Mike Carlin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mike Carlin
Mike Carlin em 2007, durante uma convenção de quadrinhos
Nascimento 06 de outubro de 1958 (57 anos)

Michael "Mike" Carlin (6 de outubro de 1958)[1] é um escritor e editor de revistas em quadrinhos americanas. Em 1992, após coordenar a publicação do arco de história A Morte do Superman nas quatro revistas então publicadas pela editora envolvendo o personagem, foi indicado ao Prêmio Eisner de "Melhor Editor" daquele ano.[2] Após não ser indicado no ano seguinte, foi indicado e eleito "Melhor Editor" durante a edição de 1994 da premiação.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carlin começou a trabalhar na DC Comics em 1977, como estagiário[4] e foi, durante as décadas de 1980 e 1990, o responsável por coordenar as revistas envolvendo o personagem Superman. Foi durante a sua gestão que foi publicado o arco de história "A Morte do Superman" em que o personagem, após ser bem-sucedido em derrotar o monstro Apocalypse, faleceria.[5] A história foi responsável por atrair para o personagem e para as revistas, tanto dos leitores quanto da imprensa em geral, uma atenção que elas não vinham recebendo há anos. A edição em que o personagem falece, Superman #75, teve uma tiragem sem precedentes de seis milhões de exemplares, e é até hoje uma das revistas mais vendidas da história.[6]

Após a morte do personagem, a publicação de todas as revistas foi suspensa, e só retomada quatro meses depois, com a publicação de Reign of Superman, história que, ao passo que reintroduzia o personagem, representou também significativas mudanças para o elenco de apoio do personagem - o vilão Erradicador passou a agir como herói durante a saga, apoiando Superman, e os personagens Aço e Superboy fizeram suas primeiras aparições - e para o Universo DC - a fictícia cidade americana de Coast City, lar do Lanterna Verde Hal Jordan foi completamente destruída pelo vilão Superciborgue. Reign colheu consideravelmente mais elogios que a história que a precedeu e, embora sua tiragem não tenha quebrado recordes, também apresentou vendas expressivas.[5] [6] [7] [8]

Referências

  1. John Jackson Miller (10 de junho de 2005). "Comics Industry Birthdays". Comic Buyer's Guide (em inglês). Arquivado desde o original em 29 de outubro de 2010. Consult. 11 de junho de 2011. 
  2. http://www.hahnlibrary.net/comics/awards/eisner92.php
  3. http://www.hahnlibrary.net/comics/awards/eisner94.php
  4. Wilbur (9 de agosto de 2001). "O Omelete na mesa redonda de Joe Quesada, Mike Carlin e Axel Alonso". Omelete (em português). Consult. 11 de junho de 2011. 
  5. a b Eduardo Marchiori. (Setembro/Outubro de 2009). "Dossiê Superman. Anos 1990: Mudanças radicais". Revista Mundo dos Super-Heróis (18): 40-43. ISSN 9771980523001.
  6. a b Manoel de Souza; Antônio Santos. (Agosto de 2006). "Super Dossiê: A morte do Superman". Revista Mundo dos Super-Heróis (1): 38-39. 97711676609101 ISSN 16766091.
  7. Michael Bailey (2002). "Where Were You The Day Superman Died?". Superman Homepage (em inglês). Consult. 11 de junho de 2011. 
  8. Thiago Rique. "Review: A MORTE DO SUPER-HOMEM". Universo HQ (em português). Consult. 11 de junho de 2011. 


Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.