Miguel Ângelo da Silva Ferreira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Miguel Ângelo da Silva Ferreira (Luanda, 20 de Março de 1953 ) É um ministro protestante angolano com cidadania portuguesa, fundador da Igreja Evangélica Cristo Vive no Rio de Janeiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em LuandaAngola, em sua juventude foi militar de alta patente do Movimento Popular de Libertação de Angola até sofrer um atentado que o deixou politraumatizado com várias fraturas ósseas.[1] Após passar quase dois anos num leito de hospital para se recuperar, em 1982 mudou se para o Brasil e algum tempo depois se tornou pastor da Igreja Pentecostal de Nova Vida. Era tido como um provável sucessor do Bispo Robert McAlister, por sua eloquência e tamanha facilidade de tocar nas multidões; sua administração a frente de igrejas como a do bairro da Ilha do Governador também eram destacadas na Igreja de McAllister. Por ocasião de falta de compatibilidade doutrinária, Miguel Ângelo decidiu deixar a denominação e assim fundar a sua própria igreja.

No ano de 1985, Miguel Ângelo funda então a Igreja Evangélica Cristo Vive com sede no bairro de Campinho no subúrbio da cidade do Rio de Janeiro. Ele assume também a sua administração como bispo primaz e em seguida apóstolo, tendo sua esposa, filhas e genros como bispos da Igreja [2] . Sua igreja é conhecida também como pilar da Missão Apostólica da Graça de Deus, tendo igrejas filiadas por todo Brasil, uma em Portugal e algumas em países da Africa [3] [4] [5] .

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Miguel Ângelo é acusado por muitos lideres evangélicos no Brasil de subverter a fé implantando doutrinas polêmicas, como a não necessidade do Batismo e de jejuns espirituais alegando que são ensinos judaizantes que foram adotados pela tradição cristã, mas que não fazem mais parte da vida de um cristão pois estariam ligados a Lei de Moisés e não ao pacto da Graça estabelecido por Jesus Cristo e pregado pelo apóstolo Paulo.

Outro ponto de atrito entre Miguel Ângelo e lideres de outros ministérios é a defesa por parte deste da doutrina da predestinação de João Calvino tiradas das 14 epístolas de Paulo onde é Deus quem escolhe quem vai ser salvo e quem vai ser condenado, onde não existe o livre-arbítrio por parte do homem.[6] [7] [8]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Apóstolo Miguel Ângelo. «Biografia Apóstolo Miguel Ângelo». Consultado em 26/04/2016. 
  2. Apóstolo Miguel Ângelo. «Família Apostólica da Igreja Cristo Vive». Consultado em 26/04/2016. 
  3. Apóstolo Miguel Ângelo. «Cristo Vive em Portugal». Consultado em 26/04/2016. 
  4. Apóstolo Miguel Ângelo. «Ordenação da 1ª Pastora na África». Consultado em 26/04/2016. 
  5. Apóstolo Miguel Ângelo. «Outras Igrejas». Consultado em 26/04/2016. 
  6. Apóstolo Miguel Ângelo. «Doutrinas da Igreja Cristo Vive». Consultado em 26/04/2016. 
  7. Pr. Natanael Rinaldi. «Igreja Evangélica Cristo Vive: Igreja ou Seita?». Consultado em 06/10/2010. 
  8. Túlio César Costa Leite. «Fides Reformata 4/1 1999» (PDF). Consultado em 06/10/2010. 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.