Miss Universo 1986

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Data 21 de julho de 1986
Apresentadores Bob Barker e Mary Frann
Local ATLAPA Convention Center, Cidade do Panamá, Panamá
Candidatas 77
Semifinalistas 10
Vencedora Bárbara Palacios

Miss Universo 1986 foi a 35ª edição do concurso, realizada no ATLAPA Convention Center, na Cidade do Panamá, Panamá, em 21 de julho daquele ano. Setenta e sete candidatas de todo o mundo disputaram a coroa de Miss Universo que foi conquistada pela venezuelana Bárbara Palacios.

Depois de três anos de tentativas em sediar o Miss Universo, o Panamá o fez em grande estilo e essa edição é considerada uma das melhores da história do concurso. Antes de chegarem ao país, as candidatas sul-americanas participaram do Miss América do Sul, em Caracas, como um termômetro para o concurso, e esta preliminar entre as latinas foi vencida pela Miss Venezuela Bárbara Palacios, a dona da casa que seria posteriormente coroada Miss Universo.[1]

Evento[editar | editar código-fonte]

Com a chegada das candidatas, três sul-americanas, Venezuela, Colômbia e a brasileira Deise Nunes,que foi a primeira Miss Brasil negra da história, foram transformadas em favoritas na preferência de fãs e da imprensa, mas foi a Miss USA, Christy Fichtner, aquela considerada a miss a ser batida. Este concurso, considerado um dos mais fortes dos anos 80, viu sua primeira baixa na chegada, com a Miss Iugoslávia sendo mandada de volta a seu país ao se descobrir que era menor de idade.

Entre as europeias, as representantes da Holanda, Finlândia e Itália, que venceu o Miss Fotogenia, estavam entre as mais cotadas. A Miss Dinamarca passou despercebida entre os jurados e a mídia, mas poucos anos depois Helena Christensen se tornaria uma das principais supermodelos de toda a história. Esta foi a última vez que três países — Zaire, Gâmbia e Samoa Ocidental — iriam participar do concurso. Esta foi a primeira e única participação de Papua Nova Guiné,juntamente com a Ilha da Reunião, que por ser território francês, passaria a participar futuramente do Miss França.[1]

O Top 10, anunciado pelo apresentador Bob Barker, foi formado por Venezuela, Brasil, EUA, Colômbia, Finlândia, Polônia, Chile, Zaire, Suíça e Porto Rico. Nas entrevistas após esta fase, as reações pitorescas e imprevisíveis de algumas candidatas anularam todas as previsões dos especialistas e da mídia , enquanto Barbara avançava para a primeira posição, ultrapassando a até então líder nas pontuações Miss EUA.A brasileira Deise Nunes, visivelmente nervosa, perdeu seu lugar na avaliação do júri para a Miss Polônia, acabando em sexto lugar. A bela loira Fichtner, dos EUA, voltou à primeira posição na pontuação após o desfile de trajes de banho, mas perderia de novo para Barbara após o desfile em trajes de noite, tornando o concurso deste ano um dos mais imprevisíveis da história.[1]

O Top 5 foi formado por Venezuela, EUA, Polônia, Finlândia e Colômbia. A polonesa Brygida Bziukiewicz, uma cantora de ópera, foi a grande surpresa, com seu desempenho geral sendo considerado melhor que o da Miss Brasil. Com as três últimas classificadas também nas últimas três posições do quadro final, o anúncio da vencedora ficou entre Venezuela e EUA. Bob Barker então anunciou Barbara Palacios como a nova Miss Universo 1986, a terceira coroa conquistada pela Venezuela em sete anos. A americana Fichtner não aceitou bem a derrota e deixou o Panamá enfurecida e retornou aos Estados Unidos em um avião privado no dia seguinte.[1]

Palacios, uma venezuelana nascida na Espanha, filha de dois atores e com dupla nacionalidade, cumpriu com grande eficiência seu papel como Miss Universo e após seu reinado trabalhou por mais de duas décadas como apresentadora de televisão e porta-voz de diversas corporações multinacionais nos EUA e na América Latina. Empresária bem sucedida, em 2010 ela se tornou proprietária da Barbara Palacios Corporation, uma empresa baseada nos Estados Unidos que comercializa produtos femininos, com linhas de jóias e produtos de beleza sendo vendidos em lojas com o seu nome na Flórida.[1]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Colocação Candidata País
Miss Universo 1986 Bárbara Palacios  Venezuela
2º lugar Christy Fichtner  Estados Unidos
3º lugar Mónica Urbina  Colômbia
4º lugar Brygida Bziukiewicz Polónia Polônia
5º lugar Tuula Polvi  Finlândia
Semifinalistas (Top 10): Deise Nunes
Aimee Dobala
Eveline Glanzmann
Mariana Villasante
Elizabeth Robison
 Brasil
Zaire
Suíça
 Chile
 Porto Rico
Premiações especiais
Miss Simpatia Dina Reyes Salas Guam
Miss Fotogenia Susanna Huckstep  Itália
Melhor Traje Típico Gilda Lopez  Panamá

Candidatas[editar | editar código-fonte]

Em negrito, a candidata eleita. Em itálico, as semifinalistas.[2]

Transmissão televisiva[editar | editar código-fonte]

Este foi o último ano em que o SBT transmitiu ao vivo o concurso para o Brasil. E também o último em que a emissora levou ao ar um especial de meia-hora sobre a representante do país na disputa[3] (nesse caso, Deise Nunes), antes da transmissão oficial liderada pela rede americana CBS.

Referências

  1. a b c d e «Miss Universe 1986 -Barbara Palacios Teyde». globalbeauties.com. Consultado em 26 de setembro de 2011. 
  2. «1986». pageantopolis.com. Consultado em 26 de setembro de 2011. 
  3. «SBT transmite o concurso de miss Universo». Folha de S. Paulo. 21 de julho de 1986. p. 24 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]