Mieza (Macedônia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mieza
Μίεζα, "santuário das Ninfas"
Onde Aristóteles e Alexandre, o Grande se encontraram: Naussa
Localização atual
Mieza está localizado em: Grécia
Mieza
Localização de Mieza na Grécia
Coordenadas 40° 37' 26" N 21° 56' 33" E
País  Grécia
Periferia Macedônia Central
Prefeitura Emátia
Localidade mais próxima Naussa
Dados históricos
Fundação 2 000 a.C.
Abandono século IV
Período de Aureo Período helenístico
Helenística Grego
Notas
Acesso público Sim


Mieza (Μίεζα), "santuário das Ninfas", uma das cidades principais do Reino da Macedônia durante o período do quarto ao século II a.C., é um sítio arqueológico na base do monte Vermio,[1] entre Copanos, Lefcádia e Naussa. Mieza foi nomeado em homenagem a Mieza, na antiga mitologia macedônia[2], filha de Beres e irmã de Olganos e Beroia.[3]

Os achados arqueológicos indicam que a região tem uma longa história de habitação, que começou em torno do segundo milênio a.C. e durou até o final da antiguidade. As escavações gradualmente preencheram a imagem de uma comunidade rural que se transforma em um centro urbano, para se tornar a cidade próspera e rica do período helenístico. A evidência mais eloquente provém dos cemitérios e monumentos funerários da área, que preservou o segundo complexo mais expressivo de túmulos macedônios após os túmulos reais de Vergina.[4] Mieza tem sido objeto de escavações arqueológicas desde 1954.[5]

Tumbas macedônias[editar | editar código-fonte]

Um total de seis túmulos macedônios foram encontrados ao longo da estrada que na antiguidade levava de Pela a Mieza. Eles têm todas as características típicas das monumentais túmulos macedônios, que são estruturas abobadadas subterrâneas com uma fachada semelhante a um templo e uma ou duas câmaras funerárias.

Os túmulos de Lefcádia datam do século III d.C. e são conhecidos com nomes convencionais, como o túmulo de Kinch, em homenagem ao arqueólogo dinamarquês que a escavou no século XIX;[6] Mais comumente, entretanto, as tumbas são nomeadas após seu tema da decoração. Entre os exemplos mais marcantes está o Túmulo dos Palmettes.[7] O frontão da fachada jônica é coroado por três grandes palmetas acroterias, enquanto o tímpano retrata um afresco com um casal maduro reclinado. Um caso único compreende o túmulo de Lisão e Cálicles (cerca de 200 a.C.),[8] pois neles estão escritos os nomes dos moros, representando pelo menos quatro gerações de uma família.

Referências

  1. «Oreivatein list of mountain peaks». Consultado em 22 de março de 2012. Arquivado do original em 16 de outubro de 2013 
  2. Sreten Petrovic - Sistem srpske mitologije
    ГРОМОВНИКОТ И НЕГОВИТЕ КАМЕНИ ИЛИ БОЖЈИ СТРЕЛИ׃ ГРОМОТ И МОЛЊАТА - споредбена анализа кај јужнословенските народи - Милошеска Ели
    Rodna Veličkovska: Muzičkite dijalekti vo makedonskoto tradicionalno narodno peenje
  3. Mieza - Ancient Village or Settlement in Greece in Northern Greece and Macedonia
  4. Medwid, Linda M. The makers of classical archaeology: a reference work, pág. 22. Humanity Books, 2000. ISBN 1-57392-826-7,9781573928267. (visitado em 6-9-09).
  5. Orkin, Lisa (18 July 1999). "Greece – Ruins Renewed: Seeking New Life For Past Glories". The Seattle Times (via Associated Press).
  6. the Macedonian Tomb of Niaousta (Kinch's Tomb)
  7. Tomb of the Palmettes
  8. Lyson and Callicles’ Tomb - Mieza