Mihail Kogălniceanu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mihail Kogălniceanu
Primeiro-Ministro da Romênia
Período de 11 de outubro de 1863
a 26 de janeiro de 1865
Monarca Alexandre João
Carlos I
Antecessor(a) Nicolae Creţulescu
Sucessor(a) Nicolae Creţulescu
Ministro de Relações Exteriores da Romênia
Período de27 de abril de 1876
a 23 de julho de 1876
e de 3 de abril de 1877
a 24 de novembro de 1878
Antecessor(a) Dimitrie Cornea
Nicolae Ionescu
Sucessor(a) Nicolae Ionescu
Ion C. Câmpineanu
Ministro do Interior da Romênia
Período de 11 de outubro de 1863
a 26 de janeiro de 1865,
de 26 de novembro de 1868
a 24 de janeiro de 1870,
de 17 de novembro de 1878
a 25 de novembro de 1878
e de 11 de julho de 1879
a 17 de abril de 1880
Antecessor(a) Nicolae Creţulescu
Anton I. Arion
C. A. Rosetti
Ion C. Brătianu
Sucessor(a) Constantin Bosianu
Dimitrie Ghica
Ion C. Brătianu
Ion C. Brătianu
Dados pessoais
Nascimento 6 de setembro de 1817
Iaşi, Moldávia
Morte 1 de julho de 1891 (73 anos)
Paris, França
Cônjuge Ecaterina Jora
Partido Partido Nacional Liberal
Religião Ortodoxia romena
Profissão Advogado, historiador e político
Assinatura Assinatura de Mihail Kogălniceanu

Mihail Kogălniceanu ([mihaˈil koɡəlniˈt͡ʃe̯anu] (Sobre este somescutar ); Iaşi, 6 de setembro de 1817 — Paris, 1 de julho de 1891), também conhecido como Mihail Cogâlniceanu e Michel de Kogalnitchan, foi um advogado, historiador, publicista e estadista liberal romeno, nascido na Moldávia. Ocupou o cargo de primeiro-ministro de 24 de outubro de 1863 a 6 de fevereiro de 1865, após a união dos Principados do Danúbio (Moldávia e Valáquia).

Carreira[editar | editar código-fonte]

Mais tarde serviu como ministro das Relações Exteriores, sob Carlos I da Romênia. Ele foi várias vezes Ministro do Interior sob Alexandru Ioan Cuza e Carlos I. Um polímata, Kogălniceanu foi um dos intelectuais romenos mais influentes de sua geração. Ao lado da corrente liberal moderada durante a maior parte de sua vida, ele começou sua carreira política como colaborador do Príncipe Mihail Sturdza, enquanto dirigia o Teatro Iași e publicava várias publicações junto com o poeta Vasile Alecsandri e o ativista Ion Ghica. Depois de editar a influente revista Dacia Literară e servir como professor na Academia Mihăileană, Kogălniceanu entrou em conflito com as autoridades por causa de seu discurso inaugural nacionalista romântico de 1843. Ele foi o ideólogo da revolução moldava abortada de 1848, sendo o autor de seu documento principal, Dorințele partidei naționale din Moldova.

Após a Guerra da Crimeia (1853-1856), com o Príncipe Grigore Alexandru Ghica, Kogălniceanu foi responsável pela redação da legislação para abolir a escravidão cigana. Junto com Alecsandri, ele editou a revista sindicalista Steaua Dunării, desempenhou um papel proeminente durante as eleições para o Divan ad hoc (eram assembleias legislativas e consultivas dos Principados do Danúbio - Moldávia e Valáquia -, vassalos do Império Otomano) e promoveu com sucesso Cuza, seu amigo de longa data, ao trono. Kogălniceanu avançou com a legislação para revogar as patentes e títulos tradicionais e para secularizar as propriedades dos mosteiros. Seus esforços na reforma agrária resultaram em um voto de censura, levando Cuza a aplicá-los por meio de um golpe de estado em maio de 1864. No entanto, Kogălniceanu renunciou em 1865, após seus próprios conflitos com o monarca.

Uma década depois, ele ajudou a criar o Partido Liberal Nacional, antes de desempenhar um papel importante na decisão da Romênia de entrar na Guerra Russo-Turca de 1877-1878 - escolha que consagrou sua independência. Ele também foi fundamental na aquisição e posterior colonização da região norte de Dobruja. Durante seus últimos anos, ele foi um membro proeminente e ex-presidente da Academia Romena, e por um breve período serviu como representante da Romênia na França.[1][2][3][4][5][6][7][8][9][10]

Está sepultado no Cemitério Eternitatea em Iași.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Dezrobirea țiganilor, ștergerea privilegiilor boierești, emanciparea țăranilor - Wikisource». ro.wikisource.org (em romeno). Consultado em 8 de setembro de 2021 
  2. Neagu Djuvara, Între Orient și Occident. Țările române la începutul epocii moderne, Humanitas, Bucharest, 1995. ISBN 973-28-0523-4
  3. Constantin C. Giurescu, Istoria Bucureștilor. Din cele mai vechi timpuri pînă în zilele noastre, Editura Pentru Literatură, Bucharest, 1966. OCLC 1279610
  4. William Norton Medlicott, The Congress of Berlin and After, Routledge, London, 1963. ISBN 0-7146-1501-3
  5. Z. Ornea, Anii treizeci. Extrema dreaptă românească, Editura Fundației Culturale Române, Bucharest, 1995. ISBN 973-9155-43-X Z. Ornea, Junimea și junimismul, Vol. II, Editura Minerva, Bucharest, 1998. ISBN 973-21-0562-3
  6. Laurence Senelick, National Theatre in Northern and Eastern Europe, 1746–1900, Cambridge University Press, Cambridge, 1991. ISBN 0-521-24446-3
  7. Leften Stavros Stavrianos, The Balkans since 1453, C. Hurst & Co, London, 2000. ISBN 1-85065-550-2
  8. Charles Upson Clark, United Roumania, Ayer Publishing, Manchester, New Hampshire, 1971. ISBN 0-405-02741-9
  9. Final Report of the International Commission on the Holocaust in Romania, Polirom, Iași, 2004. ISBN 973-681-989-2
  10. Viorel Achim, The Roma in Romanian History, Central European University Press, Budapest, 2004. ISBN 963-9241-84-9

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Nicolae Creţulescu
Primeiro-ministro da Romênia
1863 – 1865
Sucedido por
Nicolae Creţulescu


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) político(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.