Milli Vanilli

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Milli Vanilli
Milli Vanilli and C. Michael Greene.jpg
Informação geral
País  Alemanha
Gênero(s) dance music
pop
reggae
Funk
Rap
Período em atividade 1988-2006
Gravadora(s) Hansa Records, BMG, Arista Records
Integrantes
Rob Pilatus
Fabrice Morvan
John Davis
Brad Howell
Jodie Rocco
Linda Rocco
Charles Shaw

Milli Vanilli foi uma dupla de reggae e dance music formada por Frank Farian na Alemanha em 1988 cujos integrantes eram o afro-francês Fab Morvan (14 de Maio de 1966) e germano-americano Rob Pilatus (8 de Junho de 1965 – 2 de Abril de 1998).

O álbum de estréia da dupla alcançou altas vendas internacionalmente e os premiou com um Grammy de Melhor Artista Estreante em 1990. Entretanto, o sucesso deles virou infâmia, quando o prêmio foi revogado depois da revelação de que os supostos cantores não cantavam no disco.

História[editar | editar código-fonte]

Começo[editar | editar código-fonte]

Frank Farian destacou para os vocais o rapper Charles Shaw, John Davis, e Brad Howell (alguns dão seu nome como Howe) e duas cantoras americanas de meia-idade que moravam na Alemanha as irmãs gêmeas Jodie e Linda Rocco, mas viu que aqueles músicos eram talentosos mas invendáveis. Portanto, atraído por seu carisma, Frank escalou Morvan e Pilatus, dois dancarinos aspirantes a modelos para tomarem a frente do projeto. O primeiro álbum do Milli Vanilli foi All or Nothing.[1] Apesar de criticado (frequentemente as produções recicladas de Farian tendo os mesmos sons e batidas de faixas), a fama do Milli Vanilli continuou a crescer pelo mundo. All or Nothing foi reempacotado, remixado e reintitulado para Girl You Know It's True na versão norte-americana. Cinco singles foram lançados da segunda metade de 1988 até o início de 1990: a faixa-título, "All or Nothing", e os três maiores sucessos do grupo: "Girl You Know It's True", "Baby Don't Forget My Number", e "Blame It On The Rain". O Milli Vanilli ganhou o Grammy de Melhor Artista Estreante em 21 de Fevereiro de 1990 por Girl You Know It's True.[1]

Revolta na mídia[editar | editar código-fonte]

Alguns meses antes do grupo ter recebido o Grammy, aconteceu algo que levantou suspeitas relativas a quem realmente cantava as músicas do grupo. Durante um concerto ao vivo no Lake Compounce theme park em Bristol (Connecticut) gravado pela MTV norte-americana em julho de 1989, a cassete que continha a gravação da música "Girl You Know It's True" emperrou, repetindo inúmeras vezes a frase "Girl You Know It's...", para desespero do duo. De acordo com o primeiro episódio da série Behind the Music do canal VH1, que destacou o Milli Vanilli, fãs que assistiam ao show pareceram não se importar e tudo continuou como se nada tivesse acontecido, mas críticos perceberam e atacaram Rob e Fab em suas críticas sobre o show.

Algo que aumentou ainda mais as supeitas da fraude foram as declarações do rapper Charles Shaw, que revelou a um repórter de New York que Morvan e Pilatus na realidade não tinham cantado qualquer música do álbum. Shaw rapidamente retirou suas afirmações (aparentemente recebeu U$1,5 milhões de Farian para ficar calado), na qual ele alega que eles eram apenas dublês de seu próprio álbum.[1]

Milli Vanilli logo ganhou o Grammy Award de Melhor Novo Artista em fevereiro de 1990, embora os rumores continuassem a turbulência. Fora que no início de 1990, superaram todos os recordes, ficando acima de artistas como Indigo Girls, Neneh Cherry, Soul II Soul, e Tone-Loc.[1]

A fama estava começando a subir à cabeça da dupla, particularmente Pilatus, que tinha um extremo humor e comportamento errático, além de ter desenvolvido um vício em cocaína. Em uma entrevista à revista Time, Pilatus comparou a si mesmo e o Milli Vanilli com Bob Dylan, Elvis Presley, Paul McCartney e Mick Jagger, e foi severamente ridicularizado por suas afirmações.[1] Na entrevista ele disse:Musicalmente, somos mais talentosos do que qualquer Bob Dylan ou Paul McCartney. Mick Jagger não consegue produzir um som. Eu sou o novo Elvis. Mick Jagger não chega aos meus joelhos, quando se trata de carisma no palco![2]

O público começou a questionar o talento da dupla e espalhou-se o rumor de que não eram Morvan e Pilatus os intérpretes das músicas e que a dupla se limitava a fazer uma "representação". Ao contrário da versão internacional de All or Nothing, os créditos para a versão americana atribuíram claramente as vozes no álbum para Morvan e Pilatus, "irmãos de sangue".

Em 15 de Novembro de 1990, devido às dúvidas cada vez mais crescentes a respeito da fonte do talento no grupo, bem como a insistência de Morvan e Pilatus para que os deixasse cantar no próximo álbum, ameaçando revelar o esquema, Farian admitiu que os dois não eram os verdadeiros intérpretes, mas sim Charles Shaw, John Davis e Brad Howell. Farian tinha escolhido esse grupo de pessoas para cantar as músicas mas sabia que precisava de alguém que transmitisse uma outra imagem ao público, uma imagem mais jovem, sensual e fotogênica. Assim, contratou Morvan e Pilatus, dois jovens que tinha conhecido numa discoteca em Berlim, começando uma das maiores fraudes da história da música.

Como resultado da pressão da mídia norte-americana, o Grammy do Milli Vanilli foi retirado quatro dias depois. Ironicamente, a comissão do Grammy tinha justificado a sua decisão citando o "impacto visual" da dupla (entretanto, seus três prêmios American Music Award nunca foram cancelados devido ao fato dos organizadores concluírem que tais prêmios lhes foram dados pelos compradores dos discos[3] ), a gravadora Arista Records os retirou do seu elenco, tal como o álbum, que teve seus masters apagados, tornando Girl You Know It's True fora de catálogo. Lojas de discos também foram proibidas de devolverem suas cópias para a Arista, e várias lojas de discos usados se recusaram completamente de comprar cópias de outras lojas.

Depois de todos esses detalhes virem à tona, pelo menos 26 processos diferentes[4] correram contra Pilatus, Morvan e a gravadora Arista, amparados pelas várias leis norte-americanas de proteção ao consumidor contra fraudes. Um desses processos ocorreu em 22 de Novembro de 1990 em Ohio, onde advogados entraram com uma ação conjunta, pedindo reembolso para pelo menos 1.000 cidadãos locais que compraram o álbum Girl You Know It's True.[5] Em 12 de Agosto de 1991, uma proposta de acordo de reembolso em Chicago foi rejeitada. Esse acordo propunha reembolso para os compradores 3 dólares por CD, 2 por disco ou fita cassete e 1 para compactos. Entretanto, esse reembolso seria dado apenas como crédito para algum lançamento futuro da Arista.[4]

Em 28 de Agosto, um novo acordo foi aprovado. O mesmo esquema de preço se manteve, além do reembolso de 2,50 dólares. Uma prova de compra, ou canhoto do ingresso foi solicitado para dar direito ao reembolso. Estima-se que 10 milhões de consumidores tornaram-se aptos para o reembolso..[6] O prazo para pedir reembolso expirou em 8 de Março de 1992.[7]

Álbuns seguintes[editar | editar código-fonte]

O material do segundo álbum do Milli Vanilli já tinha sido gravado e finalizado na primavera de 1990. No outono, o primeiro single "Keep On Running", pouco antes de Farian revelar a verdade sobre o Milli Vanilli.

Na última hora, a capa do segundo álbum mudada para que fossem relevados os verdadeiros cantores no lugar de Morvan e Pilatus, o título trocado de Keep on Running (nome que correspondia ao primeiro single) para The Moment Of Truth (o momento da verdade) e o nome do grupo mudado para The Real Milli Vanilli. Entretanto, o desenhista que fez a mudança esqueceu de atualizar a lombada, que ainda tem nome e título originais ("Milli Vanilli - Keep On Running").

Farian tentou reformar o Milli Vanilli com os vocalistas originais e incluindo a cantora Gina Mohammed e Ray Horton (Um cantor com visual parecido com o de Morvan e Pilatus e gravou seus vocais em quatro faixas); aliás todos aparecem na capa, menos Charles Shawn(por causa do episódio da delatação) e as irmãs Rocco.[1]

O álbum resultante, lançado na Europa no começo de 1991, já renomeado para The Moment of Truth, gerou três singles, "Keep On Running," "Nice 'n Easy" and "Too Late (True Love)." Adicionalmente, o álbum contava com participação de rappers: Icy Bro em "Hard As Hell" e Tammy T em "Too Late (True Love)." Uma canção de Diane Warren, "When I Die," foi regravada por vários outros artistas, incluindo o próprio Farian com o No Mercy.

Para o mercado americano, Farian decidiu evitar qualquer associação com o Milli Vanilli e re-regravou as faixas com Ray Horton nos vocais na maioria das faixas. Em 1992, RCA publicou no release do álbum como o primeiro do novo grupo criado Try 'N' B. O álbum auto-intitulado incluiu três faixas adicionais que não estavam no The Real Milli Vanilli: "Ding Dong," "Who Do You Love", e uma regravação do Dr. Hook, "Sexy Eyes." Devido as significativas vendas sob o nome Try 'N' B nos Estados Unidos, um álbum levemente modificado do Try 'N' B foi lançado internacionalmente.

Em 28 de novembro de 1991, Pilatus, que foi incapaz de lidar com a súbita desgraça, depois de misturar álcool e medicamentos prescritos, cortou um de seus pulsos no hotel Sunset Strip de Los Angeles e ameaçou pular da varanda do nono andar. Foram chamados policiais e repórteres ao local, que o retiraram a força. Ele gritava: "Importunaram minha família… Estou farto disso. Eu não queria magoar ninguém". Pilatus foi levado para o Centro Médico Cedars-Sinai e colocado sob observação durante 72 horas. [1] [8]

Tentando provar que eles realmente poderiam cantar se dessem uma chance, Morvan e Pilatus se mudaram para Los Angeles e assinaram com o Joss Entertainment Group, onde eles gravaram o próximo álbum sob o nome Rob & Fab em 1993. Quase todas as músicas foram escritas por Kenny Taylor e Fabrice Morvan. Morvan faz a voz principal, enquanto Pilatus apresenta batidas rap que ele mesmo escreveu. A voz de Morvan foi considerada ruim e muito arrasada pelos críticos. Devido às restrições financeiras, Joss só conseguiu lançar o álbum nos Estados Unidos, o mais crítico de todos os mercados do Milli Vanilli. Um single, "We Can Get It On", foi feito para tocar no rádio brevemente antes do lançamento do álbum. Fizeram uma aparição no The Arsenio Hall Show nesta época.[1]

Tentativa de retorno de Farian =[editar | editar código-fonte]

Para salvar suas carreiras após trágicos acontecimentos, em 1997 Farian concordou em produzir um novo álbum do Milli Vanilli com Morvan e Pilatus nos vocais. Esse foi o motivo principal do álbum de retorno de 1998, Back and in Attack. Até mesmo alguns dos músicos de estúdio tocaram, numa tentativa de trazer de volta a fama que havia rapidamente desaparecido.

Entretanto, Pilatus enfrentou uma série de problemas pessoais durante a produção do novo álbum. Começando em 1995, ele foi preso durante vários incidentes separados em Los Angeles envolvendo assaltos (incluindo um que ele atacou um homem com uma luminária), vandalismo, e tentativa de assaltar um carro. Condenado por quatro diferentes infrações, ele foi sentenciado a vários meses em uma prisão em 1996. Entretanto, passou três meses numa cadeia na Califórnia, saindo com o compromisso de se internar numa clínica de reabilitação. Durante seis meses, Farian pagou a Pilatus uma reabilitação das drogas e passagens de avião para que ele retornasse a Alemanha. No dia 2 de Abril de 1998, às vésperas da turnê promocional do novo álbum, Pilatus foi encontrado morto de overdose de drogas, depois de ter misturado uma combinação fatal de álcool e pílulas, num hotel em Frankfurt, aos 32 anos. As razões para um aparente suicídio de Pilatus são fortemente contestadas na mídia.[1]

[editar | editar código-fonte]

Morvan passou os anos seguintes como músico e locutor, enquanto aprimorava seus talentos musicais. Em 1998 ele foi DJ na famosa rádio Kiis FM, de Los Angeles. Durante esse tempo, ele também se apresentou 1999 no festival Wango Tango para 50.000 pessoas no Dodger Stadium. Em 2000, Morvan participou de um documentário ds BBC sobre o Milli Vanilli, assim como no primeiro episódio do Behind the Music da VH1. Morvan passou o ano de 2001 fazendo turnê, antes de se apresentar em 2002 no recém-inaugurado Velvet Lounge no Hard Rock Café Hotel em Orlando, Flórida. Em 2003 Morvan lançou seu primeiro álbum solo, Love Revolution.

Em 2006 foi lançado o álbum "Greatest Hits" do Milli Vanilli.

Novas músicas do Fabrice, "Roll" e "Time Will Reveal" podem ser ouvidas no MySpace [2]. Atualmente, Fabrice grava faixas para seu segundo álbum solo, com data de lançamento ainda a ser definida.

Filme[editar | editar código-fonte]

Em 15 de Fevereiro de 2007, foi anunciado que a Universal Pictures estaria com um projeto de um filme baseado na ascensão e queda do Milli Vanilli, incluindo a perda do Grammy. O roteirista Jeff Nathanson, de Prenda-me Se For Capaz, escreverá e dirigirá o filme.

[3] Kim Marlowe, empresária de longa data de Morvan, produzirá.

Em Fevereiro de 2011 o diretor alemão Florian Gallenberger (premiado em 1991 com o Oscar pelo curta-metragem “Quiero Ser”) afirmou que seria o responsável pelo roteiro e direção do filme que vai contar nas telas de cinema a história da dupla.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ano Título Banda Selo Notas
1988 All or Nothing Milli Vanilli Hansa/BMG
1989 Girl You Know It's True Milli Vanilli Arista Records 6 discos de platina nos EUA
1990 The Remix Album Milli Vanilli Arista Records Disco de Ouro nos EUA
1990 The Hits That Shook the World Milli Vanilli Arista Records Promo álbum
1991 The Moment of Truth The Real Milli Vanilli BMG
1993 Rob & Fab Rob & Fab

Álbum solitário por Rob Pilatus e Fab Morvan após o fim do grupo.

Joss Entertainment.
1998 Back and in Attack Milli Vanilli Sony/BMG Album Studio
2003 Love Revolution Fab Morvan Elixir
2007 Greatest Hits Milli Vanilli Sony/BMG
2011 Four Hits Milli Vanilli Sony/BMG

Videografia[editar | editar código-fonte]

Ano Título Banda Selo Notas
1990 In Motion · The Hit Video Collection Milli Vanilli 6 West

Singles[editar | editar código-fonte]

Ano Títulos US Hot 100 Top50 French UK singles Germany singles Schweizer Hitparade Top40 Austria Álbum
1987 Dansez
1988 Girl You Know It's True 2 2 3 1 2 1 All Or Nothing
1989 Baby Don't Forget My Number 1 17 16 9 11 All Or Nothing
1989 Girl I'm Gonna Miss You 1 3 2 2 1 1 Girl You Know It's True
1989 Blame It on the Rain 1 27 52 3 22 8 Girl You Know It's True
1990 All or Nothing 4 44 74 17 22 14 The Remix Album
1990 Keep On Running - - 76 4 8 2 The Moment of Truth
1991 Too Late - True Love - 26 The Moment of Truth
1991 Nice'N'Easy The Moment Of Truth
1992 We Can Get It On

Trivia[editar | editar código-fonte]

  • Os Milli Vanilli apareceram no vídeo cômico dos Traveling Wilburys na música Wilbury Twist do seu segundo álbum.

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

Devido a infâmia em torno do processo contra o Milli Vanilli, eles foram satirizados dentro da cultura pop. Exemplos incluem:

  • O grupo Barenaked Ladies escreveu uma música chamada Blame It on Me, que inclui o trecho Milli Vanilli told you to Blame it On The Rain, but if you blame it on the rain tell me what can be gained so, if all else fails you can blame it on me (O Milli Vanilli disse para você culpar a chuva, mas se você culpar a chuva, diga-me o que vai adiantar, se tudo mais falhar você pode me culpar).
  • Pouco tempo após o escândalo inicial, Rob e Fab apareceram num comercial do Carefree Sugarless Gum, uma goma de mascar. A dupla começa a mexer os lábios sincronizados a uma gravação de ópera. Um locutor pergunta "quanto tempo dura o sabor do CareFree Sugarless Gum?". A gravação começa a pular, e o locutor responde: "até que esses caras comecem a cantar eles mesmos".
  • Milli Vanilli e um pouco da sua música participaram num episódio da série de desenhos animados Super Mario Bros. O episódio, intitulado Kootie Pie Rocks foi apresentado em 27 de Outubro de 1990, duas semanas antes do escândalo. Logo depois, na versão em home-video, a música foi trocada e referências à banda foram apagadas.
  • The Far Side, de Gary Larson, tinha um painel mostrando um canário "cantando", na verdade ficava quieto enquanto um pequeno rádio preso à gaiola tocava um pássaro cantando. A cena atribuía o pássado ao canário de estimação do Milli Vanilli, Lilly.
  • "Weird Al" Yankovic fez várias referências a eles. Numa entrevista, quando perguntado sobre suas chances de alcançar a calçada da fama do rock'n'roll, ele fez piada, dizendo: "minhas chances são tão boas quanto as do Milli Vanilli". Ele também disse, numa falsa entrevista com Snoop Dogg na sua Al TV, que Rob e Fab são dois de seus rappers favoritos, referindo-se a eles como "aqueles dois caras do Milli Vanilli. Ele também fez paródia das músicas "Baby Don't Forget My Number" e "Blame It on the Rain" no seu álbum Off the Deep End.
  • Em Spin City, Mike lê um artigo no jornal que se refere a ele como o Milli Vanilli dos políticos modernos.
  • No episódio Deck the Halls de The Fresh Prince of Bel-Air, Ashley diz que todo mundo sabe que não pode existir algo como Papai Noel. Will responde: ei, ei, ei, espere aí. Não existe é o Milli Vanilli, mas com certeza existe Papai Noel.
  • Em Everybody Hates Chris, Drew entra num show de calouros como um cantor, enquanto seu lábio se sincroniza com uma música. Enquanto ele se apresenta, sósias do Milli Vanilli o assistem nos bastidores e dizem: "Cara, esse garoto é bom".
  • Em outro episódio de Everybody Hates Chris, o narrador lamenta ser saudado como uma estrela do basquete, dizendo "Eu imagino como o Milli Vanilli se sentiu quando ganharam aquele Grammy".
  • Na música "Unhappy" do Outkast, a seguinte frase se refere ao Milli Vanilli: "quando descobri que Papai Noel não era nada mais do que Vanilli".
  • Apareceram em 1989 no seriado Sister Kate, num show que mostrava o primeiro trabalho do Jason Priestley.
  • O single do 50 Cent "Realest Niggas" fala do Milli Vanilli no trecho: pushy niggas get hard lip syncing my lyrics like Milli Vanilli (obter os lábios negros, agressivos e dificeis para a lábio sincronização de minha letra como Milli Vanilli).
  • Imagens do Milli Vanilli também apareceram em dois episódios do X-Play, sempre para comentar e fazer piada quando algum elemento do jogo seria forçado ou decepcionante. Suas imagens foram manipuladas, e suas aparições eram seguidas pela declaração de que eles foram trazidos pela "Comissão para a volta das piadas do Milli Vanilli".
  • No episódio Buff 'N' Stuff do Beavis and Butt-Head, aparece o vídeo "Don't Forget My Number", apenas para que Beavis e Butt-Head olhassem para o vídeo, para si próprios e trocassem o canal. Vanilla Ice é o outro músico a receber essa desonra.
  • O single I'm afraid of Britney Spears do LiveonRelease contém o trecho "They took the time to learn to lip sync. Milli Vanilli Milli Vanilli Milli Vanilli Milli Vanilli" ("Eles se deram ao trabalho de aprender a sincronia labial. Milli Vanilli Milli Vanilli Milli Vanilli Milli Vanilli"), em referência a cantores pop que não sabem cantar.
  • No programa de rádio "The Bar Bar, da Norwegian Broadcasting Corporation, artistas que visitaram o show foram submetidos ao "teste do Milli Vanilli", onde teriam que provar que tinham mesmo capacidade de cantar, fazendo pequenas performances acústicas de músicas do seu próprio repertório.
  • No filme My Life Without Me, o personagem da Cabeleireira, interpretado pela Maria de Medeiros, é mostrado como um grande fã da banda.
  • Na música "Gossip Folks" da Missy Elliot, o seguinte trecho faz referência a banda: You think I aint knowin yall broke milli vanilli jay jay fã wannabes aint over here gossiping bout me?()
  • No programa infantil Arthur, Arthur e seus amigos se tornam grandes fãs de uma banda que na verdade eram hologramas e suas vozes eram gravadas pelo seu produtor, uma referência ao escândalo.
  • Num episódio do Hey Arnold! da Nickelodeon o cantor Ronnie Mathews é desmascarado por fazer dublagem, para o desânimo de Phoebe Hyerdahl que era fã dele.
  • Em vários segmentos do programa de TV "In Living Color", Keenan Ivory Wayans e Damon Wayans parodiaram Milli Vanilli.
  • Na novela brasileira Torre de Babel, o personagem Gustinho (Oscar Magrini) queria ser cantor sertanejo, mas o problema é que ele não tinha voz. Depois ele descobriu que o seu irmão Boneca (Ernani Moraes) tinha uma bela voz e pediu para cantar escondido, enquanto ele dublava no palco com o pseudo Johnny Percebe (aliás "percebe" era o bordão do Gustinho). A farsa quase foi revelada quando Faustão descobriu a fraude nos bastidores, mas foi impedido por Bina (Cláudia Jimenez) e Sarita (Etty Fraser). A máscara do Johnny Percebe caiu no último capítulo quando Xuxa vê Boneca cantando escondido e o puxa para cantar diante do público.
  • No filme O Roqueiro, o grupo fictício Vesuvius demite o baterista Robert Fish (Rainn Wilson) a pedido da gravadora, que queria o sobrinho do dono no seu lugar. Passados 20 anos, o novo grupo de Fish, o também fictício ADD, é chamado para fazer a abertura do show que o Vesivius faria para comemorar a sua inclusão no Rock and Roll Hall of Fame. No show, o público descobriu que o Vesuvius dublava quando o microfone cai do pedestal do vocalista. De quebra, a fita que tocava a primeira música do show emperrou e as vaias do público na arena foram inevitáveis.
  • A banda australiana TISM (This Is Serious Mum/Isso é sério, mãe) lançou uma faixa chamada Lilee Caught Dilley Bowled Milli Vanilli". A música usa basicamente qualquer coisa que rime com "Vanilli", como:
    • "Don't want no oven, don't want no grilli, I want Milli Vanilli"
    • "Don't want no crying over milk spilli...."
    • "Don't want to push bolder up no hilli...."
    • "Don't want no peppers, red hot chilli...."

Traduzindo:

    • "Não quero nenhuma estufa, não querem nenhum Grilli, quero Milli Vanilli"
    • "Não quero não chorar sobre milk spilli...."
    • "Não quero que nenhum Hilli empurrando mais ousadas ...."
    • "Não quero nenhuma pimenta, red hot chilli ...."
  • No filme tropic thunder (Trovão Tropical)quando o Sargento quatro folhas está preso com o supervisor de efeitos especiais no filme, é chamado de "milli vanili dos patriotas" por mentir que foi para a guerra.
  • Em uma história em quadrinhos da Turma da Mônica, o empresário de Pipa, para convencê-la a dublar uma música, diz "Todo mundo faz isso, até os Milho Baunilho", em referência à Milli Vanilli.
  • No episódio "Lisa tira um 10" da série Os Simpsons em uma cena em que Homer pede à Lisa que o ajude na escolha dos sabores de sorvete, é mostrado um pote com o nome "Milli Vanilla" e quando Lisa lê as opções de sabores Homer diz: " Não!... Nada que tenha gente morta!...". Outro fato que se deve à morte de Pilatus.
  • No filme Brüno, o personagem principal menciona ter sido namorado de "Milli" (Rob Pilatus) e em uma das cenas, faz um "beijo grego" em uma consulta espiritual, protagonizando uma das cenas mais hilárias do filme.

Referências

  1. a b c d e f g h i Milli Vanilli. Página visitada em 9 de Novembro de 2009.
  2. Rob Pilatus - Biography. Página visitada em 9 de Novembro de 2009.
  3. "Milli Vanilli Meltdown Angers Former Fans," Los Angeles Times, November 17, 1990. Retrieved March 26, 2006.
  4. a b "Judge Rejects Milli Vanilli Refund Plan", New York Times, August 13, 1991. Accessed March 21, 2006.
  5. "Suit seeks refunds for Ohioans who bought Milli Vanilli album", The Plain Dealer, November 22, 1990. Accessed March 21, 2006.
  6. "Small Victory for Milli Vanilli Fans", New York Times, August 31, 1991. Retrieved March 21, 2006
  7. "Judge Sets Deadline for Milli Vanilli Refunds ", Jet, September 30, 1991. Retrieved March 21, 2006
  8. [1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]