Minás Dimákis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Minás Dimákis
Nascimento 1913
Heraclião
Morte 1980 (67 anos)
Cidadania Grécia
Etnia gregos
Ocupação escritor, poeta

Minás Dimákis (grego moderno: Μηνάς Δημάκης) (Heraclião, Creta, 1913 - Atenas, 1980) foi um poeta grego.

Filho de um comerciante, Georgios Dimákis e de María Metaxaki. Após a morte do pai em 1917, a mãe casou com Athanasio Spanoudaki, tendo dois filhos mais deste matrimónio: Ekaterini e Eleonora. A mãe morreu em. De 1919 a 1924 estudou no Liceu El Korais e em 1930 acabou os estudos secundários do Ginásio de Heraclião.

Até 1936 trabalhou em empresas familiares de comerciantes de uvas e depois foi empregado do serviço de turismo de Heraclião.

Em 1935 publicou o primeiro número da revista Folhas de arte (Φύλλα Τέχνης) em resultado do seu próprio esforço, a qual incluía poemas e traduções. A partir de 1937 trabalhou para o Banco da Grécia em Heraclião, sendo transferido para Atenas em 1943, ficando na capital até 1959, quando se retira para se dedicar à literatura.

Colaborou com a Frente de Libertação Nacional. Publicou ensaios críticos para o jornal Meridiano (Μεσημβρινή) entre 1966 e 1967. Entre os galardões literários que Dimákis obteve estão o Segundo Prémio Estatal de Poesia em 1960 e o Prémio da Academia de Ensaio em 1973.[1][2] Minás Dimákis cometeu suicídio em Atenas em 1980.[3]

Referências

  1. «Κατηγορίες: Δημάκης, Μηνάς, Βιβλιοπωλείο Λεμόνι, consultado em 2 de março de 2008.» 
  2. "Δημάκης Μηνάς," Παγκόσμιο Βιογραφικό Λεξικό 3, Editorial Atenas, Atenas: 1985.
  3. Dimákis, Minás. "Lo pasado, La Jornada Semanal 678, México, D.F.: 2 de março de 2008.
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.