Minitel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Le Minitel 1
1982

Minitel foi um pequeno terminal de consulta de banco de dados comerciais existentes nos Correios, nas Telecomunicações e nas Teledifusões existentes na França.[1] [2] [3]

Criação[editar | editar código-fonte]

O serviço de Videotexto on-line, Minitel, foi lançado na França em 1982 pela PTT (Postes, Télégraphes et Téléphones, tradução para o português: Correios, Telegráfos e Telefones). Desde 1991 que o serviço está dividido entre a France Télécom - Orange e a La Poste.[1]

Quando foi criado,os usuários faziam compras on-line, reservas para o trem, checavam a cotação das ações na bolsa de valores, a lista telefônica, e, ainda estabeleciam um Chat similar com aquele que é feito pela Internet.[4]

Percurso Cronológico[editar | editar código-fonte]

1982:depois de testes e feito o lançamento do Minitel.

1984: o quiosque de telemarketing é aberto.

1985: é inaugurado, na França, o Anuário Eletrônico Nacional.

1987: lançamento no mercado das tarifas de patamar.

1995: chega ao mercado uma nova geração de terminais:o Magis (microprocessador e revisor de textos do Minitel) e o Sillage (telefone com écran do Mintel).

2000: conversão do Minitel e da Internet (distribuição de um emulador i-minitel). Lançamento do Muti-Publication et Hop Minitel.

2002: O Minitel desenvolve-se sob novos suportes e o modelo de quiosque é adaptado à Internet (soluções w-HA).

2005: 351 milhões de ligações em, atingindo cerca de € 206 milhões de retorno[5]


2011: A France Télécom informou que vai encerrar o serviço para que tenha uma liberalização dos serviços telefônicos franceses. Também para consolidar o uso da internet e do teletexto.

2012: O serviço é definitivamente encerrado[6] [1] .

Os beneficios do Minitel[editar | editar código-fonte]

O usuário passa a ter acesso simples e rápido de números práticos de serviço (anuários, serviços bancários, bolsas, serviços profissionais, etc). E, ainda, conta com transações efetuadas.[4]

Técnica[editar | editar código-fonte]

O Minitel usa terminais constituídos por tela de texto, teclado e modem. Geralmente, o Minitel está integrado ao modem que lida com um número especais conectado ao PAVI (Point d'Accès Videotexte, "Ponto de Acesso do Videotexto"). O PAVI transmite informações de volta para o servidor da companhia apropriada ou para administração que utiliza o Transpac X.25 network.[7] Em França, era comum discar o número "36 15", enquanto que o "36 17" era usado para os serviços mais dispendiosos. Esses números eram os prefixos dos serviços do Minitel, que os identificava como tal; por exemplo o Google Minitel era conhecido por "36 15 Google". E o prefixo "36 15" tinha o mesmo significado que o ".com", atual sufixo do website da Internet. Tecnicamente, o Minitel refere-se aos terminais, enquanto que o network é conhecido por Teletel.[8]

Minitel e Internet[editar | editar código-fonte]

Muitos consideraram o Minitel como um motivo de atraso para o desenvolvimento da Internet na França, já que este último oferecia segurança e fácil acesso para vários serviços on-line, sem requerer o uso de um computador personalizado. Contudo, o Minitel possui vantagens, tais como: não precisa de assinatura para que se efetue um serviço ou compra nem para a manutenção de uma computador, e emite com segurança os pagamentos feitos por cartão de crédito ou outra informação pessoal. Além disso, o Minitel tem um padrão bem-definido que raramente apresenta problemas de compatibilidade. [9] [10]

Minitel em outros países[editar | editar código-fonte]

Suécia: em 1991, o estado sueco tentou introduzir um serviço similar na companiha de telfone Televerket, mas em 1993 o serviço faliu. E, assim, criaram o Teleguide nos quais os terminais eram constituídos pelo IBM.

África do Sul: em 1986, o Videotexto foi introduzido no Telkom, pelo nome de Beltel. Depois, o Minitel foi introduzido para os serviços populares.

Irlanda: em 1988, o Minitel foi introduzido na Irlanda pelo eircom (Telecom Eireann). O sistema era baseado no modelo francês e o serviço Irlandês era acessado na França pelo código "36 19 Irlanda". Os terminais do Minitel da Irlanda eram tecnicamente parecidos aos dos correspondentes franceses, apesar de terem o teclado Qwerty e o telefone RJ-11.

Países Baixos: o PTT (atual KPN) operou com duas plataformas: o Viditel (grande central de números) e o Videotex (central de acesso do sistema responsável pela conexão correta dos vastos números demandados por outros).

Canadá: a Bell Canadá incorporou na fase experimental do Minitel, o sistema conhecido por AlexTel. A similaridade entre ambos era enorme, apesar do telefone usar o Bell System Rj-11.

Brasil: um sistema bem sucedido foi iniciado em São Paulo, pela antiga estatal Telesp. Operou de 1982 até meados dos anos 1990; algumas poucas companhias telefônicas de outros estados instalaram sistemas similares, mas com bases de dados e serviços diferentes. O principal motivo para o sucesso do Minitel em São Paulo foi que a companhia telefônica oferecia apenas o serviço e o acesso à lista telefônica de assinantes, enquanto outras empresas - bancos, provedores de bancos de dados, jornais - ofereciam conteúdos e serviços adicionais. O sistema teve seu ápice em 1995, com cerca de 70 mil assinantes.

O Minitel também está incorporado em países como: Bélgica (pela Belgacom), Alemanha (Bildschirmtext, BTX), Estados Unidos da América (Qwest) e a Itália (Telecom Italia).[11]



Referências

  1. a b c Minitel: The rise and fall of the France-wide web, BBC News, 27 June 2012. Visited: 29 June 2012
  2. Presse, Agence France (21 July 2011). "Le Minitel disparaîtra en juin 2012" [Minitel will disappear in June 2012]. Le Figaro [S.l.: s.n.]  (em francês) (English translation)
  3. Lichfield, John (9 June 2012). "How France Fell Out of Love with Minitel". The Independent [S.l.: s.n.] 
  4. a b "On the Farms of France, the Death of a Pixelated Workhorse", Scott Sayare, New York Times, 27 June 2012
  5. France Telecom. Bilan Minitel 2005(PDF, 920KB). Press release. Página visitada em 2006-08-02. (em francês)
  6. "Projecto francês precursor da Internet vai ser desligado". 
  7. "Imprimantes Rouleau Thermique". Acel Genesys. Arquivado desde o original em 5 February 2009.  (em francês)
  8. JR. DIZARD, Wilson. A Nova Mídia: A comunicação de massa na era da informação.Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor. 2000.
  9. História no Leskioske.com
  10. LES KIOSQUE. Benefices. Disponível em: http://www.leskiosques.com/V3/solutions/minitel/benefices.php4. Acesso em: 03.09.2008.
  11. MINITEL. Magis, le Minitel de base. Disponível em: http://www.minitel.fr/terminaux_public.htm. Acesso em: 03.09.2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]