Miguel Guilherme

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde junho de 2017) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Miguel Guilherme
Miguel Guilherme
Nome completo Miguel Guilherme Guerra Neves de Almeida
Nascimento 15 de novembro de 1958 (59 anos)
Lisboa, Portugal Portugal
Nacionalidade Português
Ocupação Ator
Outros prêmios
Globo de Ouro (2011)
IMDb: (inglês)

Miguel Guilherme Guerra Neves de Almeida (Lisboa, 15 de novembro de 1958) é um actor e encenador português.[1]

Juntamente com Luís Esparteiro, Diogo Infante e António Capelo, Miguel Guilherme é considerado um dos melhores atores da sua geração.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Miguel Guilherme estudou Antropologia, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Tendo deixado o curso em prol do teatro,[2] iniciou a sua carreira no Teatro da Comuna, destacando-se na peça O Dragão, de Eugène Schwartz, com João Mota. Nos anos seguintes trabalhou com João Lourenço, no Teatro Aberto, e Mário Feliciano, no Teatro São Luiz. Em 1987 inicia uma colaboração regular com o Teatro da Cornucópia, sob a direcção de Luís Miguel Cintra. Foi ainda dirigido por José Wallenstein, Fernanda Lapa, Adriano Luz, António Pires, Ricardo Pais e António Feio. Representou William Shakespeare, Samuel Beckett, Botho Strauss, Bertolt Brecht, Edward Bond, Luigi Pirandello, entre muitos outros.

Como encenador estreou-se em Perversões, de David Mamet, ao lado de José Pedro Gomes, para o Clube Estefânia. A esta primeira experiência, seguem-se Desastres, a partir de uma colagem de textos de Ionesco, Samuel Beckett e Philip Dick, no Teatro da Cornucópia; À Espera de Godot, de Samuel Beckett, no Teatro da Comuna; Vai Ver Se Chove, adaptado de Georges Courteline, novamente na Cornucópia.

Na televisão participou em telefilmes de Paulo Rocha, Luís Filipe Costa e Edgar Pêra, trabalhou com Herman José em Humor de Perdição (1987), Herman Enciclopédia (1997) e Herman 98 (1998) e Herman 99 (1999); integrou o elenco de séries como Conta-me como Foi (RTP - 2007, 2008 e 2009), Bocage[3] de Fernando Vendrell, que protagonizou (RTP - 2006), O Fura-Vidas (SIC - 1999) ou Sai da Minha Vida (SIC - 1996).

Participou em Redenção, uma minissérie da TVI, com cerca de 4 episódios, onde interpreta o papel de Luís. Também actua na série cómica Último a Sair, em exibição na RTP 1 onde interpreta um apresentador de televisão. Assinou contrato de exclusividade com a TVI, por 3 anos, e em breve estará no elenco de Violeta, a novela de Tozé Martinho, que substituirá novela em Setembro. Desde 2014, faz parte do elenco do programa de humor Melhor do que Falecer, na TVI, escrito e protagonizado por Ricardo Araújo Pereira.

No cinema salienta, como um dos seus primeiros trabalhos, o filme Filha da Mãe, de João Canijo, em 1990. No mesmo ano trabalhou com Manoel de Oliveira em Non ou a Vã Glória de Mandar, realizador que também o dirigiu em A Divina Comédia, que protagonizou (1991), Vale Abraão (1993), A Caixa (1994), Palavra e Utopia (2000) e O Quinto Império (2004). Trabalhou ainda em filmes de Jorge Silva Melo, Fernando Lopes (1993 - O Fio do Horizonte, 2002 - O Delfim e 2004 - Lá Fora), José Fonseca e Costa (1996 - Cinco Dias, Cinco Noites e 2003 - O Fascínio), António-Pedro Vasconcelos, Jorge Cramez, Solveig Nordlund (2002 - Aparelho Voador a Baixa Altitude), Fernando Matos Silva, Paulo Rocha, Manuel Mozos (1999 - … Quando Troveja), entre outros. Participou em Alice, de Marco Martins (2005), no remake de O Pátio das Cantigas e ainda no filme português mais recente "O Leão da Estrela".

Na rádio co-apresentou, com Nuno Artur Silva, o programa História Devida na Antena 1/RDP, baseado num modelo criado por Paul Auster, nos EUA.

Em Setembro de 2017, regressa à TVI, na novela A Herdeira, onde dará vida à personagem Sancho Villalobos.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Personagem Nota(s)
1987-88 Humor de Perdição Betinho de Sallette Elenco Principal
1990 Alentejo sem Lei Mil Homens
1993-94 Sozinhos em Casa Felix protagonista
1996 Sai da Minha Vida Mário
A Mulher do Senhor Ministro Santinho Lopes participação especial
1997-98 Herman Enciclopédia Várias personagens
1998-99 Herman 98 Várias personagens
1999-01 O Fura-Vidas Quim Fintas Protagonista
2004 Inspector Max Elísio Participação especial
2006 Bocage Bocage Protagonista
2007-11 Conta-me Como Foi António Lopes Protagonista
2008 Casos da Vida Paulo Fortuna 2ª temporada, episódio 9
2010 Noite Sangrenta Óscar Carmona
2011 Último a Sair Teresa/Júlia
Família Mata Luís participação especial
Redenção Anjo Protagonista
2012-13 Doce Tentação João Pingas Elenco Principal
2013 Mundo ao Contrário Simão Quintino Protagonista
2014 Melhor do que Falecer Várias personagens
2015-16 Coração d'Ouro Luís Noronha Co-Protagonista
2017 Sim, Chef! Vítor Guerreiro Protagonista
A Herdeira Sancho Villalobos Antagonista
2018 Mundo Natural Por Revelar Protagonista

Cinema[editar | editar código-fonte]

Dobragens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Lista de associados da Audiogest» (PDF). Actividades Culturais / Ministério da Cultura. 25 de Julho de 2007. Consultado em 26 de Dezembro de 2013. 
  2. «Miguel Guilherme "Estou-me a cagar para a política cultural"». Jornal i. Consultado em 28 de abril de 2012. 
  3. «Miguel Guilherme». Rua de Baixo. Consultado em 28 de abril de 2012. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]