Milton Mendes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Milton Mendes
Informações pessoais
Nome completo Milton Mendes
Data de nasc. 25 de abril de 1965 (52 anos)
Local de nasc. Criciúma (SC), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Informações profissionais
Equipa atual sem clube
Posição Treinador
Clubes de juventude
1982–1984 Vasco da Gama
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1984–1987
1986
1987–1991
1991–1992
1992–1993
1993–1996
1996–1997
1997–1998
1998–1999
1999–2001
2001–2002
Vasco da Gama
Criciúma (emp.)
Louletano
Beira-Mar
Belenenses
União da Madeira
Sporting Espinho
Camacha
São Vicente
Câmara de Lobos
Machico
00026 0000(0)
0010 0000(0)
0076 0000(9)
0024 0000(0)
0008 0000(0)
0069 0000(5)
0012 0000(2)
0010 0000(0)
0000 0000(0)
0046 0000(3)
0033 0000(1)
Times/Equipas que treinou
2002–2004
2006
2007–2008
2008–2012
2013
2014
2014–2015
2015
2015–2016
2016
2017
Machico
Bom Sucesso
Marítimo (assistente)
Qatar SC (assistente)
Al-Shahaniya
Paraná
Ferroviária
Atlético Paranaense
Kashiwa Reysol
Santa Cruz
Vasco da Gama
000
000
000
000
000
0014
0017
0034
0003
0032
0028
Última atualização: 20 de agosto de 2017

Milton Mendes (Criciúma, 25 de abril de 1965) é um ex-futebolista e treinador de futebol brasileiro. Atualmente está desempregado.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Portugal[editar | editar código-fonte]

Começou como treinador em 2002, no comando da Associação Desportiva de Machico, de Portugal, onde também treinou equipes como o Marítimo e o Bom Sucesso.

Qatar[editar | editar código-fonte]

Depois dos trabalhos em Portugal, seguiu para times do Qatar, como o Qatar Sports Club e o Al-Shahaniya Sports Club.[1]

Paraná[editar | editar código-fonte]

Em 2014, o treinador teve passagem pelo Paraná, onde conquistou seis vitórias, quatro empates e quatro derrotas em 14 jogos, com um aproveitamento de 52%.[1] Pediu demissão após ser eliminado nas quartas de final do estadual.[2]

Ferroviária[editar | editar código-fonte]

Chegou à Ferroviária em outubro de 2014 e foi responsável por levar o clube à elite do futebol paulista após 19 anos, conquistando o título do Campeonato Paulista Série A2.[1][3] Teve aproveitamento de 78,4% em 17 jogos com 13 vitórias, um empate e três derrotas, além de 34 gols marcados e 12 sofridos. Com Milton Mendes, a Ferrinha teve o melhor ataque da Série A2 e a segunda melhor defesa da competição.[1]

Atlético Paranaense[editar | editar código-fonte]

Em 20 de abril de 2015 foi contratado pelo Atlético Paranaense[1]. Foi demitido do clube em 28 de setembro de 2015 após quatro derrotas seguidas no Campeonato Brasileiro.[4] Milton Mendes teve 16 vitórias, cinco empates e 13 derrotas em 34 jogos. Ele deixou o Furacão no 11° lugar, sete pontos atrás do G-4 e sete à frente da zona de rebaixamento.[4]

Kashiwa Reysol[editar | editar código-fonte]

Em 28 de outubro de 2015, Mendes fechou com o japonês Kashiwa Reysol.[5] Em 12 de março de 2016, alegando problemas de saúde na família, o treinador pediu demissão do clube.[6]

Santa Cruz[editar | editar código-fonte]

Em 28 de março de 2016 foi contratado pelo Santa Cruz,[7] tornando-se campeão com a equipe no final do torneio da Copa do Nordeste. Eliminou o Ceará nas quartas de final, o Bahia nas semifinais e o Campinense na final. Uma semana depois, conquistou o Campeonato Estadual contra o Sport na Ilha do Retiro. Iniciou o ano de estreia no clube com duas taças.

No Campeonato Brasileiro estava realizando uma fraca campanha estando na 19ª colocação com 18 pontos. Após a derrota para o São Paulo, pediu demissão.[8] Milton Mendes deixou o Santa Cruz com o aproveitamento de 46,87% em 32 jogos, obtendo 12 vitórias, 9 empates e 11 derrotas.[8]

Vasco da Gama[editar | editar código-fonte]

Em 19 de março de 2017, assinou com o Vasco da Gama, para substituir Cristóvão Borges.[9] No dia 16 de abril de 2017, conquistou a Taça Rio.[10]

No dia 21 de agosto de 2017, Milton Mendes foi demitido, após 5 jogos sem vitórias no Brasileirão .[11] Milton Mendes obteve 46,4% de aproveitamento no Vasco da Gama, muito abaixo do esperado, em 28 jogos com 11 vitórias, 6 empates e 11 derrotas.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Até 20 de agosto de 2017.

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional[a]
Competições
continentais[b]
Outros
torneios[c]
Total
J V E D J V E D J V E D J V E D J V E D A
Paraná 2014 14 6 4 4 14 6 4 4 52,3%
Total 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 14 6 4 4 14 6 4 4 52,3%
Ferroviária 2014 0 0 0 0 0 0 0 0 0%
2015 17 13 1 3 17 13 1 3 78,4%
Total 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 17 13 1 3 17 13 1 3 78,4%
Atlético Paranaense 2015 28 11 5 12 2 1 0 1 3 3 0 0 1 1 0 0 34 16 5 13 51,9%
Total 28 11 5 12 2 1 0 1 3 3 0 0 1 1 0 0 34 16 5 13 51,9%
Kashiwa Reysol 2016 3 0 1 2 3 0 1 2 0,1%
Total 3 0 1 2 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 3 0 1 2 0,1%
Santa Cruz 2016 19 5 3 11 3 0 2 1 10 6 4 0 32 11 9 12 43,7%
Total 19 5 3 11 3 0 2 1 0 0 0 0 10 6 4 0 32 11 9 12 43,7%
Vasco da Gama 2017 20 7 4 10 7 4 2 1 28 11 6 11 46,4%
Total 21 7 4 10 0 0 0 0 0 0 0 0 7 4 2 1 28 11 6 11 46,4%
Total na carreira 71 23 13 35 5 1 2 2 3 3 0 0 49 30 11 8 128 57 26 45 51,3%

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Ferroviária
Santa Cruz
Vasco

Prêmios Individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Enderson Moreira
Treinador do Atlético Paranaense
2015
Sucedido por
Cristóvão Borges
Precedido por
Marcelo Martelotte
Treinador do Santa Cruz
2016
Sucedido por
Doriva
Precedido por
Cristóvão Borges
Técnico do Vasco
2017
Sucedido por
Zé Ricardo