Miss Universo 2009

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Miss Universe 2009 logo.jpg
Data 23 de agosto de 2009
Apresentadores Billy Bush e Claudia Jordan
Local Salão Imperial do Atlantis Paradise Island, Nassau, Bahamas
Candidatas 83
Semifinalistas 15
Retornos Bulgária, Etiópia, Guiana,Grã-Bretanha Islândia, Líbano, Romênia, Suécia, Zâmbia
Vencedora Stefanía Fernández
 Venezuela

Miss Universo 2009 foi a 58ª edição do concurso, realizada no dia 23 de agosto no Salão Imperial do Complexo Atlantis Paradise Island em Nassau, Bahamas.[1] Stefania Fernández, Miss Venezuela, foi coroada por sua antecessora, Dayana Mendonza, também da Venezuela, na primeira e única vez que uma Miss Universo coroou uma sucessora do mesmo país, o que fez o evento entrar para o Guiness Book of Records.[2] Esta edição também viu a introdução de uma nova coroa depois de sete anos e a primeira transmissão ao vivo via Internet das preliminares do concurso.

Escolha da cidade-sede[editar | editar código-fonte]

Autoridades de turismo de Zagreb, capital da Croácia, chegaram a apresentar uma proposta para sediar o Miss Universo 2009. Posteriormente, porém, o governo do país anunciou que não iria investir "uma quantia tão alta" na promoção do evento.[3]

Donald Trump tinha a intenção de realizar o concurso em Dubai, mas razões políticas, como a negativa do governo de permitir a entrada de Miss Israel em seu território, e religiosas, impediram a concretização do negócio.[4] Um investidor australiano tentou levar o evento para o país, mas nenhum local capaz de abrigá-lo se mostrou interessado.[5] Com a vigência do contrato da Organização com a Atlantis Paradise Island,para organizar o concurso de Miss USA Teen,o resort foi anunciado como sede em março do mesmo ano.

Evento[editar | editar código-fonte]

As pré-favoritas dos analistas à coroa eram lideradas pela Miss Austrália Rachael Finch, seguida de Ada de la Cruz da República Dominicana, e as misses Países Baixos, França, México e África do Sul. Apesar da Miss Venezuela não ser levada em consideração para a vitória pelo fato do país ter vencido no ano anterior, Stefania Fernández era vista também como uma concorrente forte. Outra favorita era a imponente Miss Rússia, Sofia Rudieva, considerada pelas chaperones como "impossível de lidar" e que trazia na bagagem escândalos anteriores, como fotos nuas publicadas em revistas russas quando ainda era menor de idade.[6]

Pela primeira vez as apresentações preliminares puderam ser vistas ao vivo pela Internet, através do UStream, o que permitiu aos fãs ao redor do mundo torcerem por suas candidatas à medida que o evento, que até então não era televisado, se desenrolava; algumas das pré-favoritas acabaram perdendo pontos nesta apresentação, enquanto outras passaram a aparecer, como as misses Kosovo, Espanha e Guatemala. Segundo os especialistas, Stefania se apresentou com roupas, maquiagem e cabelos que não lhe eram apropriados, perdendo muitos pontos, mas mesmo assim, como ficaria demonstrado, conseguiu se classificar por muito pouco para as as semifinais; no dia da final ela mudou completamente seu vestuário e maquiagem.[6]

O show deste ano teve uma escala reduzida e mais intimista do que os anos anteriores,devido ao tamanho reduzido do Imperial Ballroom,que comportava a capacidade mínima de público permitida para o concurso.O Top 15 foi formado com Porto Rico, Islândia, Albânia, República Tcheca, Bélgica, República Dominicana, Suécia, Kosovo, Austrália, França, Suíça, África do Sul, EUA, Croácia e Venezuela, a última a ser chamada. Um grupo formado por mulheres de aparência "saudável", mostrando uma nova tendência no Miss Universo, numa época em que o mundo da moda jurava acabar com a aparência anoréxica das modelos em seus desfiles. Duas da favoritas ficaram de fora: Miss México, pela primeira vez em seis anos, e Miss Rússia, que apesar de reconhecidamente escultural deve ter tido suas chances arruinadas pelo temperamento difícil e pelo passado de nudez. Pela primeira vez desde 1991, nenhuma asiática conseguiu superar o primeiro corte.[6]

Atlantis Paradise Island Hotel, local do concurso.

Após os desfiles de trajes de banho e trajes de noite, o Top 5 foi formado com Kosovo, Austrália, República Dominicana, Porto Rico e Venezuela. A nova coroa, criado pela Diamond Nexus Lab foi apresentada pela Miss Universo 2008 Dayana Mendoza e o público pode através da Internet batizá-la entre três nomes propostos, "Paz", "Esperança" e "Unidade", escolhendo o primeiro.

No anúncio final, Miss Porto Rico ficou em 5º lugar, Miss Kosovo em 4º, Miss Austrália em 3º e sobraram apenas na frente do palco a dominicana Ada de la Cruz e Stefania Fernández. O público dominicano presente começou então a comemorar e a própria venezuelana apontava para a concorrente que a vencedora era ela, pois nunca antes nos 57 anos do concurso uma Miss Universo havia passado a coroa para outra do mesmo país;[6] para surpresa geral, o apresentador Billy Bush então anunciou Stefania Fernández como a nova Miss Universo, um feito inédito na história do concurso, que mostrou ao mundo todo pela televisão a inusitada cena das duas venezuelanas pulando abraçadas no palco.[7]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Colocação Candidata País/Território
Miss Universo 2009 Stefania Fernández  Venezuela
2º lugar Ada Aimee de la Cruz República Dominicana
3º lugar Marigona Dragusha Kosovo
4º lugar Rachael Finch  Austrália
5º lugar Mayra Matos  Porto Rico
Semifinalistas (Top 10): Chloé Mortaud
Tatum Keshwar
Iveta Lutovská
Whitney Toyloy
Kristen Dalton
 França
África do Sul
República Checa República Tcheca
Suíça
 Estados Unidos
Semifinalistas (Top 15): Hasna Xhukiçi
Zeynep Sever
Renate Cerljen
Sarah Ćosić
Ingibjörg Egilsdóttir
 Albânia
 Bélgica
 Suécia
 Croácia
 Islândia
Premiações especiais
Miss Simpatia Wang Jingyao  China
Miss Fotogenia Chutima Durongdej  Tailândia
Melhor Traje Típico Diana Broce  Panamá

Jurados [8][editar | editar código-fonte]

Candidatas[editar | editar código-fonte]

Em negrito, a candidata eleita Miss Universo 2009. Em itálico, as semifinalistas.[9]

Coroa[editar | editar código-fonte]

A nova coroa criada pela empresa Diamond Nexus Labs passou a ser usada a partir esta edição em substituição a anterior (2002-2008) da empresa japonesa Mikimoto. Ela foi incrustada com 1.371 gemas num total de 16,09 quilates (83.22 g) e contém 544,31 gramas de ouro branco e platina. A coroa também foi manufaturada com rubis sintéticos que representam a plataforma de educação e precauções contra a AIDS da organização.[10]

Entretanto, quando foi usada nos primeiro dias por Stefania Fernández, ela se mostrou tão pesada e incômoda que provocava dores de cabeça na venezuelana. Com isso, a coroa foi reformulada e tornada mais leve, sendo retirado o arco superior, passando a ter a forma depois usada a partir da Miss Universo 2010, Ximena Navarrete. [11]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

  • O resultado do concurso com uma segunda vitória consecutiva da Venezuela provocou a inconformidade de um grupo de fãs de todo o mundo, que escreveu e publicou uma carta aberta dirigida à Miss Universe Organization, afirmando que o resultado havia sido arranjado porque ele não refletia as notas que estavam sendo dadas e mostradas na transmissão da televisão e exigiam uma explicação da organização. Publicada na Internet, ela se transformou numa bola de neve com a entrada da imprensa no caso, que repercutiu a carta e começou a fazer análises do resultado, fazendo uma entrevista com o coreógrafo do concurso, Michael Schwandt, em que este afirmava que Trump escolhia pessoalmente um certo grupo de finalistas e que nem todo o corpo de diretores sabia quem eram antes do anúncio ao vivo. Isto provocou, pela primeira e única vez na história do MU, uma resposta da presidente da organização, Paula Shugart, à imprensa, através de um press-release, esclarecendo todo o processo de seleção e os votos dos jurados e afirmando que a organização escolhia algumas das semifinalistas mas que a decisão final era do corpo de jurados e isso já acontecia há alguns anos. [6]
  • Miss Turks e Caicos não participou do concurso sob a alegação oficial da organização de que estava tendo problemas de saúde e apareceram na mídia rumores de que ela estava grávida; os rumores se confirmaram quando sete meses depois ela deu à luz.[6]
  • Em 1º de agosto de 2004, cerca de três semanas antes da final do concurso, autoridades bolivianas anunciaram que entrariam na justiça contra a organização do Miss Universo devido à intenção declarada do uso do traje típico do povo Aymará, chamado de Diablada, tradicional da cultura boliviana, pela Miss Peru Karen Schwarz. Pablo Groux, ministro boliviano da Cultura, disse que o uso da roupa por Scharwz no concurso era uma apropriação indevida da cultura boliviana e que iria levar o caso à Corte Internacional de Justiça. O jornal peruano El Comercio, entretanto, comentou que essa não seria primeira vez, já que ele teria sido apresentado anteriormente pela chilena María Josefa Isensee no Miss Universo 1983. O ministro das Relações Exteriores do Peru José García Belaúnde veio a público para alegar que o vestido da diablada é de origem Aymará e não pode representar apenas um dos países aonde vivem os Aymarás.[12][13]

Transmissão e audiência[editar | editar código-fonte]

A NBC e a Telemundo foram as geradoras do pool internacional de emissoras que transmitiu o Miss Universo 2009 em inglês e em espanhol. No Brasil, a Rede Bandeirantes teve a exclusividade de transmissão para a televisão aberta;[14] na televisão a cabo, ele foi transmitido pela TNT, que também o transmitiu para o restante da América Latina.

Nos EUA, a NBC só perdeu em audiência para o reality empresarial Shark Tank (da ABC) em sua primeira hora de exibição (21 às 22h locais) e liderou os índices na metade restante da transmissão, de acordo com a Nielsen.[15]

No Brasil, a transmissão pela Band teve seus piores índices na Grande São Paulo. Segundo dados do Ibope, o evento teve média de 2 pontos e pico de 3 e perdeu público para programas tradicionalmente líderes na sua faixa de horário de transmissão a Brasileira Larissa Costa(Candidata do Rio Grande do Norte) obteve a pior classificação de uma Miss Brasil no Miss Universo.[16]

Referências

  1. «Miss Universe 2009 to be held in Bahamas (Miss Universo 2009 será nas Bahamas)». GlobalBeauties. 2 de março de 2009 
  2. «Venezuela's Miss Universe winners set Guinness World Record!». normannorman.com. Consultado em 10 de fevereiro de 2015 
  3. «Croácia desiste de sediar Miss Universo 2009». GlobalBeauties. 1 de dezembro de 2008 
  4. «Dubai Says No to Miss Israel, Trump Moves Miss Universe to Vegas». debbieschlussel.com. Consultado em 10 de fevereiro de 2015 
  5. Chris Thomson. «Perth beauty judge leads Miss Universe charge». Watoday.com.au. Consultado em 26 de novembro de 2013. Arquivado do original em 6 de dezembro de 2013 
  6. a b c d e f «Miss Universe 2009 Stefania Fernandez». GlobalBeauties. Consultado em 10 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 18 de janeiro de 2012 
  7. «foto». tpmum.com. Consultado em 10 de fevereiro de 2015 
  8. «Judges». Miss Universe Organizaton. Consultado em 10 de fevereiro de 2015 
  9. «2009». pageantopolis. Consultado em 1 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 7 de fevereiro de 2012 
  10. «Miss Universe crown». diamondnexus.com. Consultado em 10 de fevereiro de 2015 
  11. «About the Crown». diamondnexuslabs.com. Consultado em 1 de julho de 2011 
  12. A UNESCO declarou que a diablada é o símbolo departamento of Oruro, Bolivia.Perú y Bolivia incluyen a Chile en disputa por traje de Diablada El Mercurio
  13. El Mercurio. «Bolivia reclama que a representante peruana no Miss Universo use a roupa da "Diablada El Mercurio» 🔗 
  14. «Band lança nova programação para 2009». Band.com.br. 28 de janeiro de 2009 
  15. «Quiet Sunday goes to CBS». Zap2it. 24/08–2009 
  16. «Ibope do Miss Universo 2009 foi o pior da história da Band». TV em Análise Críticas. 24 de agosto de 2009 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Organização