Moçárabes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou secção:
Moçárabes
Arco com arabescos moçárabes no Alhambra, Granada
População total
Regiões com população significativa
Al-Andalus
Línguas
moçárabe
Religiões

Os moçárabes (do árabe مستعرب musta'rib, "arabizado"‎)[1] eram cristãos ibéricos que viviam sob o governo muçulmano no Al-Andalus. Os seus descendentes não se converteram ao Islão, mas adotaram elementos da língua e cultura árabe. Eram, principalmente, católicos romanos de rito visigótico ou moçárabe.

Os moçárabes eram descendentes dos antigos cristãos hispano-góticos que se tornaram falantes do árabe durante o domínio muçulmano. Muitos também eram o que o arabista Mikel de Epalza chama de "neomoçárabes", europeus do norte que foram para a península Ibérica e adotaram o árabe, entrando assim na comunidade moçárabe.

Alguns eram cristãos árabes e berberes, juntamente com convertidos muçulmanos ao cristianismo, os quais, na qualidade de falantes do árabe, sentiam-se à vontade entre os moçárabes originais.

Os enclaves moçárabes eram encontrados em grandes cidades muçulmanas, especialmente Toledo, Córdova, Saragoça e Sevilha.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Fontes e referências[editar | editar código-fonte]