Michael Morris, 3.º Barão Killanin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lord Killanin
Informe o parâmetro "preposição". Exemplo: se a presidência for a de Moçambique, digite de
Período Não assumiu
Presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) Comitê Olímpico Internacional
Período 1972
a 3 de agosto de 1980[1]
Antecessor(a) Avery Brundage
Sucessor(a) Juan Antonio Samaranch
Vida
Nome completo Michael Morris
Nascimento 30 de julho de 1914
Londres
Morte 25 de abril de 1999 (84 anos)
Dublin
Nacionalidade República da Irlanda irlandês
Dados pessoais
Profissão jornalista

Michael Morris, 3.º Barão Killanin (Londres, 30 de julho de 1914Dublin, 25 de Abril de 1999) foi um jornalista irlandês e sexto presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI). Ele sucedeu seu tio, Martin Henry FitzPatrick Morris, 2.º Barão Killanin, como Barão Killanin na Nobreza do Reino Unido em 1927.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Londres, filho de George Morris e Dora Wesley Hall. Seu pai morreu em combate nas proximidades de Villers-Cotterêts, França, em 1 de Setembro de 1914, enquanto comandava a guarda irlandesa. Ele era membro de uma das 14 famílias denominadas de Tribos de Galway. Ele estudou no Eton College, na Universidade de Paris e no Magdalene College, em Cambridge, onde foi presidente do Teatro Footlight. Nos anos 30 trabalhou como jornalista para o jornal Daily Sketch e, posteriormente, para o Daily Mail. Em 1937 e 1938, trabalhou como correspondente de guerra durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa.

Serviu como voluntário durante a Segunda Guerra Mundial no 12.º Batalhão Real do exército britânico. Foi promovido a Major e ajudou a planejar o ataque à Normandia em 1944, no chamado Dia D, após o evento foi condecorado com a Ordem do Império Britânico. Após a guerra retornou para a Irlanda.

Comitê Olímpico Internacional[editar | editar código-fonte]

Em 1950 se tornou presidente do Conselho Olímpico Irlandês e, em 1952, representante de seu país no COI. Se tornou vice-presidente em 1968 e sucedeu Avery Brundage na presidência do COI, sendo eleito em 1972.

Durante sua presidência o Movimento Olímpico passou por um período difícil, culminando com o enorme prejuízo financeiro nos Jogos Olímpicos de Verão de 1976, em Montreal, e o boicote liderado pelos Estados Unidos aos Jogos Olímpicos de Verão de 1980, em Moscou.

Michael Morris tomou algumas decisões polêmicas, como a escolha de Nova Iorque e Los Angeles como sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 1980 e dos Jogos Olímpicos de Verão de 1984, respectivamente, sem que fosse permitida a concorrência de qualquer outra cidade. Tais decisões fizeram o COI destituí-lo da presidência após as Olimpíadas de Moscou, em 1980, sendo sucedido por Juan Antonio Samaranch.

Após o COI[editar | editar código-fonte]

Michael Morris também dirigiu diversas companhias e atuou como produtor de cinema.

Também serviu como Cônsul Honorário de Mônaco na Irlanda, entre 1961 e 1984.

Faleceu em sua residência em Dublin, aos 84 anos de idade, sendo sepultado no jazigo da família, em Galway.

Referências

  1. COI. The Organisation - Presidents (em inglês). Visitado em 21 de abril de 2010.
Precedido por
Martin Morris
Barão Killanin
19271999
Sucedido por
Red Morris
Precedido por
Avery Brundage
Presidente do Comitê Olímpico Internacional
19721980
Sucedido por
Juan Antonio Samaranch