Mike Patton

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mike Patton
Mike em 2006
Informação geral
Nome completo Michael Allan Patton
Também conhecido(a) como Mr. 1000 Voices
Nascimento 27 de janeiro de 1968 (46 anos)
Local de nascimento Eureka, Califórnia
Estados Unidos Estados Unidos
Gênero(s) Rock alternativo, música experimental, hip hop, pop,[1] [2] metal avant-garde, metal alternativo
Período em atividade 1985 - actualmente
Gravadora(s) Ipecac, Tzadik, Warner Bros. Records, Slash
Afiliação(ões) Faith No More, Tomahawk, Fantômas, Peeping Tom, Mr. Bungle, John Zorn, Lovage

Michael Allan Patton (Eureka, 27 de janeiro de 1968) é um músico dos Estados Unidos, famoso por ser vocalista da banda Faith No More.

Além de seu trabalho mais célebre como frontman do Faith No More, Patton participou ou participa dos projetos como Mr. Bungle, Fantômas, Peeping Tom, Tomahawk, e ainda se envolveu em projetos paralelos como John Zorn, Dan the Automator, Kool Keith, The X-Ecutioners, Team Sleep, Björk, Subtle, Rahzel, Amon Tobin, Eyvind Kang, Lovage e Kaada. Foi um dos fundadores da Ipecac Recordings juntamente com Greg Werckman, em 1999.[3] [4]

Mike Patton é também conhecido pela utilização da maior variedade de estilos e técnicas vocais. Os seus espetáculos contam sempre com passagens de falsettos, vozes guturais, entre outros. Devido ao seu talento vocal, Patton é referido muitas vezes como Mr. 1000 Voices (Senhor das 1000 vozes).[5]

Em maio de 2006, lançou o álbum Peeping Tom com o seu projeto homônimo ao qual chamou uma nova versão da música pop, em entrevista sobre o álbum ele se referia que se ouvisse rádio o estilo da estação seria assim, como tal ecletismo contou com a participação de vários músicos convidados como Norah Jones, Bebel Gilberto, Kid Koala, Doseone, Massive Attack, Odd Nosdam, Jel e Dub Trio.[6]

No cinema, produziu a trilha sonora dos filmes: "A Perfect Place" e "Crank: High Voltage" e "Making 'Crank 2'". Atuou como protagonista no filme "Firecracker" (2006), e emprestou sua voz para diversos filmes, na locução ou dublagem de personagens.[7]

Depois de mais de 10 anos separados, no começo de abril de 2009, Mike Patton e os integrantes do Faith No More se reuniram e anunciaram a volta da banda aos palcos. Eles afirmam que não é propriamente um retorno da banda, apenas uma reunião para uma turnê européia, porém, além destes 32 shows desta turnê européia, constam ainda shows na América do Sul, incluindo 4 apresentações no Brasil.[8] [9]

Ainda em sua carreira solo, Patton lançou em 2010, Mondo Cane, uma coleção de suas interpretações muito próprias de vários sucessos do pop italiano. O repertório do Mondo Cane ficou calcado no disco homônimo, que surpreendeu público e crítica menos pelo inusitado do repertório, do que pela fluência de Patton no italiano.[10]

O músico americano foi casado de 1994 a 2001 com a artista plástica italiana Titi Zuccatosta e morou na Itália durante temporadas, onde aprendeu um italiano impecável, além de falar português e espanhol. Michael Allan Patton é de longe um dos mais versáteis e talentosos cantores de rock da história, também um dos mais valiosos, já que durante toda sua trajetória dividiu-se em três partes: o Faith no More, o Mr. Bungle e projetos de rock experimental, sendo que nos dias de hoje, ele possui pelo menos sete projetos. Patton possui um público fiel que ultrapassou gerações e o considera um dos nomes mais importantes da história do rock. Por suas idiossincrasias, ideias inovadoras e experimentais, é comparado a artistas como Frank Zappa e John Zorn.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Oficiais
Informações
Entrevistas
Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.