Moda vitoriana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Frith A Private View detail.jpg

A moda vitoriana consiste nas várias modas e tendências da cultura britânica que surgiram e se desenvolveram no Reino Unido e no Império Britânico ao longo da era vitoriana, aproximadamente de 1830 a 1890. O período viu muitas mudanças na moda, incluindo mudanças nos estilos, na tecnologia da moda e nos métodos de distribuição. Vários movimentos na arquitetura, literatura e artes decorativas e visuais, bem como uma percepção de mudança dos papéis tradicionais de gênero, também influenciaram a moda.

Visão geral[editar | editar código-fonte]

Sob o reinado da Rainha Vitória, a Inglaterra desfrutou de um período de crescimento junto com o avanço tecnológico. A produção em massa de máquinas de costura na década de 1850, bem como o advento de corantes sintéticos, introduziram grandes mudanças na moda.[1] As roupas poderiam ser feitas de forma mais rápida e barata. O avanço na impressão e a proliferação de revistas de moda permitiram que as massas participassem das tendências em evolução da alta moda, abrindo o mercado de consumo de massa e publicidade. Em 1905, as roupas eram cada vez mais feitas em fábricas e frequentemente vendidas em grandes lojas de departamentos de preço fixo, estimulando uma nova era de consumismo com a classe média em ascensão que se beneficiou da revolução industrial.[1]

Referências

  1. a b Breward, Christopher (1995). The Culture of Fashion. [S.l.]: Manchester University Press. pp. 145–180 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre vestuário ou moda é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.