais negativa do que a pornografia.[15] Entre os colunistas que escreveram publicamente para defender sua decisão de se tornar uma artista de filmes adultos, o autor britânico-libanês Nasri Atallah afirmou: "A indignação moral... é errada por dois motivos. Em primeiro lugar, como mulher ela é livre para fazer o que quiser com seu corpo. Como um ser humano sensível em ação, que vive no meio do mundo, ela é responsável por sua própria vida e não deve absolutamente nada ao país onde ela nasceu."[15] Khalifa falou de si mesmo a respeito "Os direitos das mulheres no Líbano estão longe de ser levados a sério, visto que uma estrela pornô líbano-estadunidense que não reside no seu país pode causar tamanho alvoroço. O que uma vez me vangloriou para as pessoas serem consideradas a nação mais ocidentalizada no Oriente Médio, agora vejo como devastadoramente arcaico e opressor".[15][17]

De acordo com os registros do site PornHub, entre 3 e 6 de janeiro de 2015, as pesquisas por Mia Khalifa quintuplicaram. Cerca de um quarto dessas pesquisas eram originárias do Líbano, com um alto número vindo das regiões dos estados árabes da Síria e da Jordânia.[5] Por causa das controvérsias a respeito da burca, Khalifa foi considerada pela revista masculina adulta Loaded, do Reino Unido, como a quinta colocada na lista das "Dez mais notáveis atrizes pornográficas do mundo."[13] Almaza, uma cervejaria libanesa, divulgou um anúncio que mostrava uma garrafa de cerveja Almaza próxima aos óculos assinados por Khalifa, com o slogan: "Nós dois somos somente para adultos".[18] Em 6 de janeiro de 2015, a dupla estadunidense Timeflies lançou uma música intitulada "Mia Khalifa", em homenagem à ela.[19]

Em uma entrevista concedida em julho de 2016 para o The Washington Post, Khalifa revelou que apenas havia atuado na indústria pornográfica por três meses e havia deixado a indústria há mais de um ano, mudando para um "trabalho mais normal." Ela disse: "Eu acho que foi a minha fase rebelde. Na verdade, não era para mim. Eu meio que me esforcei e tentei me afastar disso."[2] No entanto, ainda continua trabalhando como uma modelo de webcam.[3] Já em janeiro de 2017, o xHamster confimou que Mia Khalifa foi a atriz adulta mais pesquisada no ano de 2016.[20][21]

Vida pessoal

Khalifa morou em Miami, na Flórida, durante a sua carreira como atriz pornográfica, e posteriormente mudou-se para El Paso, no Texas.[2] Depois de encerrar a sua carreira nos filmes adultos, Khalifa tornou-se uma personalidade de mídia social, acumulando mais de um milhão de seguidores no Twitter e mais de trezentos mil no Instagram, nos quais demonstra o apoio para as equipes profissionais esportivas da área de Washington, D. C., incluindo o Washington Redskins, Washington Wizards e o Washington Capitols, onde o seu jogador preferido é André Burakovsky.[22] Dan Steinberg, do The Washington Post, observou que, apesar de sua mudança de carreira, a personalidade de Khalifa na mídia social era "ainda um pouco mais arriscada do que a de Ben Bernanke."[2]

Khalifa tem uma tatuagem do primeiro verso do Hino Nacional Libanês e outra da cruz das forças armadas libanesas, sendo que a última ela fez em 2012, após um bombardeio no Líbano, afirmando que seu objetivo era mostrar solidariedade com as visões políticas de seu país.[15]

Khalifa afirmou que seus pais pararam de se comunicar com ela, em função de sua carreira como atriz pornográfica.[15] Em uma declaração, seus pais repreenderam qualquer associação com suas ações, dizendo que sua decisão de entrar na indústria pornográfica nasceu de sua residência em um país estrangeiro que tinha uma cultura diferente da deles e que suas ações não refletiam a sua educação. Eles também disseram que esperavam que a filha deixasse a pornografia, afirmando que sua imagem não honrou a família ou o seu país de origem.[4]

Uma petição na internet solicitava que Khalifa se tornasse a nova Embaixadora dos Estados Unidos na Arábia Saudita, durante o governo do presidente Donald Trump.[23]

Referências

  1. a b c Fay Strang (5 de janeiro de 2015). «Who is Mia Khalifa? Everything you need to know about Lebanese beauty who's PornHub's number one porn star». Daily Mirror. Consultado em 7 de janeiro de 2015 
  2. a b c d e Dan Steinberg (13 de julho de 2016). «A former porn star has become one of D.C.'s loudest sports fans on social media». The Washington Post. Consultado em 13 de julho de 2016 
  3. a b Sara G (7 de maio de 2016). «Mia Khalifa Interview». howareyoubb.com. Consultado em 7 de dezembro de 2016 
  4. a b c Laura Smith-Spark and Roba Alhenawi (7 de janeiro de 2015). «Songs and death threats for Lebanese American porn star Mia Khalifa». CNN. Consultado em 7 de janeiro de 2015 
  5. a b «Mia Khalifa, a Lebanon-born porn star, is getting 'scary' death threats». Consultado em 8 de janeiro de 2015 
  6. Chris Pleasance (7 de janeiro de 2015). «Lebanese-American porn actress receives death threats in her family's home country after she is voted sex industry's top star». Daily Mail. Consultado em 7 de janeiro de 2015 
  7. Taylor Wofford (6 de janeiro de 2015). «Meet Mia Khalifa, the Lebanese Porn Star Who Sparked a National Controversy». Newsweek. Consultado em 7 de janeiro de 2015 
  8. Cyrus Engineer (6 de janeiro de 2015). «Mia Khalifa: Meet the Lebanese porn star sparking outrage in the Middle East». Daily Star. Consultado em 7 de janeiro de 2015 
  9. a b «Why porn is exploding in the middle east». salon.com. 15 de janeiro de 2015. Consultado em 18 de janeiro de 2015 
  10. «Mia Khalifa's parents furious over porn career». Ya Libnan. 7 de janeiro de 2015. Consultado em 19 de janeiro de 2015 
  11. Ogilve, Jessica (24 de julho de 2015). «Inside Mia Khalifa's Mysterious Rise to Porn Superstardom». Complex. Consultado em 8 de dezembro de 2015 
  12. Adam Taylor (6 de janeiro de 2015). «The Miami porn star getting death threats from Lebanon». The Washington Post. Consultado em 7 de janeiro de 2015 
  13. a b «The world's 10 most notorious porn stars – Mia Khalifa». Loaded. 13 de julho de 2016. Consultado em 17 de julho de 2016 
  14. «What is Mia Khalifa Religion, Race, Ethnicity and Real Name?». Consultado em 6 de janeiro de 2015 
  15. a b c d e f «Mia Khalifa ranked site's top adult actress». Consultado em 7 de janeiro de 2015 
  16. «Lebanese porn star Mia Khalifa sparks controversy in Lebanon». Lebanese Examiner. 3 de janeiro de 2015. Consultado em 19 de julho de 2016 
  17. Nick Kotecki (7 de janeiro de 2015). «Lebanese American porn actress Mia Khalifa receives death threats». Chicago Sun-Times. Consultado em 7 de janeiro de 2015 
  18. Nick Kotecki (7 de janeiro de 2015). «Lenanese American porn actress Mia Khalifa receives death threats». Pittsburgh Sun-Times. The Sun-Times Media Group. Consultado em 18 de janeiro de 2015 
  19. Gil Kaufman (7 de janeiro de 2015). «Hijab-Wearing Porn Star Mia Khalifa Got Her Own Theme Song Courtesy Of Timeflies». MTV. Consultado em 7 de janeiro de 2015 
  20. Brown, Jessica. «Meet the world's most popular porn star - they're from Lebanon». Independent 
  21. Cuddihy, Tony. «The most searched-for porn actress on the planet has been revealed as Mia Khalifa». Joe.ie 
  22. «Mia Khalifa Fancies Hockey Player Andre Burakovsky of the Washington Capitals, And More!». Master Herald. 9 de maio de 2016. Consultado em 8 de julho de 2016 
  23. «Petitioners suggest Trump name US-Lebanese ex-porn star as Saudi envoy». The Jerusalem Post. 29 de novembro de 2016. Consultado em 30 de novembro de 2016 

Ligações externas