Minarquismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Minarquismo ou minarquia é a teoria política que prega que a função do Estado é assegurar os direitos básicos da população. Ou seja, que as únicas funções do Estado seriam a promoção da segurança pública, da justiça e do poder de polícia, além da criação de legislação necessária para assegurar o cumprimento destas funções.[1][2][3]

Os defensores do minarquismo são contrários a Estados com grande peso na economia e defendem o livre-mercado.

Diferencia-se do anarcocapitalismo porque este último não admite nem mesmo um Estado mínimo, já que acredita que é impossível conter as forças de expansão do Estado nas minarquias, que acabariam evoluindo para um Estado tradicional. De qualquer modo, hoje em dia as diferenças entre minarquistas e anarquistas liberais é teórica. Na prática política, as duas correntes rumam na direção da redução do tamanho dos Estados atuais.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Gregory, Anthory.The Minarchist's Dilemma. Strike The Root. 10 de maio de 2004.
  2. Peikoff, Leonard (7 de março de 2011). «What Role Should Certain Specific Governments Play in Objectivist Government?». peikoff.com [S.l.: s.n.] Consultado em 24 de dezembro de 2011. 
  3. Peikoff, Leonard (3 de outubro de 2011). «Interview with Yaron Brook on Economic Issues in Today’S World (Part 1)». peikoff.com [S.l.: s.n.] Consultado em 24 December 2011. 
Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.