Miguel Enríquez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Miguel Enríquez Espinosa (Concepción, 27 de março de 1944Santiago, 5 de outubro de 1974) foi um médico chileno, que fundou e presidiu o partido político marxista-leninista Movimento de Esquerda Revolucionária.

Após golpe militar de 11 de setembro de 1973, Enríquez organizou a resistência clandestina contra a ditadura do general Augusto Pinochet. Após um ano na clandestinidade, a polícia política do regime, a DINA, descobriria seu esconderijo em um bairro pobre de Santiago. Em 5 de outubro, sua casa foi cercada por agentes da DINA e centenas de policiais com tanques e helicópteres. Enríquez recusou se entregar à polícia e foi morto por uma granada lançada em sua casa.

Seu filho, Marco Enríquez-Ominami, é um proeminente político chileno e candidato independente às eleições presidenciais de 2009 com uma agenda de centro-esquerda.


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.