Miguel Santos Vieira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Miguel Santos Vieira
Nascimento 1978 (40 anos)
Lisboa
Nacionalidade Português
Ocupação Investigador

Miguel Santos Vieira (Lisboa, 1978) é um investigador português integrado na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Leccionou no Heythrop College da University of London[1].

Licenciou-se em Filosofia, variante de História das Ideias pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com dissertação final sobre a Philia em Aristóteles classificada com 19 valores (2002). Aí conclui a Pós-graduação (parte curricular de Mestrado em Filosofia), com 18 valores (2003) e a parte curricular do Ramo de Formação Educacional, com 17 valores (2004).[1]

Foi Bolseiro de Doutoramento da Fundação Calouste Gulbenkian no Reino Unido (2007-2010). Obteve o grau de Doutor em Filosofia Antiga e Contemporânea pela Universidade de Londres com a classificação máxima 'summa cum laude' concedida em cerimónia protocolar no Imperial College London (2010). Trabalhou como Assistente Administrativo na Reitoria Senate House-Universidade de Londres(2007) e Assistente do Director de Investigação de Heythrop College da University of London (2006 08).[1][2]

É autor de várias comunicações e seminários de Filosofia na Europa e nos Estados Unidos da América, tendo vários artigos publicados em revistas da especialidade e um livro publicado.[3][4][5][6][7][8][9]

Foi Bolseiro de Pós-Doutoramento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Governo Português (FCT), para desenvolver um projecto de investigação na área da Filosofia da Literatura.

É discípulo do Professor de Filosofia, Filósofo e Tradutor de Grego Clássico, Latim e Alemão, Professor Doutor António Caeiro.

Desenvolve também actividade como pianista, tendo-se apresentado em recital em Portugal e no estrangeiro.[10][11][12][13][14]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências