Michael Stanley Whittingham

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Michael Stanley Whittingham Medalha Nobel
Nascimento Michael Stanley Whittingham
22 de dezembro de 1941 (80 anos)
Inglaterra
Nacionalidade britânico/estadunidense
Cidadania Estados Unidos, Reino Unido
Alma mater
Ocupação químico, engenheiro, professor(a) universitário(a)
Prêmios Nobel de Química (2019)
Empregador Universidade de Binghamton, Schlumberger, Exxon Research & Engineering Company
Campo(s) química
Obras destacadas bateria de ião lítio

Michael Stanley Whittingham (Inglaterra, 22 de dezembro de 1941) é um químico britânico-estadunidense. Recebeu o Nobel de Química de 2019, juntamente com John Bannister Goodenough e Akira Yoshino, pelo desenvolvimento das baterias de ions de lítio.[1]

Whittingham estudou química na Universidade de Oxford (B.A. 1964, M.A. 1967, D.Phil. 1968).[2] De 1968 a 1972 foi pós doutorando na Universidade Stanford. De 1972 a 1984 trabalhou na Exxon Research & Engineering Company. É professor de química e diretor do Instituto de Pesquisa dos Materiais na Universidade de Binghamton. Contribuiu com trabalhos fundamentais sobre pilhas de lítio.

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

  • J. B. Goodenough e M. S. Whittingham (1977). Solid State Chemistry of Energy Conversion and Storage. [S.l.]: American Chemical Society Symposium Series #163. ISBN 0-8412-0358-X 
  • G. G. Libowitz e M. S. Whittingham (1979). Materials Science in Energy Technology. [S.l.]: Academic Press. ISBN 0-12-447550-7 
  • M. S. Whittingham e A. J. Jacobson (1984). Intercalation Chemistry. [S.l.]: Academic Press. ISBN 0-12-747380-7 
  • D. L. Nelson, M. S. Whittingham e T. F. George (1987). Chemistry of High Temperature Superconductors. [S.l.]: American Chemical Society Symposium Series #352. ISBN 0-8412-1431-X 
  • M. A. Alario-Franco, M. Greenblatt, G. Rohrer e M. S. Whittingham (2003). Solid-state chemistry of inorganic materials IV. [S.l.]: Materials Research Society. ISBN 1-55899-692-3 

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Frances Arnold, George P. Smith e Gregory Winter
Nobel de Química
2019
com John Bannister Goodenough e Akira Yoshino
Sucedido por
Emmanuelle Charpentier e Jennifer Doudna
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) químico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.