Moacyr Franco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde novembro de 2011).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Moacyr Franco
Moacyr franco.jpg
Moacyr Franco e sua ex-mulher, Daniela (foto original de Sérgio Savarese/flickr)
Informação geral
Nome completo Moacir de Oliveira Franco (nome de batismo)[1]
Nascimento 5 de outubro de 1936 (81 anos)[1]
Origem Ituiutaba, Minas Gerais[1]
País Brasil Brasil
Gênero(s) marchinha, balada, sertanejo e Pop rock
Ocupação(ões) Ator, cantor, humorista
Instrumento(s) Vocal
Outras ocupações compositor, ator, apresentador de TV, produtor, autor e ex-político
Moacyr Franco
Deputado federal por  São Paulo
Período 1º de fevereiro de 1983
até 1º de fevereiro de 1987
Dados pessoais
Nascimento 5 de outubro de 1936 (81 anos)
Ituiutaba, Minas Gerais
 Brasil
Partido PTB (1982-1987)
PTB (1988-2009)
PSL (2009-2011)
PPS (2011-atualmente)
Profissão cantor, compositor, ator, humorista, apresentador de televisão, produtor, autor

Moacyr Franco, cujo nome de batismo é Moacir de Oliveira Franco (Ituiutaba, 5 de outubro de 1936), é um ator, cantor, compositor, autor, apresentador de TV, humorista e político brasileiro.[1] É filiado ao PPS.

As composições de Moacyr são bastante ecléticas, como boleros, marchinhas, baladas de amor e até rock’n’roll.[2] Seus maiores sucessos, porém, estão no sertanejo-raíz, quando, nas décadas de 80 e 90 compôs várias músicas que alcançaram os primeiros lugares nas paradas, tais como: "Dia de Formatura", com Nalva Aguiar, "Seu amor ainda é tudo", "Ainda Ontem Chorei de Saudade" e "Se eu não puder te esquecer", com João Mineiro & Marciano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Moacyr descobriu cedo sua vocação artística. Assim que terminou o Ensino Fundamental, em Uberlândia, foi contratado em uma oficina de pintura, que produzia cartazes e letreiros por encomenda. Um belo dia, o maestro da Orquestra de Tapajós precisou dos serviços e chamou o rapaz para dar um jeito nas estantes do teatro onde ensaiavam. Moacyr Franco ficou encantado com a música. “Fiz um negócio com o maestro: eu pintaria as estantes, ele deixava eu cantar com a orquestra. Ele topou! Por aí é que eu virei cantor, aprendi música, violão e piano”, contou ele.[3]

Aos 17 anos ganhou um concurso de melhor cantor na Rádio Difusora de Uberlândia, ao cantar no programa de calouros "Astros e Estrelas do Amanhã".[3] Três anos depois, mudou-se com a família para Ribeirão Preto, onde conseguiu um emprego na Rádio Clube Ribeirão Preto. Foi lá que conheceu Aloisio Silva Araújo, grande redator de humorismo, que era amigo de Manuel de Nóbrega.

Carreira como Músico[editar | editar código-fonte]

Em 1959, no programa Praça da Alegria, interpretou o personagem "Mendigo". Quando o programa passou a ser gravado na TV Rio, o artista e seu personagem ficaram ainda mais conhecidos: seu bordão que divertia a plateia no auditório foi transformado em marchinha de carnaval. Nascia ali "Me Dá Um Dinheiro Aí".[3] Estourou com outras músicas, como Suave é a Noite (versão de Tender is the Night), "Pelé agradece", "E tu te vais", "Pedagio" e Eu Nunca Mais Vou Te Esquecer. Sofreu um sério acidente automobilístico nos anos 70 e após isso um AVC, o que lhe prejudicou a carreira. Depois do sucesso que vivenciara na primeira metade da década de 70, nunca recuperou a imensa popularidade que tinha.

Desde então lançou vários discos (fez muito sucesso com a canção Balada número sete, homenagem ao grande jogador de futebol Mané Garrincha) e ganhou 42 discos de ouro, além de trabalhar nas principais emissoras do país apresentando, produzindo, escrevendo e atuando em diversos programas. Continua a seguir paralelamente a carreira de cantor, apresentando-se por todo o Brasil.

Em 1978 explodiu em todo o país com o sucesso "Turbilhão" (A nossa vida é um carnaval...), música mais tocada no carnaval daquele ano.

Nas décadas de 80 e 90 compôs várias músicas no gênero sertanejo, que alcançaram os primeiros lugares nas paradas, tais como: "Dia de Formatura", com Nalva Aguiar, "Seu amor ainda é tudo", "Ainda Ontem Chorei de Saudade" e "Se eu não puder te esquecer", com João Mineiro & Marciano.

Em 1996 gravou, recitando em 18 fitas cassete, todo o Novo Testamento.

Em 1998, teve a música "Seu amor ainda é tudo", gravada pela cantora Roberta Miranda, no CD "Paixão", lançado pela Polygram.

Em 2004, teve a sua composição "Tudo Vira Bosta" gravada por Rita Lee. Esta música integrou a trilha sonora da novela "Senhora do Destino", exibida no mesmo ano, pela Rede Globo de Televisão.

Carreira na TV[editar | editar código-fonte]

Em 1959, Manoel da Nóbrega dá uma oportunidade ao artista, que vai para a TV Rio atuar em “Rio Te Adoro” e Praça da Alegria, onde interpretou o personagem "Mendigo", que alcançou muita popularidade.

Nos anos 1960, ainda na TV Rio, trabalhou ao lado de Chico Anysio e Hilton Franco, e tocou programas de grande sucesso de audiência, como O Riso É O Limite e Show Doçura.[3]

Ainda na década de 60 se transferiu para a TV Tupi, onde fundou, junto com Boni, o TeleCentro, que era um centro de produções com objetivo de lançar novos talentos no mercado.[3]

Em 1971 se transferiu para a TV Globo. Seu primeiro programa na emissora foi Moacyr Franco Especial, um programa de variedades com números musicais, entrevistas, quadros humorísticos e brincadeiras. No ano seguinte, o programa passou por reformulações e tornou-se semanal: entrava no ar o Moacyr Franco Show, que, a partir de 1973, foi transmitido a cores, com a introdução de mudanças na estética e na forma de apresentação. Neste programa, revelou vários artistas como: Isabela Garcia, Guto Franco, Carla Daniel, Nizo Neto, Rosana Garcia, sua afilhada de batismo, entre outros.[3] Outra curiosidade sobre o Moacyr Franco Show, foi que ele foi o primeiro programa a fazer merchandising fora dos comerciais. O produto em questão era o filtro de papel Mellita.

Em 1976, passou a apresentar o Moacyr TV. Com participação de Pepita Rodrigues, o programa recebia no auditório desconhecidos, em busca de uma oportunidade para brilhar na televisão. O show de talentos tinha como promessa um carro zero quilômetro e um contrato com a TV Globo. Nesta brincadeira, anônimos reinterpretavam cenas de novelas, com a ajuda de atores famosos.[3]

Eu considero aquele programa um marco. Teve ótimos índices de audiência na Globo. O pulo do gato ali era o humor, a sátira, que dava audiência. Foi o primeiro programa no Brasil que teve um telão no meio do auditório, onde se reproduziam as cenas que estavam sendo teatralizadas.[3]
Moacyr Franco, sobre o programa Moacyr TV, em depoimento concedido ao Memória Globo em 11/06/2014

Em 1977, Moacyr Franco interrompeu sua carreira, devido a problemas de saúde. Teve um aneurisma cerebral enquanto fazia A Praça da Alegria, apresentado por Luís Carlos Mieli.[3]

Em 1980, Moacyr trabalhou na TV Bandeirantes, onde fez o programa humorístico As Caveirinhas e depois O Burro do Homem, que conquistou, na época, o prêmio de melhor programa humorístico da televisão brasileira.

Em 97 resolveu aceitar um convite de Silvio Santos para apresentar o programa “Concurso de Paródias” e não saiu mais do SBT. De novo com Guto, escreveu e interpretou seriados de enorme sucesso como Ô… Coitado! com Gorete Milagres e Meu Cunhado com Ronald Golias e Guilhermina Guinle. Em 1998 assume o cargo de Diretor de Criação do SBT.

Em 2005, aceita o convite de Carlos Alberto de Nóbrega e volta à A Praça é Nossa, onde interpreta o homossexual caipira Jeca Gay. Outra vez vira sucesso nacional com o bordão “Chic no Urtimo!”

Carreira no Cinema[editar | editar código-fonte]

Em 2011, ganhou o Troféu Menina de Ouro de melhor ator coadjuvante no Festival de Cinema de Paulínia por conta do personagem Delegado Justo no filme O Palhaço, de Selton Mello.[4] Esta atuação também lhe rendeu o Premio Governador do Estado de São Paulo.

Carreira Política[editar | editar código-fonte]

Entre os anos de 1983 e 1987, interrompeu sua carreira artística para cumprir mandato de deputado federal após ser eleito no estado de São Paulo pelo PTB.

Em 2010, tentou voltar à carreira política, candidatando-se a senador, pelo PSL. Apesar de ter obtido mais de 400 mil votos, não foi eleito.[5]

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Moacyr é torcedor do Palmeiras, tendo, inclusive, feito uma canção dedicada ao clube, "O Amor é Verde".[6]

Moacyr é pai de 7 filhos, a saber: Moacyr Franco Jr., Guto Franco, Maria Cecília, Johnny Franco, e dos gêmeos Ana Helena e Domenico.

Em 1966, Moacyr ficou viúvo de sua primeira esposa, Vitória, com quem teve os dois primeiros filhos (Moacyr Franco Junior e Guto Franco). Os outros 5 filhos são frutos de seu casamento com Daniela Franco, que chegou ao fim no início de 2010.[7]

Em 2013, começou um relacionamento com sua namorada atual, Pamela Noronha, 56 anos mais jovem que ele.[7]

Sobre seus filhos:

  • Moacyr Franco Jr. - Seu filho mais velho é comandante dos aviões da TAM e faz voos internacionais.
  • Guto Franco fez sucesso ao ser lançado ainda criança em programas do pai, chegando a participar como ator da telenovela O Grito produzida e exibida pela TV Globo na década de 1970. Guto participou da Praça interpretando o personagem Dona Guajarina e foi diretor e redator chefe do humorístico A Turma do Didi exibido pela Rede Globo aos domingos.
  • Johnny Franco - nome artístico de João Vitor. Fez programa de televisão ainda novo assim como Guto, participando do programa Meu Cunhado. Já como "Johnny Franco", é vocalista da banda The Moondogs, que participou do programa SuperStar, da Tv Globo.[8]

Trabalhos no Radio[editar | editar código-fonte]

  • 1964 - Programa "As coisas que eu gosto" - Rádio Bandeirantes

Trabalhos na Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Emissora Ref.
1962 Show Doçura Apresentador/Animador de Auditórios TV Rio
1971-1973 Moacyr Franco Especial Apresentador TV Globo
1973-1976 Moacyr Franco Show Apresentador TV Globo
1976-1980 Moacyr TV Apresentador/Animador de Auditórios TV Globo
1980-1981 As Caveirinhas TV Bandeirantes
1981-1986 O Burro do Homem TV Bandeirantes
1986 "A Mulher é um Show" Apresentador SBT
1997 Concurso de Paródias Apresentador SBT [9]
2016-atualmente Programa Raul Gil Jurado do quadro "Quem Sabe Canta" SBT

Como Ator[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Emissora
1959 Praça da Alegria "Mendigo" TV Rio
2010 Uma Rosa com Amor Velho Bento SBT
2009 Vende-se Um Véu de Noiva Walter SBT
2004 - 2006 Meu Cunhado Washington Cantapedra SBT
2001 presente A Praça é Nossa Mendigo/ Jeca Gay / Gabriel, a caminho do Céu SBT
1997-1999 Ô... Coitado! Stevie Formoso SBT

Outros Trabalhos como Ator[editar | editar código-fonte]

Teatro[editar | editar código-fonte]

Ano Peça Papel Ref.
1964 Musical "Como Vencer na Vida Sem Fazer Força" [10][11]

Trabalhos no Cinema[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Ref.
1979-1980 O Menino Arco-Íris - A Infância de Jesus Cristo Homem do burrico [12]
2011 O Palhaço Delegado Justo
2014 A Grande Vitória Avô de Max
2017 Como se Tornar o Pior Aluno da Escola (filme) Faxineiro

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de Estúdio[editar | editar código-fonte]

  • 1959 Me Dá Um Dinheiro Aí / Compromisso de Palhaço (compacto simples)
  • 1962 Contrastes
  • 1963 Moacyr Franco
  • 1963 Show doçura
  • 1964 Ternura e alegria
  • 1965 As coisas que eu gosto
  • 1965 Somente sucessos de Moacyr Franco
  • 1966 E… Moacyr Franco
  • 1966 Eu te darei bem mais
  • 1968 Me Perderás
  • 1968 Querida
  • 1969 Por Amor
  • 1970 Moacyr Franco Show
  • 1970 Nosso Primeiro Amor
  • 1971 Moacyr Franco Especial
  • 1972 Moacyr Franco
  • 1973 Moacyr Franco
  • 1974 Soleado, a musica do céu
  • 1975 Moacir Franco
  • 1976 Reencontro
  • 1977 Moacyr Franco
  • 1977 Tema de Sonia (compacto duplo)
  • 1977 Morrendo de Amor
  • 1979 Moacir Franco
  • 1987 Moacir Franco
  • 1988 Aquelas Antigas
  • 1989 O Amor Torna Tudo Novo de Novo
  • 1991 A Música da Estrada
  • 1993 Inteligência é Loucura
  • 1997 O Amor é Verde
  • 1999 Questão de Tempo
  • 2005 Se Me Deixarem Viver
  • 2008 Aquelas Antigas 2
  • 2016 Faz de conta que é Natal

Participação em Outros projetos[editar | editar código-fonte]

  • 2013 - Fez uma participação especial no CD "Questão de tempo", lançado por Sérgio Reis através da Radar Records. No disco, cantou o rasqueado, "Questão de tempo", de sua autoria, que deu nome ao álbum.

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Trabalho Ref
1963 Troféu Chico Viola Música "Que será de ti?" Venceu
1964 Troféu Imprensa Melhor Cantor Venceu [13]
2011 Festival de Cinema de Paulínia - Troféu Menina de Ouro Melhor Ator Coadjuvante Interpretação do personagem "Delegado Justo" no filme O Palhaço Venceu

Outros Prêmios[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. a b c d Adm. do portal da Câmara (2005). «Conheça os Deputados». Câmara dos Deputados. Consultado em 31 de maio de 2013 
  2. cultura.estadao.com.br/ Moacyr Franco ainda nos faz chorar de saudade
  3. a b c d e f g h i memoriaglobo.globo.com/ Memoria Globo - Moacyr Franco
  4. Moacyr Franco e Jorge Loredo falam de suas participações especiais no filme de Selton Mello - Agorams.com.br
  5. Biografia de Moacyr Franco no Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira
  6. O Amor é Verde Rádio Globo, 13 de agosto de 2014
  7. a b gente.ig.com.br/ Moacyr Franco sobre jovem namorada: "Sofro toda vez que acaba"
  8. caras.uol.com.br/ Lembra? Filho de Moacyr Franco aprovado no 'SuperStar' já atuou com o pai no SBT
  9. folha.uol.com.br/ Estréias fazem subir a audiência do SBT
  10. toque-musicall.com/
  11. moellerbotelho.com.br/
  12. Cinemateca Brasileira O Menino Arco-Íris - A Infância de Jesus Cristo [em linha]
  13. chancedegol.uol.com.br/ Lista de Vencedores do Troféu Imprensa

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Moacyr Franco


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.