Mohamed Kallon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva não cita as suas fontes ou referências, o que compromete sua credibilidade. (desde julho de 2014)
Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Mohamed Kallon
Informações pessoais
Nome completo Mohamed Kallon
Data de nasc. 6 de outubro de 1979 (38 anos)
Local de nasc. Kenema, Serra Leoa
Altura 1,77 m
Apelido Pequeno Kallon
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1994
1994–1995
1995
1995–1999
1995–1997
1997
1998
1998–1999
1999–2000
2000–2001
2001–2004
2004–2007
2005–2006
2008
2008–2009
2009–2010
2010
2011
2012–2016
Serra Leoa Old Edwardians
Líbano Tadamon Sour
Suécia Spånga IS
Itália Internazionale
Suíça Lugano (emp.)
Serra Leoa Bologna (emp.)
Itália Genoa (emp.)
Itália Cagliari (emp.)
Itália Reggina
Itália Vicenza
Itália Internazionale
França Monaco
Arábia Saudita Al-Ittihad (emp.)
Grécia AEK Atenas
Arábia Saudita Al-Shabab
Serra Leoa Kallon FC
China Shaanxi Chanba
Índia Chirag United]]
Serra Leoa Kallon FC
13 (4)
24 (15)
0 (0)
0 (0)
18 (1)
2 (0)
26 (10)
26 (6)
30 (11)
24 (8)
42 (14)
48 (13)
26 (12)
8 (2)
4 (1)
11 (2)
21 (7)
0 (0)
Seleção nacional
1995–2012 Flag of Sierra Leone.svg Serra Leoa 35 (14)

Mohamed Kallon (Kenema, 6 de outubro de 1979) é um ex-futebolista e treinador de futebol serra-leonês que atuava como atacante. É considerado o melhor jogador de futebol da história de seu país natal.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Começou a militar no futebol muito jovem, em 1994, no Old Edwardians, clube da capital Freetown. Em seguida, foi para o Líbano, para jogar no Tadamon. Passou rapidamente pelo Spånga IS (time da região central de Estocolmo), até chegar à Internazionale em 1995, com apenas 15 anos.

Por ser muito novo na época, Kallon não teve chances nos Nerazzurri, sendo emprestado para Lugano, Bologna, Genoa e Cagliari, para que ele ganhasse mais experiência. Fora dos planos da Inter, foi contratado pela Reggina em 1999.

Chamou a atenção do também modesto Vicenza, em 2001. Seu desempenho levou a Internazionale a repatriá-lo no mesmo ano, e diferentemente da primeira passagem, o atacante passou a ganhar mais oportunidades no clube, mas a concorrência por uma vaga no ataque o tornou como opção - Christian Vieri, Ronaldo, Álvaro Recoba, Adriano, Hakan Şükür e Nicola Ventola eram os demais atacantes dos Nerazzurri no período. Lesões sofridas pelo Fenômeno e pelo uruguaio alçaram Kallon ao posto de titular, marcando nove gols em 21 partidas, ficando na vice-artilharia do time, atrás apenas de Vieri.

Depois de deixar a Inter em 2004, sua carreira começou a degringolar. Excluindo uma boa passagem pelo Monaco e pelo clube árabe Al-Ittihad, suas demais estadias duraram pouco - foram apenas 12 jogos e três gols AEK Atenas e Al-Shabab em 1 ano.

O Pequeno Kallon (apelido dado pela torcida por seu início precoce de carreira) tentou reerguer a carreira de volta ao seu país natal, para militar com a camisa do clube que fundou e do qual é o seu proprietário, o Kallon FC. Teve um bom desempenho: 11 jogos e 2 gols, quando os próprios serra-leoneses acreditariam que o atacante naufragaria de vez.

Após passagem pelo futebol chinês, defendendo o Shaanxi Chanba, Kallon foi para a Índia, sendo contratado pelo Chirag United, mas não disputou nenhum jogo pelo clube, voltando ao seu país em 2012. Virou treinador em 2014, comandando a equipe sub-17 de Serra Leoa, em paralelo com seu trabalho no Kallon FC. Encerrou a carreira aos 37 anos, em 2016.

Seleção[editar | editar código-fonte]

A carreira do atacante na Seleção Serra-Leonesa de Futebol também começou precocemente, em 1995, em uma partida contra a Seleção do Congo, válido pelas Eliminatórias da CAN de 1996.

O fracasso na tentativa de classificar os serra-leoneses para a Copa de 2010 afetou a passagem de Kallon com a camisa dos Leone Stars. Seu último jogo foi contra a Nigéria, que saiu vencedora do confronto por 4 a 1. Entretanto, sua carreira internacional prosseguiu normalmente, embora sem tanta frequência, até 2012, quando não voltaria a ser convocado.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Mohamed Kallon é casado com M'mah Mansaray, uma mulher da etnia mandingo. Seus irmãos, Musa e Kemokai, também são jogadores de futebol.

Kallon é adepto da religião islâmica e a etnia a qual pertence é a mende.

Bandeira de Serra LeoaSoccer icon Este artigo sobre futebolistas serra-leoneses é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.