Mina de São Domingos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mina de S. Domingos: Bomba de remoção de águas do interior dos túneis da mina.
Mina de S. domingos: lagoa ácida.
Linha férrea (1880).

A Mina de São Domingos no Alentejo, localiza-se na freguesia de Corte do Pinto, concelho de Mértola, distrito de Beja, em Portugal.

A mina e a respectiva aldeia das Minas de São Domingos correspondem a um antigo couto mineiro. Possuíam ligação ao porto fluvio-marítimo do Pomarão, no rio Guadiana, por meio de um caminho-de-ferro de via reduzida, com cerca de 15 km de extensão, a Linha São Domingos - Pomarão.

O complexo mineiro está incluído na Zona de Protecção Especial do Vale do Guadiana (Rede Natura 2000) assim como classificado como Conjunto de Interesse Publico desde 2013[1].

História[editar | editar código-fonte]

A tradição mineira na zona de São Domingos remonta aos Fenícios e Cartagineses e, depois destes aos romanos, cujo labor mineiro se estendeu desde o inicio do séc.l até aos finais do séc.lV,sendo o seu principal objetivo a extração de cobre, ouro e prata.

A exploração mineral no local de São Domingos é anterior à invasão romana da península Ibérica, período em que os trabalhos se intensificaram com a exploração do "chapéu de ferro" que cobria a massa piritosa, para a exploração de cobre, ouro e prata.

Em 1858 tem início a moderna exploração da mina, por iniciativa da companhia de mineração "Mason & Barry"

. Os trabalhos prolongaram-se até 1965, ano de esgotamento do minério e de encerramento da mina. Neste período, a lavra foi feita a céu aberto até aos 120 metros de profundidade, tendo os trabalhos continuado por meio de poços e galerias até aos 400 metros.

Com o fim da lavra, a aldeia mineira entrou em decadência. Esta foi a primeira aldeia do país a ter luz elétrica.

O conjunto encontra-se atualmente em Vias de Classificação.

Características[editar | editar código-fonte]

A mina inscreve-se no centro da Faixa Piritosa Ibérica da designada Zona Sul Portuguesa, onde se situam igualmente as minas de Canal-Caveira, Lousal, Aljustrel e Neves-Corvo, e que se prolonga em Espanha para além das minas de Riotinto.

A massa estimada de 25 milhões de toneladas de minério explorada em São Domingos tinha uma disposição subvertical, com uma orientação aproximadamente este-oeste, com a presença predominante de pirite e, em percentagens variáveis, de blenda, calcopirite e galena. A pirite apresentava teores de enxofre entre 45% e 48%. Os teores médios de cobre e zinco eram de 1,25% e de 2 a 3%, respectivamente.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mina de São Domingos
  1. «Monumentos». Consultado em 19 de outubro de 2017