Miguel Castro Caldas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde Março de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Março de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Miguel Castro Caldas
Nome completo Miguel de Magalhães de Castro Caldas
Nascimento 18 de janeiro de 1972 (45 anos)
Lisboa,  Portugal
Prémios Prémio Autores de 2017
Género literário Romance, teatro, tradução
Magnum opus Se eu vivesse tu morrias

Miguel de Magalhães de Castro Caldas (Lisboa, 18 de Janeiro de 1972) é um escritor português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciou-se em Línguas e Literaturas Modernas, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo publicado vários textos n' Os Fazedores de Letras, jornal da Associação de Estudantes daquela faculdade, entre 1998 e 2001. Estreou-se como romancista com Queres crescer e depois não cabes na banheira (Ambar, 2002) e As Sete Ilhas De Lisboa (Ambar, 2004). Como dramaturgo escreveu as seguintes peças para a companhia Primeiros Sintomas: A Montanha Também Quem, O Homem Do Pé Direito, O Homem da Picareta, Conto de Natal - Variações de Dickens e Nunca Terra em Vez de Peter Pan; para a Companhia do Chapitô: É Bom Boiar Na Banheira; para os Artistas Unidos traduziu: A Fábrica de Nada, de Judith Herzberg. Integrou a Leitura Furiosa, em 2003, iniciativa organizada anualmente pela associação Cardan, em Amiens, e pela associação cultural Abril em Maio, em Lisboa. Recebeu uma menção especial da Associação Portuguesa de Críticos de Teatro, em 2005.

Obras[editar | editar código-fonte]

Romances

  • Queres crescer e depois não cabes na banheira (Ambar, 2002)
  • As Sete Ilhas De Lisboa (Ambar, 2004