Moisés Espírito Santo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde março de 2015).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Moisés Espírito Santo
Nascimento 1934
Rebolaria, Batalha, Portugal
Nacionalidade Portuguesa Flag of Portugal.svg
Influências
Escola/tradição École des Hautes Études en Sciences Sociales e Universidade Nova de Lisboa
Principais interesses Etnologia
Etnologia das Religiões
Etnologia Histórica
Etnologia Comparada
Sociologia da Religião
Igreja Católica+Religião popular
Culturas do Mediterrâneo
Culturas Populares
Etnografia
Línguas semitas
Língua portuguesa
Toponímia portuguesa
Psicologia analítica
Arqueologia em Portugal
História de Portugal
Sociologia Rural

Moisés Espírito Santo Bagagem (Rebolaria, Batalha, 1934) é um professor universitário, etnólogo, etnógrafo e sociólogo português. Foi um dos docentes da 'Pós-Graduação em Património Cultural Imaterial' da Universidade Lusófona de Lisboa.

A investigação etnológica de Moisés Espírito Santo também é relevante para as áreas da História de Portugal e da Arqueologia em Portugal, bem como as suas investigações para o conhecimento científico da origem e da identidade da Língua Portuguesa (que tem a sua matriz nas várias cambiantes do Fenício, do Hebraico antigo e do Hebraico, com origem no Noroeste da Península Ibérica[1], com a influência mais tardia do Latim, devido à expansão administrativa do Império Romano do Sul para o Norte do território português), associadas aos estudos sobre toponímia, com a aplicação do «método da constelação local», também conhecido como «método etnológico de terreno» [2] [3], criado pelo investigador francês Victor Berárd, às povoações de vários locais do território português.

Biografia e formação académica[editar | editar código-fonte]

Nasceu em 1934, em Rebolaria, na freguesia da Batalha, numa família de agricultores. Cumpriu o serviço militar em hospitais militares. Foi animador cultural nas cadeias centrais (1955-1958), após curso ministrado pela Direcção-Geral dos Serviços Prisionais; funcionário (1958-1963) das Caixas de Previdência. Em 1963, imigrou para França, para a cidade de Paris, onde foi operário e empregado de escritório; animador cultural (1966-1977) na Liga Francesa de Ensino e de Educação Permanente, encarregada do sector imigrante; formador (1977-1980) de animadores culturais para imigrantes portugueses e professor de Língua Portuguesa no ensino secundário francês. Fundou algumas das primeiras associações portuguesas de imigrantes em França e a Liga Portuguesa do Ensino e da Cultura Popular. Cursou jornalismo no Instituto Francês da Imprensa, do Instituto de Ciências Políticas de Paris, mas não apresentou o relatório final[4].

Em 1973, numa licença de reciclagem e formação profissional, foi admitido na Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais (Paris), na área da Sociologia Rural. Diplomou-se em Sociologia Rural com o trabalho final La Freguesia - Commune Rurale Portugaise: Vie Communautaire et Conflits (1973-1976), sob a orientação de Placide Rambaud, editado, em Portugal, com o título de Comunidade Rural ao Norte do Tejo - Estudo de Sociologia Rural (1980), que constitui um estudo sociológico de terreno sobre a freguesia rural do Reguengo do Fetal, concelho da Batalha[5]. Em 1976, iniciou o seu doutoramento sob a orientação de Placide Rambaud e de Émile Poulat, na mesma instituição, obtendo o grau com a tese 'La Religion Paysaine dans Le Nord du Portugal' (1976-1979)[6], que constitui um estudo sociológico de terreno sobre a 'religião popular' de alguns locais da região de Entre-Douro-e-Minho, publicada, em Portugal, com o título de A Religião Popular Portuguesa (1984)[7].

Carreira académica[editar | editar código-fonte]

A carreira académica de Moisés Espírito Santo começa no ano lectivo de 1980/81, quando foi contratado pela Universidade Nova de Lisboa para leccionar Sociologia Rural no Departamento de Sociologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, como professor auxiliar convidado, com o regresso definitivo a Portugal no ano de 1981, depois de 18 anos como imigrante em França, com equivalência do grau de Doutor em Portugal adquirida em 1984 (sendo professor catedrático jubilado em Sociologia e Etnologia das Religiões dessa instituição desde 2004), cujo percurso de investigação evoluiu para as áreas de Etnologia Comparada, de Etnologia Histórica e com a aplicação de uma abordagem etnológica e de alguns conceitos de psicologia analítica no estudo das religiões, com uma visão etnológica das sociedades, que privilegia a observação e a investigação etnológica de terreno, sendo, na realidade, mais um etnólogo do que, propriamente, um sociólogo, tendo realizado vários estudos etnológicos de terreno, nalguns locais do território português, que pretendem reformular, quase por completo, os estudos tradicionais, feitos sobre os portugueses, em Etnologia, em Etnologia das Religiões, em Arqueologia, em História de Portugal, nos estudos de toponímia e nos estudos sobre a origem da língua portuguesa, que se debruçam sobre a identidade cultural das populações do território português e sobre a História de Portugal, apuradas a partir da identidade cultural dos cultos religiosos populares. Ou seja, foi a partir da identidade cultural e da origem da 'religião popular' de alguns locais de várias regiões do território português, com o conhecimento científico da identidade cultural dos seus símbolos, cultos e rituais, complementado com estudos científicos de toponímia (com o 'Método da Constelação Local' criado por Victor Berárd) e com estudos linguísticos e filológicos, que Moisés Espírito Santo pretende identificar as culturas que configuraram os portugueses no decorrer dos milénios, com a abordagem da Etnologia Histórica e da Etnologia Comparada.

Foi o responsável, no Departamento de Sociologia da FCSH, por várias disciplinas, nas áreas de Etnologia e de Sociologia. Leccionou em vários mestrados desse Departamento, mas também em Estudos Portugueses. Fundou e dirigiu o curso de pós-graduação em Sociologia do Simbólico e do Pensamento Religioso. Foi um dos fundadores, com outros docentes da UNL e alunos do Mestrado de Sociologia Aprofundada e Realidade Portuguesa, de três institutos de investigação etnológica e sociológica, que já não se encontram em actividade, que dirigiu, com a colaboração permanente de vários membros: do Instituto de Sociologia e Etnologia das Religiões (1991-2004) [8], do Instituto Mediterrânico (1991-2004)[9] e da Associação de Estudos Rurais (1991-2004). Foi o fundador e dirigiu também as revistas Fórum Sociológico[10], revista ainda em actividade numa nova série e com novos responsáveis, editada, entre 1992 e 2004, pelo Instituto de Estudos e Divulgação Sociológica (do qual também foi um dos fundadores em 1991, com outros docentes da UNL e alunos do Mestrado de Sociologia Aprofundada e Realidade Portuguesa, instituto que já não se encontra em actividade)[11], e Mediterrâneo – Revista de Estudos Pluridisciplinares sobre as Sociedades Mediterrânicas (1991-2004), revista já extinta. É uma das referências académicas e científicas do Departamento de Sociologia da FCSH-UNL, fundado e configurado por Vitorino Magalhães Godinho.

Foi um dos sócios-fundadores da Associação Portuguesa de Sociologia. É membro da Association Internationale de Sociologues de Langue Française (Toulouse), do International Institute of Sociology (Washington) e do Research Committee on Sociology of Religion (RC22) da International Sociological Association (Roma). Foi um dos sócios-fundadores da Associação Portuguesa para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial (Lisboa).

Outros livros principais publicados[editar | editar código-fonte]

  • Origens Orientais da Religião Popular Portuguesa seguido de Ensaio sobre Toponímia Antiga (1988), Lisboa: Assírio & Alvim, Colecção Lusitânia nº1 - Tradições Religiosas Populares. Referência Assírio & Alvim: 150010-9789723701166. (terreno: alguns locais da região da Beira Alta, com estudos de toponímia de vários locais do território português) Artigo que se baseia nesta obra: * 1987 - "Sexualidade e Religião" , em Sexologia em Portugal, Volume 2, Lisboa, Texto Editora, pp. 23–54.
  • Fontes Remotas da Cultura Portuguesa (1989), Lisboa: Assírio & Alvim, Colecção Lusitânia nº2 - Tradições Religiosas Populares ISBN 978-972-37-0228-6 / Referência Assírio & Alvim: 150016-9789723702286. (terreno: alguns locais da região da Beira Baixa e da região da Beira Alta, com estudos de toponímia de vários locais do território português)
  • Origens do Cristianismo Português, precedido de A Deusa Síria de Luciano de Samoçata (1993); 3.ª edição, revista e aumentada, Lisboa: Instituto de Sociologia e Etnologia das Religiões (ISER) da UNL, 2001.
  • Dicionário Fenício-Português: 10 000 vocábulos das línguas e dialectos falados pelos Fenícios e Cartagineses desde o século XXX a.C., englobando o fenício, o acadiano, o assírio e o hebraico bíblico (1993); 2.ª edição: Lisboa: ISER da UNL, 1994.
  • Os Mouros Fatimidas e as Aparições de Fátima (1995); 5.ª edição, revista e aumentada: Lisboa: Assírio & Alvim, Colecção Lusitânia nº6 - Tradições Religiosas Populares, 2006. ISBN 978-972-37-0932-2 / Referência Assírio & Alvim: 151006-9789723709322.Existe uma tradução parcial desta obra em italiano por Marcello Saco: Fátima Magica — Le Apparizioni di Fátima fra Cristianesimo Popolare e Misticismo Islamico , Le Nardo: BESA Editrice, 1999. (terreno: alguns locais da região da Beira Litoral e de alguns locais de uma parte do Norte de Marrocos)
  • O Brasonário Português e a Cultura Hebraica (1997), Lisboa: ISER da UNL.
  • A Religião na Mudança: A Nova Era (2002), Lisboa: ISER da UNL.
  • Cinco Mil Anos de Cultura a Oeste — Etno-História da Religião Popular numa Região da Estremadura (2005), Lisboa: Assírio & Alvim, Colecção Lusitânia nº4 - Tradições Religiosas Populares ISBN 978-972-37-0950-6 / Referência Assírio & Alvim: 150069-9789723709506. (terreno: alguns locais da região da Estremadura, com estudos de toponímia de vários locais dessa região)

Outros artigos principais publicados[editar | editar código-fonte]

  • 1984 - "Sobre a visão e os costumes no que respeita à regionalização e à descentralização : regionalização e desintegração social" em Regionalização e Desenvolvimento, Lisboa, Imprensa Nacional/Casa da Moeda, pp.77–89
  • 1992 - “A Escrita Ibérica - interpretação da escrita e da língua ‘pré romanas’” em Revista Mediterrâneo - Revista Pluridisciplinar sobre as Socidades Mediterrânicas, nº1, Lisboa, Instituto Mediterrâneo da Universidade Nova de Lisboa (IM-UNL) e Gráfica 2000, pp.3–5 e pp.179–220.
  • 1993 - "O que é um Judeu?” apresentação introdutória à reedição da obra de Samuel Schwarz de 1925, Os Cristãos-Novos em Portugal no século XX, Lisboa, ISER da UNL e Gráfica 2000, pp. IX-XXII.
  • 1995 - "O touro na Bíblia: símbolo de Deus e vítima sacrificial.” em Revista Mediterrâneo -Revista Pluridisciplinar sobre as Sociedades Mediterrânicas, nº5/6, Lisboa, IM-UNL e Gráfica 2000, Julho/Dezembro 1994, Janeiro/Junho 1995, pp. 11–21.
  • 1996 - “A chamada escrita ibérica: decifração de três inscrições púnicas de Espanha em Revista Mediterrâneo - Revista Pluridisciplinar sobre as Sociedades Mediterrânicas, nº 8/9, Lisboa, IM-UNL e Gráfica 2000, 1996, pp. 289–309.
  • 1998 - “Emergência do Indivíduo na Sociedade Pós-Moderna” em A Vivência do Sagrado. Núcleo de Psicologia Transpessoal da Universidade de Lisboa. Lisboa, Editora Hugin, pp. 19–28.
  • 2009 - “Segredos da Festa” em A Festa: "ed oi layla yadura" (org. de Pedro Abreu Henriques Paixão e Rui Moreira), Lisboa, Fundação Carmona e Costa/Assírio & Alvim, 2009, pp. 91–107.
  • 2009 - "Pecado e crime" em Justiça e sociedade, AJPC -Associação de Juízes pela Cidadania, Coimbra, Almedina, pp. 83–89.

Obra etnológica on-line[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Origem Fenícia e Hebraica da Língua Portuguesa : entrevista ao investigador Fernando Rodrigues de Almeida
  2. O «Método da Constelação Local» / «Método Etnológico de Terreno» de Victor Bérard na análise científica da Toponímia Portuguesa
  3. Aplicação do «Método da Constelação Local» no conhecimento da origem dos topónimos do território português
  4. Biografia de Moisés Espírito Santo, por Inês Pedrosa
  5. [Comunidade Rural ao Norte do Tejo – Estudo de Sociologia Rural, 1980, Lisboa: Instituto de Estudos para o Desenvolvimento, reeditado em Comunidade Rural ao Norte do Tejo seguido de Vinte Anos Depois, 1999, Lisboa: Associação de Estudos Rurais da Universidade Nova de Lisboa e Gráfica 2000, com o artigo Dois Modelos de Educação Familiar(1985), Contexto - Revista de Estudo Multidisciplinar da Família, Volume 1, n.º 2, Lisboa, pp.135–14. (terreno: freguesia rural do Reguengo do Fetal, concelho da Batalha]
  6. [A Religião Popular Portuguesa (1984); 2.ª edição, revista e aumentada, Lisboa: Assírio & Alvim, Colecção Lusitânia nº3 - Tradições Religiosas Populares, 1990. ISBN 9723702452 / Referência Assírio & Alvim: 150021-9789723702453. (terreno: alguns locais da região de Entre-Douro-e-Minho) Artigos que se baseiam nesta obra: * 1982 - A propósito da abertura da Portela do Homem: Minho: uma "guerrilha" secular contra o Terreiro do Paço em História n.46, Lisboa, Agosto de 1982, pp.38–44.; * 1983 -La Religion des Paysans Portugais, Paris, Archive du Centre Culturel Portugais de la Fundation Calouste Gulbenkian, pp. 49–78.;* 1983 -Langages réligieux et spacialités em Espaces et Culture (coordenação de Pierre Pellegrino), Berne, Éditions Georgi, Saint Saphorin, pp. 23–77]
  7. Editora Assírio & Alvim Livros de Moisés Espírito Santo.
  8. Instituto de Sociologia e Etnologia das Religiões - UNL
  9. Instituto Mediterrânico - UNL
  10. Revista Fórum Sociológico - Departamento de Sociologia da FCSH - UNL
  11. Instituto de Estudos e de Divulgação Sociológica - UNL