Minarquismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Minarquismo ou minarquia é uma teoria política que prega que a função do Estado é assegurar os direitos básicos da população. Ou seja, estão entre as funções do Estado a promoção da segurança, da justiça e do poder de polícia, além da criação de legislação necessária para assegurar o cumprimento destas funções.[1] [2] [3] Um Estado com estas funções teria de taxar o povo em 3% ou 6% no máximo. Um exemplo disso foi o que ocorreu nos Estados Unidos durante o século XIX, quando a carga tributária girou em torno de 3%, embora este país não fosse exatamente minarquista na época.

Os defensores do minarquismo são contrários a Estados com grande peso na economia e defendem o livre-mercado.

Diferencia-se do anarco-capitalismo porque este último não admite nem mesmo um Estado mínimo, já que acredita que é impossível frear as forças de expansão do Estado nas minarquias, que acabariam evoluindo para um Estado tradicional. De qualquer modo, hoje em dia as diferenças entre minarquistas e anarquistas liberais é teórica. Na prática política, as duas correntes rumam na direção da redução do tamanho dos Estados atuais.

Exemplos de minarquismo[editar | editar código-fonte]

A cidade do mundo hoje mais próxima do minarquismo, segundo os adeptos desta teoria, é Hong Kong, porque tem a melhor proteção da propriedade privada no mundo, a segunda menor carga tributária e praticamente não existem tarifas de importação e exportação. Durante os 99 anos (1898-1997) em que foi administrada sob o conceito minarquista Hong Kong se tornou uma ilha de prosperidade e riqueza. Outras economias Asiáticas, notadamente alguns dos "Tigres Asiáticos", adotaram políticas semelhantes de baixas tarifas, governo enxuto, e confiança na economia de mercado. Talvez o melhor exemplo seja o de Singapura.[carece de fontes?]

Historicamente, o país mais próximo do minarquismo puro foi os Estados Unidos durante o período de 1780 até 1913. Durante este período os Estados Unidos se transformaram de uma economia rural e primitiva, que possuía menos de 1% do volume de produção global, para o país mais rico e industrializado do mundo, com um terço da produção industrial global.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Gregory, Anthory.The Minarchist's Dilemma. Strike The Root. 10 de maio de 2004.
  2. Peikoff, Leonard (7 de março de 2011). «What Role Should Certain Specific Governments Play in Objectivist Government?». peikoff.com [S.l.: s.n.] Consultado em 24 de dezembro de 2011. 
  3. Peikoff, Leonard (3 de outubro de 2011). «Interview with Yaron Brook on Economic Issues in Today’S World (Part 1)». peikoff.com [S.l.: s.n.] Consultado em 24 December 2011. 
  4. legacy.fordham.edu. Acessado em 10 de março de 2016.