Ministérios da Suécia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Coat of arms of Sweden.svg
Parte da série sobre
Política da Suécia
Portal da Suécia
Ministério do Exterior da Suécia
Fotografia: Tage Olsin.

A Suécia tem atualmente 10 ministérios (departement).[1][2]

Tradicionalmente, os ministérios da Suécia (e da Finlândia) são de pequena dimensão, quando comparados com os dos outros países, e têm funções reduzidas. No total, contam com cerca de 4 600 pessoas, das quais 200 são politicamente nomeadas e as restantes são funcionários permanentes independentes das mudanças políticas.
Em compensação, as agências governamentais suecas podem ser relativamente grandes, e são elas que se ocupam da maior parte das tarefas administrativas do Estado.[3][4][5]

Enquanto os ministérios desempenham funções de decisão política, as agências governamentais desempenham funções de execução dessas decisões.
Cada ministério é dirigido por um ministro (statsråd), que é nomeado pelo Primeiro Ministro. As agências governamentais são dirigidas por diretores-gerais (generaldirektör).

O Ministério das Relações Exteriores é diferente dos outros, e mais parecido com os congéneres dos outros países.

O Governo Löfven optou pelos seguintes ministérios:[2]

Referências

  1. Magnusson, Thomas; et al. (2004). «Departementen». Vad varje svensk bör veta (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB. p. 114. 654 páginas. ISBN 91-0-010680-1 
  2. a b «Statsråden och departementen» (em sueco). Chancelaria do Governo da Suécia (Regeringskansliet). Consultado em 14 de fevereiro de 2016. 
  3. «Politiskt system» (em sueco). Landguiden (Instituto Sueco da Política Internacional). Consultado em 14 de fevereiro de 2016. 
  4. Stefan Lindström. «Hur unik är den svenska förvaltningsmodellen?» (em sueco). Rolf Englund (Internetional Communications IntCom). Consultado em 14 de fevereiro de 2016. 
  5. «Regeringskansliets anställda» (em sueco). Chancelaria do Governo (Regeringskansliet). Consultado em 3 de março de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]