Missas dos Fiéis Defuntos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

As Missas dos Fiéis Defuntos é uma parte do Missal Romano que apresenta as missas próprias dos defuntos. Na organização do Missal Romano, é a última parte antes do apêndice geral, e precedida das Missas Votivas.

Missas Exequiais[editar | editar código-fonte]

Uma cerimônia exequial

São as missas:

  • I. Nas Exéquias
  • III. Para diversas comemorações
    • duas missas por um único fiel defunto.
    • três missas por vários ou por todos os fiéis defuntos.

Considerações[editar | editar código-fonte]

Embora razões de comodidade aconselhem propor todas as missas em sua íntegra, com antífonas e orações, todos os textos poderão ser trocados por outros, sobretudo as orações, passando-se para o feminino ou para o plural, se for o caso.

Pode-se ainda, fazer o mesmo com as orações das exéquias ou aniversário de morte, quando usadas em putras circustânceas, omitindo-se as palavras menos adequadas.

No Tempo Pascal pode-se omitir o aleluia no fim das antífonas, se parecer conveniente.

Liturgia[editar | editar código-fonte]

Nas missas dos defuntos, ou no rito de encomendação, a Liturgia exige o uso do roxo, ou do preto como cores dos paramentos. Omite-se o Hino de louvor, omite-se, se oportuno durante o Tempo Pascal o Aleluia do fim das antífonas, e deve-se guardar silêncio e evitar demonstrações de alegria. É conveniente que o Círio Pascal fique ao lado do corpo do defunto, simbolizando que a Luz de Cristo está presente

Temática[editar | editar código-fonte]

Na Liturgia da Palavra, que é a segunda parte da missa, trata-se de Vida eterna, Ressurreição dos mortos e a Ressurreição do próprio Cristo, além de usar-se textos com palavras de conforto e ânimo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Missas Romano Paulus-10ª edição; Missas dos Fiéis Defuntos, da página 963 à 994.
  • Instrução Geral do Missal Romano