Moishe Postone

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Moishe Postone
Nascimento 17 de abril de 1942
Canadá
Morte 19 de março de 2018 (75 anos)
Chicago
Cidadania Canadá
Alma mater Universidade de Frankfurt
Ocupação historiador, professor universitário
Empregador Universidade de Chicago

Moishe Postone (1942 - 19 de março de 2018) foi um teórico crítico e professor de história na Universidade de Chicago.[1] Ele era conhecido tanto por sua interpretação do antissemitismo moderno[2] quanto por sua reinterpretação da teoria crítica marxiana.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Recebeu seu título de Ph.D. da Johann Wolfgang Goethe-University em 1983. O interesse de suas pesquisas inclui a moderna história intelectual europeia; teoria social, especialmente teorias críticas da modernidade; Alemanha do século XX; antissemitismo;[2] e transformações globais contemporâneas.

Principais ideias[editar | editar código-fonte]

Em seu livro Time, Labor and Social Domination: A reinterpretation of Marx’s critical theory (já traduzido para o português, espanhol, alemão e francês), Moishe Postone propõe uma reinterpretação radical da teoria crítica de Karl Marx, principalmente de O Capital e dos Grundrisse. Sua reinterpretação inova ao propor que o tipo de dominação específico da sociedade capitalista é um abstrato, das relações sociais reificadas, do valor e do trabalho como formas de mediação social, sobre os indivíduos, em vez de focar centralmente na exploração da classe capitalista sobre a operária. Postone considera que a categoria de trabalho, compreendida como trans-histórica (ou mesmo ontológica) pelo marxismo tradicional, é historicamente determinada e só emerge como forma de mediação social com o surgimento do capitalismo. Também investigou a relação entre capitalismo e antissemitismo, com fundamento na forma-mercadoria e no trabalho abstrato.

Influências[editar | editar código-fonte]

Postone foi influenciado, em sua interpretação, pelo livro História e consciência de classe de Georg Lukács (livro ao qual, todavia, tece agudas críticas), pelos teóricos do Instituto para Pesquisa Social de Frankfurt (onde estudou de 76 a 82) e por marxistas heterodoxos como Sohn-Rethel, Isaak Rubin e Roman Rosdolsky. Influenciou profundamente os teóricos da crítica do valor (Anselm Jappe, Robert Kurz, Norbert Trenkle), assim como outros intérpretes de Marx, como Antoine Artous.

Publicações no Brasil[editar | editar código-fonte]

  • "Teorizando o mundo contemporâneo. Robert Brenner; Giovanni Arrighi; David Harvey". Em: Novos Estudos – CEBRAP, nº 81. Julho, 2008.
  • Tempo, trabalho e dominação social: uma reinterpretação da teoria crítica de Marx. São Paulo, Boitempo: 2014.
  • "O sujeito e a teoria social: Marx e Lukács sobre Hegel". Em Margem Esquerda: ensaios marxistas nº 24. Novembro, 2014.

Referências

  1. «Moishe Postone, 1942-2018». The Charnel-House (em inglês). 18 de março de 2018 
  2. a b Martin Thomas "Zionism, anti-semitism and the left", Solidarity, 3:166, 4 February 2010 (Alliance for Workers' Liberty website, 5 February 2010)
  3. «Moishe Postone (1942-2018)». IWM (em inglês). 20 de março de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]